Max Verstappen imperial em Abu Dhabi

O piloto holandês venceu hoje a derradeira prova da temporada de 2020 de Fórmula 1, o Grande Prémio de Abu Dhabi, dominando da primeira à última volta. Valtteri Bottas foi segundo e Lewis Hamilton, já campeão, foi terceiro.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Ao encontrar, ontem, a afinação ideal para assegurar a “pole position”, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) criou as condições para vencer a derradeira corrida da temporada, naquela que foi a sua segunda vitória da época e 10.ª da carreira.

O holandês assumiu o comando no arranque, manteve-se no primeiro lugar ao longo de toda a corrida e só não completou um fim-de-semana de domínio absoluto, porque, na derradeira volta, o australiano Daniel Riccardo (Renault) lhe “roubou” o ponto da volta mais rápida.

Consciente que tinha de vencer, mas que a vitória podia não chegar, para alcançar o segundo lugar no campeonato, Max Verstappen cumpriu a sua parte, mas o facto do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) ter terminado em segundo relegou-o para o lugar mais baixo do pódio, atrás dos “Mercedes boys”.

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) terminou em terceiro, sendo a 13.ª vez que os três estiveram no pódio, depois de uma corrida discreta, dando a sensação de não ter recuperado por completo dos dias de quarentena que foi obrigado a cumprir e que o impediram de alinhar na corrida anterior, com o facto da Mercedes ter reduzido a potência das suas unidades motrizes, para evitar penalizações, a poder, também, contribuir para a incapacidade dos “Mercedes boys” acompanharem o ritmo de Max Verstappen.

Ao terminar em quarto, o anglo-tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda) pode ter dado um passo importante para a sua continuidade na equipa, embora corra, com insistência, que as negociações entre a Red Bull e o mexicano Sérgio Perez, que ainda não tem lugar assegurado para 2 021, estarem bastante avançadas.

Uma semana depois de ter triunfado pela primeira vez na sua carreira, no traçado do Bahrain, o mexicano Sérgio Perez (Racing Point/Mercedes) só durou 10 voltas na derradeira corrida e, com o seu abandono, comprometeu as hipóteses da Racing Point termina no lugar mais baixo do pódio no “Mundial” de Construtores, apesar do ponto conquistado pelo canadiano Lance Stroll (Racing Point/Mercedes), que acabou por ser ocupado pela McLaren, graças ao quinto (Lando Norris) e sexto (Carlos Sainz) alcançados pelos seus pilotos.

A terceira equipa com aspirações ao pódio era a Renault, mas o sétimo lugar de Daniel Riccardo e o nono do francês Esteban Ocon, que ficaram separados pelo francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda), não lhe permitiu ir além do quinto lugar.

O mau ano da Ferrari, sexta no campeonato, ficou patente no facto de nenhum dos seus pilotos ter terminado nos pontos, com o melhor, dos que utilizam unidades motrizes da marca italiana, a ser o finlandês Kimi Raikkonen (Alfa/Romeo/Ferrari), que terminou em 12.º, à frente dos dois pilotos da equipa oficial, depois de ter resistido de forma eficaz às tentativas de ultrapassagem do monegasco Charles Leclerc (Ferrari).

Num ano muito difícil, positivo o facto de ter sido possível realizar 17 corridas, o calendário previa 22, mesmo tendo de descobrir novos traçados, como sucedeu com Portimão e Mugello, recuperar outros, como Istambul e Imola, ou de efectuar corridas nos mesmos circuitos como aconteceu do Red Bull Ring, em Silverstone e no Bahrain, ainda que, aqui, com dois traçados diferentes.

Se tudo correr bem a F1 estará de volta às pistas dia 21 de Março, em Melbourne (Austrália).

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Etihad Airways Abu Dhabi Grand Prix

Circuito – Yas Marina Circuit

Extensão – 303,355 km = 55 x 5,554 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red BullRB16/Honda), 1 volta (5,554 km), em 1’35,246” (209,923 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’35,246”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’35,271”; 2.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’35,332”; Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’35,497”; 3.ª linha: Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’35,571”; Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’35,815”; 4.ª linha: Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’35,963”; Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1’36,046”; 5.ª linha: Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’36,242”; Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), 1’36,359”; 6.ª linha: Daniel Ricciardo (Renault RS20/Renault), 1’36,406”; Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’36,065”; 7.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’36,631”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’38,248”; 8.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’37,555”; George Russell (Williams FW43/Mercedes), 1’38,045”; 9.ª linha: Pietro Fittipaldi (Haas VF-20/Ferrari), 1’38,173”; Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 1’38,443”; 10.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP20/Mercedes), sem tempo; Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 1’37,863”.

Nota – Sérgio Perez e Kevin Magnussen foram colocados no final da grelha por terem excedido o número de trocas de unidades motrizes permitida e Charles Leclerd foi penalizado em três lugares por ter provocado uma colisão na primeira volta da corrida anterior.

Comandantes sucessivos – Max Verstappen, da 1.ª à 55.ª volta

Volta mais rápida – Daniel Riccardo (Renault RS20/Renault), 1 volta (5,554 km), em 1’40,926” (198,109 km/h)

Vencedor – Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 55 voltas (305,355 km), em 1.36’28,645” (189,902 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPOS
         
1.º Max Verstappen Red Bull RB16 Honda 1.36’28,645″
2.º Valtteri Bottas Mercedes W11 Mercedes a 15,976″
3.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes a 18,415″
4.º Alexander Albon Red Bull RB16 Honda a 19,987″
5.º Lando Norris McLaren MCL35 Renault a 1.00,729″
6.º Carlos Sainz McLaren MCL35 Renault a 1’05,662″
7.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 1’13,748″
8.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT01 Honda a 1’29,718″
9.º Esteban Ocon Renault RS20 Renault a 1’41,069″
10.º Lance Stroll Racing Point RP20 Mercedes a 1’42,738″
11.º Danill Kvyat Alpha Tauri AT01 Honda a 1 volta
12.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 1 votla
13.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 1 volta
14.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 1 volta
15.º George Russell Williams FW 43 Mercedes a 1 volta
16.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C39 Ferrari a  1 volta
17.º Nicholas Latifi Williams FW 43 Mercedes a 1 volta
18.º Kevin Magnussen Haas VF-20 Ferrari a 1 volta
19.º Pietro Fittipaldo Haas VF-20 Ferrari a 2 voltas

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 347 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 223; 3.º, Max Verstappen, 214; 4.º Sérgio Perez, 125; 5.º, Daniel Ricciardo, 119; 6.º, Carlos Sainz, 105; 7.º, Alexander Albon, 105; 8.º, Charles Leclerc, 98; 9.º, Lando Norris, 97; 10.º, Pierre Gasly, 75; 11.º, Lance Stroll, 75; 12.º, Esteban Ocon, 62; 13.º, Sebastian Vettel, 33; 14.º, Daniil Kvyat, 32; 15.º, Nico Hulkenberg, 10; 16.º, Kimi Raikkonen, 4; 17.º, Antonio Giovinazzi, 4; 18.º, George Russell, 3; 19.º, Romain Grosjean, 2; 20.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 573 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 319; 3.º, McLaren F1 Team, 202; 4.º, BWT Racing Point F1 Team, 195; 5.º, Renault DP World F1 Team, 181; 6.º, Scuderia Ferrari, 131; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 107; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 8; 9.º, Haas F1 Team, 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *