Max Verstappen implacável e sem adversários

O holandês da Red Bull/Honda venceu o Grande Prémio da Áustria, nona prova do Mundial de Fórmula 1, e aumentou a vantagem sobre o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), quarto classificado.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Tal como sucedeu no passado domingo, Max Verstappen (Red Bull/Honda) dominou a segunda corrida efectuada no traçado austríaco do Red Bull Ring, com a particularidade de ter comandado as duas corridas do primeiro ao último metro.

O holandês averbou a quinta vitória do ano – terceira consecutiva –, o que lhe permitiu aumentar para 32 pontos a vantagem sobre o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) que não foi além do quarto lugar.

O piloto da Red Bull/Honda não falhou a partida e controlou o ataque do inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes), seu parceiro na primeira linha da grelha, com a corrida a ser neutralizada de imediato em consequência do francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) ter sido “entalado” por dois adversários.

Do incidente resultou a direcção danificada, o que obrigou à entrada em acção do “Safety Car” pela necessidade de retirar o Alpine do ponto em que se encontrava.

No recomeço, o mexicano Sérgio Perez (Red Bull/Honda), terceiro no momento do arranque, atacou Lando Norris, com o inglês a “empurrá-lo” para fora da pista, o que lhe valeria uma penalização de cinco segundos, enquanto o mexicano caía para 10.º e Lewis Hamilton ascendia ao terceiro lugar, passando a pressionar o piloto da McLaren, durante as 20 voltas seguintes.

Lewis Hamilton conseguiria deixar para trás o seu compatriota, mas, a degradação dos pneus traseiros levou-o a ceder posições, em favor do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que desde o início era quarto, sem oposição, e que acabaria por passar o seu colega de equipa quando os dois tentavam escapar a Lando Norris que acabaria por garantir a terceira posição.

Por sua vez, Sérgio Perez, quinto a passar na linha da meta, foi relegado para o sexto lugar, por, tal como Lando Norris, ter “empurrado” um adversário para fora da pista, na circunstância o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que terminaria em oitavo, o que permitiu ao espanhol Carlos Sainz (Ferrari) acabar em quinto, após cerrada luta com o australiano Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes), com o mexicano a classificar-se entre os dois.

O francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) e o espanhol Fernando Alonso (Alpine Renault) terminaram nos derradeiros lugares pontuáveis, com o espanhol a impor-se, a escassas três voltas do fim, ao inglês George Russell (Williams/Mercedes), que esteve muito perto de fazer a Williams regressar aos pontos, o que não sucede desde o GP da Alemanha de 2019.

Prejudicado, no sábado, na qualificação, pelo alemão Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes), que foi penalizado em três lugares na grelha de partida, o que o fez descer de oitavo para 11.º no momento do arranque, o espanhol não escondeu que «a penalidade que deram aos outros nunca é suficiente. Fomos terceiros na Q1, acho que teria sido terceiro ou quarto na Q2 e muito provavelmente quinto ou sexto na Q3». «O fim-de-semana acabou para nós, perdemos a oportunidade de uma corrida diferente e acho que não marcaremos pontos, no dia em que tivemos o melhor carro de qualificação do ano», acrescentou.

Afinal, ao contrário da sua previsão, acabou por arrecadar o último ponto, mas é de crer que poderia ter feito bem melhor e ter integrado o grupo que lutou pelo quinto lugar. Na derradeira volta, o finlandês Kimi Raikkonen (Alfa Romeo/Ferrari) e Sebastian Vettel “desentenderam-se e acabaram na gravilha não tendo terminado a corrida.

Como consequência dos resultados verificados Max Verstappen aumentou para 32 pontos a vantagem sobre Lewis Hamilton, enquanto a Mercedes reduziu para 44 pontos o atraso em relação à Red Bull.

No que diz respeito ao segundo pelotão a McLaren aumentou para 19 pontos a vantagem sobre a Ferrari, por cada uma dos seus pilotos ter ficado à frente dos pilotos da marca italiana.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – BWT Grosser Preis von Osterreich

Circuito – Red Bull Ring – Spielberg

Extensão – 306,452 km = 71 x 4,318 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red Bull/Honda), 1 volta (4,318 km) em 1’03,720” (243,954 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16B/Honda), 1’03,720”; Lando Norris (McLaren MCL35M/Mercedes), 1’103,768”; 2.ª linha: Sergio Perez (Red Bull RB16B/Honda), 1’03,990”; Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes), 1’04,014”; 3.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W12/Mercedes), 1’04,049”; Pierre Gasly (Alpha Tauri AT02/Honda), 1’04,107”; 4.ª linha: Yuki Tsunoda (Alpha Tauri AT02/Honda), 1’04,273”; George Russell (Williams FW43B/Mercedes), 1’04,591”; 5.ª linha: Lance Stroll (Aston Martin AMR21/Mercedes), 1’04,618”; Carlos Sainz (Ferrari SF/Ferrari), 1’04,559”; 6.ª linha: Sebastian Vettel (Aston Martin AMR21/Mercedes), 1’04,570”; Charles Leclerc (Ferrari SF21/Ferrari), 1’04,660”; 7.ª linha: Daniel Ricciardo (McLaren MCL23M/Mercedes), 1’04,719”; Fernando Alonso (Alpine A521/Renault), 1’04,856”; 8.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C41/Ferrari), 1’05,083”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C41/Ferrari), 1’05,009”; 9.ª linha: Esteban Ocon (Alpine A521/Renault), 1’105,051”; Nicholas Latifi (Williams FW43B/Mercedes), 1’05,195”; 10.ª linha: Mick Schumacher (Haas VF-21/Ferrari), 1’05,427”; Nikita Mazepin (Haas VF-21/Ferrari), 1’05,951”

Nota – Sebastian Vettel foi penalizado, em três lugares, por ter prejudicado a volta rápida de Fernando Alonso

Comandantes sucessivos – Max Verstappen, da 1.ª à 71.ª volta

Volta mais rápida – Max Verstappem (Red Bull BR16B/Honda), 1 voltas (4,318 km), em 1’06,200” (234,815”

Vencedor – Max Verstappem (Red Bull BR16B/Honda), 71 voltas (306,452 km), em 1.24’543” (219,131 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
         
1.º Max Verstappen Red Bull 16B Honda 1.23’24,543”
2.º Valtteri Bottas Mercedes W12 Mercedes a 17,973″
3.º Lando Norris McLaren MCL35 Mercedes a 20,019″
4.º Lewis Hamilton Mercedes W12 Mercedes a 46,452″
5.º Carlos Sainz Ferrari SF21 Ferrari a 57,144″
6.º Sergio Perez Red Bull 16B Honda a 57,915″
7.º Daniel Ricciardo McLaren MCL35 Mercedes a 1’00,395″
8.º Charles Leclerc Ferrari SF21 Ferrari a 1’01,195″
9.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT02 Honda a 1’01,844″
10.º Fernando Alonso Alpine A521 Renault a 1 volta
11.º George Russell Williams FW43 B Mercedes a 1 volta
12.º Yuki Tsunoda Alpha Tauri AT02 Honda a 1 volta
13.º Lance Stroll Aston Martin AMR21 Mercedes a 1 volta
14.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C41 Ferrari a 1 volta
15.º Nicolas Latifi Williams FW43 B Mercedes a 1 volta
16.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C41 Ferrari A 2 voltas
17.º Sebastian Vettel Aston Martin AMR21 Mercedes A 2 voltas
18.º Mick Schumacher Haas VF-21 Ferrari A 2 voltas
19.º Nikita Mazepin Haas VF-21 Ferrari A 2 voltas

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º Max Verstappen, 182 pontos; 2.º Lewis Hamilton, 150; 3.º Sérgio Perez, 104; 4.º, Lando Norris, 101; 5.º, Valtteri Bottas, 92; 6.º, Charles Leclerc, 62; 7.º, Carlos Sainz, 60; 8.º, Daniel Ricciardo, 40; 9.º, Pierre Gasly, 39; 10.º, Sebastian Vettel, 30; 11.º, Fernando Alonso, 20 ; 12.º, Lance Stroll, 14; 13.º, Esteban Ocon, 12; 14.º, Yuki Tsunoda, 9; 15.º, Antonio Giovinazzi, 1; 16.º, Kimi Raikkonen, 1.

CONSTRUTORES – 1.º Red Bull Racing Honda, 286 pontos; 2.º Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 242; 3.º McLaren F1 Team, 141; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 122; 5.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 49; 6.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 44; 7.º, Alpine Renault, 31; 8.º, Alfa Romeo Racing Ferrari, 2.

Próxima prova – Pirelli British Grand Prix, no Circuito de Silverstone, dia 18 de Julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *