Mercedes busca vitória casa na 200.ª participação

Para a marca germânica, que assinala a 200 participações como construtor na Fórmula 1, coloca os seus dois pilotos com a missão de trilhar o caminho do triunfo para assinalar a efeméride.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O traçado alemão, de Hockenheim, e magiar, do Hungaroring, recebem nos próximos dois fins-de-semana, as duas corridas que antecedem a pausa de Verão, com a competição a só regressar a 1 de Setembro no mítico traçado, apesar das alterações sofridas, de Spa-Francorchamps.

Para a Mercedes a prova alemã assinala a 200.ª participação, como construtor e nada melhor que um triunfo para assinalar a efeméride, embora haja dúvidas quanto à possibilidade disso acontecer, pois as previsões apontam para altas temperaturas (mais de 30º) em Hockenheim e equipa não esquece o “sofrimento” no Red Bull Ring, onde a situação foi idêntica e a equipa teve o pior resultado da temporada.

Moralizado pelo triunfo em casa, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) aposta em triunfar no traçado alemão para garantir a vitória caseira da marca da estrela, que conta com o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) para suceder ao inglês caso algo aconteça ao campeão do mundo.

A corrida deste fim-de-semana assume papel importante para o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que continua à procura do primeiro triunfo do ano, numa temporada em que tem coleccionado erros e sido batido pelo seu colega de equipa, o monegasco Charles Leclerc (Ferrari).

Recorde-se que o alemão perdeu a corrida do ano passado, em consequência de uma saída de pista, quando tinha o triunfo na mão, naquele que foi o primeiro passo para ser dominado por Lewis Hamilton na segunda metade da época.

Para agravar a situação, começou a correr a notícia da possibilidade do espanhol Fernando Alonso poder rende-lo, na próxima temporada, algo que não pode deixar de perturbar o piloto, que, por sistema, reage mal a situações de pressão.

E como Mattia Binotto, o responsável da marca de Maranello, disse, depois do GP de Inglaterra, onde Sebastian Vettel falhou a travagem e “acertou” no holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), que tinha de conversar com o piloto para discutir o seu desempenho na primeira metade da temporada, a situação começa a ser complicada para o alemão.

À partida, e por estranho que possa parecer, a Ferrari deposita maiores esperanças no desempenho de Charles Leclerc, com o monegasco a exceder as expectativas com que chegou à marca italiana e a ser muitas vezes o mais sério opositor dos “Mercedes boys”.

E se a Red Bull/Honda deve manter a terceira posição da hierarquia, com o holandês Max Verstappen apostado em surpreender os pilotos da Mercedes e da Ferrari, recorde-se que o holandês é o terceiro do campeonato, à frente dos dois pilotos da equipa de Maranello, e que já venceu uma prova, o que a acontecer não será surpresa, e o francês Pierre Gasly, depois de sentir “os calos apertados”, a melhorar os seus desempenhos e a aparecer nos lugares da frente, tudo apontando para que as três primeiras linhas da grelha sejam ocupadas pelos carros das três equipas que têm dominado a temporada.

Interessante será, igualmente, a luta no segundo pelotão com o australiano Daniel Ricciardo e o alemão Nico Hulkenberg a quererem

levar a Renault a suplantar a McLaren/Renault, equipa cliente do construtor francês, cujos pilotos, o espanhol Carlos Sainz e o inglês Lando Norris, apesar da juventude e da menor experiência, têm superado o duo da casa mãe, algo que não tem sido muito bem digerido pelos responsáveis da marca do losango. Na luta pelo comando do segundo pelotão poderão inserir-se os Alfa Romeo/Ferrari) do finlandês Kimi Raikkonen e do italiano Antonio Giovinazzi, com Racing Point/Mercedes e Haas/Ferrari a procurarem os resultados que ainda não conseguiram num ano em que se esperava que estivessem na luta por lugares na Q3 e pelo comando do segundo pelotão.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 223 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 184; 3.º, Max Verstappen, 136; 4.º, Sebastian Vettel, 123; 5.º, Charles Leclerc, 120; 6.º, Pierre Gasly, 55; 7.º, Carlos Sainz, 38; 8.º, Kimi Raikkonen, 25; 9.º, Lando Norris, 22; 10.º, Daniel Ricciardo, 22; 11.º, Nico Hulkenberg, 17; 12.º, Kevin Magnussen, 14; 13.º, Sergio Perez, 13; 14.º, Daniil Kvyat, 12; 15.º, Alexander Albon, 7; 16.º, Lance Stroll, 6; 17.º, Romain Grosjean, 2; 19.º, Antonio Giovinazzi, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 407 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 243; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 191; 4.º, McLaren F1 Team, 60; 5.º, Renault F1 Team, 39; 6.º, Alfa Romeo Racing, 26; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 19; 8.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 19; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 16.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação