Mazda MX-5: Capota em baixo e volume no máximo

O roadster mais vendido do mundo integra diferentes tecnologias de som criadas pelos engenheiros da Mazda e da Bose. O som é distribuído pelo habitáculo e adapta-se às condições, nomeadamente com a capota aberta.

(auto.look2010@gmail.com)

Uma qualidade sonora de topo para uma experiência de condução superior tem sido a força motriz subjacente à colaboração entre a Mazda e a Bose, iniciada há 30 anos. Um desafio particular no caminho para a concretização desta ambição assentou no modelo mais icónico da Mazda até à data: o MX-5.

Este roadster simples e desportivo encarna, como nenhum outro automóvel, o prazer de condução e a unidade entre o automóvel e o seu condutor – o amplamente conhecido sentimento especial Jinba Ittai – que definem a Mazda como marca. Quando foi introduzido pela primeira vez em 1989, o MX-5 tomou o mundo de assalto, e décadas depois, a sua quarta iteração do icónico descapotável mantém-se imensamente popular.

Desde o início do projecto, os engenheiros da Mazda estavam determinados em integrar-lhe as mais recentes e avançadas tecnologias, sem sacrificar qualquer das particularidades – do sol a bater na cara, aos cabelos ao vento – inerentes a este modelo desportivo, pelo que o design da sua sonoridade não foi exceção.

Quando a terceira geração do popular roadster chegou às estradas em 2005, proporcionando uma ímpar qualidade sonora em modelos descapotáveis, mesmo quando a capota se encontra recolhida, culminou o enorme desafio colocado aos OEM e designers de som de todo o mundo.

As características acústicas do habitáculo alteram-se dependendo da posição do tejadilho, sendo que com a capota completamente aberta, as vozes e instrumentos podem perder-se na batalha contra o vento e ruídos externos. Para contornar este problema, as equipas de engenharia sonora da Bose e da Mazda criaram duas soluções inovadoras.

Primeiro, implementaram um interruptor EQ Equalizer que permite ajustar, automaticamente, a definição de som quando a capota está recolhida; depois, incorporaram os altifalantes UltraNearfield directamente nos encostos da cabeça dos bancos.

Utilizando o processamento de sinal TrueSpace, a tecnologia fornece um som claro, poderoso e abrangente, permitindo uma experiência de audição imersiva, mesmo quando a céu aberto. Em complemento, recorreu-se à tecnologia AudioPilot Noise Compensation da Bose para compensar o aumento dos ruídos rodoviários ou do vento em diferentes cenários de condução.

O sistema monitoriza continuamente todo o ambiente de ruído no habitáculo, ajustando, automaticamente, a reprodução do áudio às constantes alterações das circunstâncias. Tudo para que os condutores possam concentrar a sua atenção na música e na experiência de condução, sem necessidade de fazer reajustes manuais. O MX-5 é construído para sublimar o prazer de condução e o sistema de som Bose premium só aumenta essa diversão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *