Max Verstappen ganha com final incrível

O holandês da Red Bull/Honda venceu o Grande Prémio do Brasil, à frente do francês Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda) e do inglês Lewis Hamilton (Mercedes).

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

As corridas têm princípio, meio e fim, mas foi nas derradeiras voltas, depois de o holandês e o inglês terem protagonizado momentos de enorme emoção na discussão do primeiro lugar, uma vez que Max Verstappen defendeu com sucesso o facto de largar da “pole”, mas o inglês, terceiro no momento do arranque, saiu melhor que o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e ascendeu de imediato ao segundo lugar para dar luta ao comandante, situação que se manteve durante algumas voltas.

Mas seria nas derradeiras voltas que as emoções chegaram ao rubro, proporcionando um final de corrida impróprio para cardíacos, havendo muita gente nas “boxes” que deve ter tido “ataques de coração”.

Tudo começou a 17 voltas do fim, quando os dois homens da Ferrari o monegasco Charles Leclerc, que tinha saído de 14.º, e Sebastian Vettel lutavam pelo terceiro lugar lugar se desentenderam quando o alemão tentou a ultrapassagem ao monegasco, com a roda traseira esquerda do carro do alemão a embater na roda dianteira direita do seu colega de equipa que, de imediato, cedeu deixando peças pela pista e obrigando à entrada do “Safety Car”, para limpeza da pista e levando ao abandono dos dois pilotos da marca italiana.

Max Verstappen e Sebastian Vettel aproveitaram a situação para ir às “boxes” para montar pneus macios, para cumprirem as derradeiras voltas, ao contrário do que fez Lewis Hamilton que comandava a prova.

No recomeço, Lewis Hamilton não resistiu ao ataque do seu adversário e caiu para quarato, porque o tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda) e o francês Pierre Gasly aproveitaram o faço do campeão do mundo estar com pneus mais desgastados para o ultrapassarem e colocarem três motores Honda nos lugares do pódio, o que não acontecia desde 1988.

Mas Lewis Hamilton reagiu, deixou o francês para trás, tirando partido da maior eficácia do Mercedes e lançou-se na recuperação do segundo lugar, com o tailandês a “abrir a porta”, o inglês a aproveitar, os carros tocaram-se, Alexander Albom fez um “pião” e afundou-se na classificação, com Lewis Hamilton a perder o segundo lugar para Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda), que alcançou a melhor classificação da carreira.

Como consequência o campeão do mundo foi penalizado em cinco segundos e caiu de segundo para sétimo, permitindo a ascensão ao pódio do espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) que, autor de uma corrida notável, saiu da última posição da grelha para  cortar a meta na quarta posição e ser promovido ao pódio, o primeiro da sua carreira, mas que não pode festejar, por a decisão do Colégio de Comissários ter sido tomada, horas depois do final da corrida.

Antes, Lewis Hamilton tinha sido o primeiro a parar (20.ª volta), para trocar de pneus, imitado na volta seguinte por Max Verstappen, o que permitiu a Sebastian Vettel a ascender ao comando, com Max Verstappen a regressar à pista atrás de Lewis Hamilton.

Nessa altura, assistiu-se a um fantástico duelo entre os dois pilotos que trocaram de posições várias vezes, numa luta que empolgou todos quantos assistiram à prova.

Destaque para os quarto e quinto lugares dos Alfa Romeo do finlandês Kimi Raikkonen e do italiano Antonio Giovinazzi, o melhor resultado da época, com o australiano Daniel Ricciardo (Renault), o inglês Lando Norris (McLaren/Renault), o mexicano Sérgio Perez (Racing Point/Mercedes) e o Daniil Kvyat (Toro Rosso/Honda) a completarem o lote dos pilotos que terminaram nos pontos.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Brasil

Circuito – Autódromo José Carlos Pace

Extensão – 305,879 km = 71 x 4,309 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red Bull/Honda), 1 volta (4,309 km), em 1’07,580” (229,786 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB15/Honda), 1’07,508”; Sebastian Vettel (Ferrari SF90/Ferrari), 1’07,631; 2.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’07,699”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’07,874”; 3.ª linha: Alexander Albon (Red Bull RB15/Honda), 1’07,935”; Pierre Gasly (Toro Rosso STR14/Honda), 1’1’08,837”; 4.ª linha: Romain Grosjean (Haas VF-19/Ferrari), 1’08,854”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’08,984”; 5.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-19/Ferrari), 1’09,037; Lando Norris (McLaren MCL34/Renault), 1’08,868; 6.ª linha: Daniel Riccardo (Renault RS19/Renault), 1’08,093”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’1’08,919”; 7.ª linha: Nico Hulkenberg (Renault RS19/Renault), 1’08,921”; Charles Leclerc (Ferrari SF90/Ferrari), 1’07,728”; 8.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP19/Mercedes), 1’09,035”; Daniil Kvyat (Toro Rosso STR14/Honda), 1’09,320”; 9.ª linha: Lance Stroll (Racing Point PR19/Mercedes), 1’09,536”; George Russell (Williams FW42/Mercedes), 1’10,126”; 10.ª linha: Robert Kubica (Williams FW42/Mercedes), 1’10,614”; Carlos Sainz (McLaren MCL34/Renault), sem tempo

Nota –Charles Leclerc, que fez o quarto tempo na qualificação, foi penalizado com, 10 lugares, por ter trocado a unidade motriz, e Carlos Sainz, sai da derradeira posição da grelha por não ter feito qualquer tempo na qualificação e por ter tido o mesmo procedimento, que Charles Leclerc

Comandantes sucessivos – Max Verstappen, da 1.ª à 21.ª volta; Sebastian Vettel, da 22.ª à 25.ª volta; Max Verstappen, da 26.ª à 44.ª volta; Sebastian Vettel, da 45.ª à 48.ª volta; Max Verstappen, da 49.ª à 53.ª volta; Lewis Hamilton, da 54.ª à 59.ª volta; Max Verstappen da 60.ª à 71.ª volta

Volta mais rápida – Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1 volta (4,309 km), e, 1’10,698” (219,417”)

Vencedor – Max Verstappen (Red Bull RB15/Honda), 71 voltas (305,879 km), em 1.33’14,678” (196,283 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS.PILOTOCARROTEMPO
1.ºMax VerstappenRed Bull RB15/Honda
2.ºPierre GaslyToro Rosso STR14/Hondaa 6,077″
3.ºCarlos SainzMcLaren MCL34/Renaulta 8,896″
4.ºKimi RaikkonenAlfa Romeo C38/Ferraria 9,542″
5.ºAntonio GiovinazziAlfa Romeo C38/Ferraria 10,201″
6.ºDaniel RicciardoRenault RS19/Renaulta 10,514″
7.ºLewis HamiltonMercedes W10/Mercedesa 11,139″
8.ºLando NorrisMcLaren MCL34/Renaulta 11,204″
9.ºSergio PerezRacing Point RP19/Mercedesa 11,529″
10.ºDaniil KvyatToro Rosso STR14/Hondaa 11,931″
11.ºKevin MagnussenHaas VF-19/Ferraria 12,732″
12.ºGeorge RussellWilliams FW42/Mercedesa 13,599″
13.ºRomain GrosjeanHaas VF-19/Ferraria 14,247″
14.ºAlexander AlbonRed Bull RB15/Hondaa 14,927″
15.ºNico HulkenbergRenault RS19/Renaulta 18,059″
16.ºRobert KubicaWilliams FW42/Mercedesa 1 volta
17.ºSebastian VettelFerrari SF90/Ferraria 6 voltas
18.ºCharles LeclercFerrari SF90/Ferraria 6 voltas
19.ºLance StrollRacing Point RP19/Mercedesa 6 voltas

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º Lewis Hamilton 389 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 314; 3.º, Max Verstappen, 260; 4.º, Charles Leclerc, 249; 5.º, Sebastian Vettel, 212; 6.º, Pierre Gasly, 95; 7.º, Carlos Sainza, 85; 8.º, Alexander Albon, 84; 9.º, Daniel Ricciardo, 52; 10.º Sérgio Perez, 46; 11.º, Lando Norris, 45; 12.º, Kimi Raikkonen, 43; 13.º, Nico Hulkenberg, 37; 13.º, Daniil Kvyat, 35; 16.º, Kevin Magnussen, 20; 17.º, Antonio Giovinazzi, 14; 18.º, Romain Grosjean, 8; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 703 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 479; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 391; 4.º, McLaren F1 Team, 140; 5.º, Renault F1 Team, 89; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 83; 6.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 67; 8.º, Alfa Romeo Racing, 57; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 28; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1

PRÓXIMA PROVA – Etihad Airways Abu Dhabi Grand Prix, no Yas Marina Circuit, dia 1 de Dezembro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação