Mercedes admite vantagem da Red Bul

Em vésperas da corrida em Imola, Toto Wolff concorda que a época não será fácil, com uma Red Bull mais veloz que a equipa campeã de construtores.

(auto.look2010@gmailcom)

Lewis Hamilton e a sua equipa na Mercedes esperam que Max Verstappen e a Red Bull respondam e façam-lhes um tórrido teste de velocidade no Grande Prémio de Emilia Romagna deste fim-de-semana, a segunda ronda do campeonato deste ano. Três semanas depois da abertura da temporada no Grande Prémio do Bahrein, onde Lewis Hamilton segurou a sua 96.ª vitória na Fórmula 1 até ao limite ficando à frente do holandês, o heptacampeão sabe que será um desafio repetir a sua vitória de 2020 no antigo Autódromo Enzo e Dino Ferrari.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff ficou encantado por ver Lewis Hamilton vencer na abertura, mas não tem ilusões de que a Mercedes tenha provado que pode alcançar a velocidade óbvia do carro da Red Bull esta temporada.

«Podemos ter ganho a primeira ronda, mas não temos a ilusão de que será uma época fácil. Falta velocidade ao nosso carro em voltas únicas e a Red Bull leva vantagem neste momento», disse Toto Wolff.

No Bahrein, Max Verstappen garantiu a “pole” por três décimos, mas Lewis Hamilton tirou o máximo da estratégia e da sua habilidade para vencer, com a ajuda de um erro caro do holandês, por sete décimos de segundo. A vitória de Lewis Hamilton no Barhein demonstrou não só a sua velocidade, mas a sua experiência e suprema gestão de corrida, qualidades que necessitará de novo esta época enquanto se tenta defender de Max Verstappen na luta pela coroa.

Lewis Hamilton usou a sorte para vencer a corrida de Emilia Romagna em 2020 em Imola com alguma autoconfiança – e com a ajuda de um oportuno Safety car – no passado mês de Novembro, enquanto rugia em direcção do título de pilotos. A sua vitória foi a terceira de uma série de cinco, ao aproveitar a superioridade da Mercedes e a pouca sorte do colega de equipa Valtteri Bottas para assumir a liderança na luta pelo título na estreita e acidentada pista, que voltou a ser usada pela primeira vez desde 2006.

Lewis Hamilton deixou claro no ano passado que adorava o circuito da “velha escola” entre as vinhas de Emilia Romagna e Toto Wolff partilha das seus sensações: «Foi onde vencemos e garantimos o nosso sétimo título de construtores naquele fim-de-semana. E é um local histórico e icónico, que os pilotos apreciam verdadeiramente – sinuoso e rápido com variedade de curvas».

Além de Lewis Hamilton, apenas outro piloto venceu em Imola – o bicampeão Fernando Alonso, que voltou a correr pela Alpine este ano. Fernando Alonso vai à procura de uma melhoria depois da corrida no Bahrein, onde abandonou, tal como o também veterano e tetracampeão Sebastian Vettel depois de uma difícil primeira luta com a Aston Martin.

A experiência dos dois pode ajudar em Imola, mas é provável que seja a Red Bull a marcar o ritmo num duelo emocionante com a Mercedes – com a McLaren, Ferrari e Alphatauri na perseguição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *