Maverick Viñales vence… finalmente

Triunfo sorriu ao piloto espanhol da Yamaha, que se tornou no sexto piloto diferente a vencer nas sete corridas disputadas esta temporada (apenas Quartararo repetiu o triunfo) e igualou os 66 pódios, em todas as categorias, conseguidos pelo compatriota Alex Crivillé.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O espanhol Maverick Viñales (Yamaha) que, por mais de uma vez esteve perto de vencer uma corrida de MotoGP, inscreveu finalmente, o seu nome na lista de vencedores de 2020, sendo o sexto piloto a fazê-lo, com o francês Fabio Quartararo (Yamaha) a ser o único que já somou dois triunfos esta época.

Os espanhóis Joan Mir (Ducati) e Pol Espargaro (KTM) completaram o pódio, à frente de Fabio Quartararo, enquanto o comandante do campeonato, o italiano Andrea Dovizioso (Ducati) não ia além do oitavo lugar.

Como consequência, Andrea Dovizioso conserva o comando do “Mundial”, mas tem um escasso ponto de avanço sobre Fabio Quartararo e Maverick Viñales, e quatro sobre Joan Mir, o que deixa antever uma segunda parte da temporada emocionante.

Autor de uma espectacular recuperação, ao longo da qual escapou às “armadilhas” que foram surgindo e que levaram muitos adversários ao chão, o português Miguel Oliveira (KTM) terminou em quinto, depois de ter saído de 15.º, ascendeu ao oitavo lugar do campeonato a quatro pontos do japonês Takkaki Nakagami e a cinco do italiano Franco Morbidelli e do australiano Jack Miller, sendo o melhor dos pilotos da marca austríaca.

A boa prestação de Miguel Oliveira fê-lo subir duas posições no Mundial de MotoGP, traduzido também no segundo melhor resultado da temporada.

«Arrancar da quinta linha da grelha não foi o ideal, mas consegui recuperar algumas posições, beneficiar de algumas quedas, fazer uma corrida constante, sem erros. A quinta posição é muito importante para o campeonato e traz muita motivação», frisou Miguel Oliveira, que é, agora, oitavo classificado, com 59 pontos, mais um do que o italiano Valentino Rossi (Yamaha), que desistiu devido a queda. Miguel Oliveira cotou-se como um dos mais rápidos ao longo de toda a prova.

«Fizemos uma corrida mais rápida do que na semana passada e acabámos mais perto do primeiro», notou o português, que se disse «motivado para ir até Barcelona», onde se disputa a próxima ronda, no domingo, e onde acredita que pode ter «um bom fim-de-semana».

A chuva que caiu durante algum tempo sobre o traçado de Misano levou à interrupção da corrida de Moto2, por duas vezes, para a terceira parte ficar reduzida a seis voltas, com o espanhol Xavi Vierge (Kalex) a comandar as cinco primeiras, mas a não resistir ao ataque dos italianos Enea Bastianini (Kalex), que venceu pela terceira vez esta temporada, e Luca Marini (Kalex), que continua no comando do campeonato, mas agora com oito pontos de avanço sobre o seu compatriota, que o relegaram para o degrau mais baixo do pódio.

Foi intensa a luta pela vitória, em Moto3, com as trocas de posição a serem uma constante e com os nove primeiros a caberem num segundo.

Com uma última volta cheia de determinação, o italiano Romano Fenati (Husqvarna) conseguiu nas derradeiras curvas superiorizar-se à concorrência e dar à Husqvarna a primeira vitória da temporada, no final de uma corrida, em que os homens da frente andaram numa constante troca de posições.

O italiano Celestino Vietti (KTM) e o japonês Ai Ogura (Honda) completaram o pódio de uma corrida em que os nove primeiros terminaram separados por menos de um segundo, com o espanhol Albert Arenas (KTM), que terminou em quarto, conservou o comando do campeonato, mas viu o japonês reduzir para dois pontos o atraso pontual

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDAS

MotoGP – 1.º, Maverick Viñales (Yamaha), 27 voltas (114,102 km)”, em 41’55,846”; 2.º, Joan Mir (Suzuki), a 2,425”; 3.º, Pol Espargaro (KTM), a 4,528”; 4.º, Fabio Quartararo (Yamaha), a 6,419”; 5.º, Miguel Oliveira (KTM), a 7,368”; 6.º, Takaaki Nakagami (Honda), a 11,139”; 7.º, Alex Marquez (Honda), 11,929”; 8.º, Andrea Dovizioso (Ducati), a 13,113”; 9.º, Franco Morbidelli (Yamaha), a 15,880”; 10.º, Danilo Petrucci (Ducati), a 17’682”. Classificaram-se mais três pilotos

Moto2 – 1.º, Enea Bastianini (Kalex), 6 voltas (25,356 km), em 9’50,709”; 2.º, Luca Marini (Kalex), a 0,509”; 3.º, Xavi Vierge (Kalex), a 0,775”; 4.º, Marco Bezzecchi (Kalex), a 0,798”; 5.º, Fabio Di Giannantonio (Speed Up), a 0,994”; 6.º, Marcel Schrotter (Kalex), a 1,151”; 7.º, Sam Lowes (Kalex), a 1,417”; 8.º, Jorge Navarro (Speed Up), a 1,716”; 9.º, Jake Dixon (Kalex); a 1,969”; 10.º, Aron Canet (Speed Up), a 2,209”. Classificaram-se mais 17 pilotos

Moto3 – 1.º, Romano Fenati (Husqvarna), 23 voltas (97,198 km), em 39’30,124” (147,6 km/h); 2.º, Celestino Vietti (KTM), a 0,036”; 3.º, Ai Ogura (Honda), a 0,121”; 4.º, Albert Arenas (KTM), a 0,199”; 5.º, Jaume Masia (Honda), a 0,280”; 6.º, Raul Fernandez (KTM), a 0,439”; 7.º, Deniz Oncu (KTM), a 0,678”; 8.º, Andrea Migno (KTM), a 0,791”; 9.º, Kaito Toba (KTM), a 0,939”; 10.º, John McPhee (Honda), a 1,125”. Classificaram-se mais 17 pilotos.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Andrea Dovisioso, 84 pontos; 2.º, Fábio Quartararo, 83; 3.º, Maverick Viñales, 83; 4.º, Joan Mir, 80; 5.º, Franco Morbidelli, 64; 6.º, Jack Miller, 64; 7.º, Takaaki Nakagami, 63; 8.º, Miguel Oliveira, 59; 9.º, Valentino Rossi, 58; 10.º, Pol Espargaro, 57. Estão classificados mais 12 pilotos

Moto2 – 1.º, Luca Marini, 125 pontos; 2.º, Enea Bastianini, 120; 3.º, Mauro Bezzecchi, 105; 4.º, Sam Lowes, 83; 5.º, Jorge Martin, 79; 6.º, Tetsuta Nagashima, 68; 7.º, Xavi Vierge, 66; 8.º, Aron Canet, 53; 9.º, Thomas Luthi, 52; 10.º, Marcel Schrotter, 48. Estão classificados mais 17 pilotos

Moto3 – 1.º, Albert Arenas, 119 pontos; 2.º, Ai Ogura, 117; 3.º, John McPhee, 98; 4.º, Celestino Vietti, 86; 5.º, Tatsuki Suzuki, 75; 6.º, Tony Arbolino, 75; 7.º, Gabriel Rodrigo, 63; 8.º, Jaume Masia, 61; 9.º, Raul Fernandez, 61; 10.º, Romano Fenati, 47. Estão classificados mais 15 pilotos

MARCAS

Moto GP – 1.º Yamaha, 138 pontos; 2.º, Ducati, 115; 3.º, KTM, 104; 4.º, Suzuki, 93; 5º, Honda, 63; 6.º, Aprilia, 26

Moto2 – 1.º Kalex, 200 pontos; 2.º, Speed Up, 66; 3.º, MV Agusta, 21; 4.º, NTS, 9

Moto3 – 1.º, Honda, 171 pontos; 2.º, KTM, 162; 3.º, Husqvarna, 50

EQUIPAS

MotoGP – 1.º Petronas Yamaha SRT, 147 pontos; 2.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 141; 3.º, Team Suzuki Ecstar, 124; 4.º, Ducati Team, 115; 5.º, Red Bull KTM Factory Racing, 110; 6.º, Pramac Racing, 97; 7.º, Red Bull KTM Tech3, 74; 8.º LCR Honda, 70; 9.º, Esponsorama Racing, 43; 10.º, Aprilia Racing Team Gresini, 29; 11.º, Repsol Honda Team, 1245

Moto2 – 1.º, Sky Racing Team VR46, 230 pontos; 2.º, Red Bull KTM Ajo, 147; 3.º, Italtrans Racing Team, 125; 4.º, EG 0,0 Marc VDS, 119; 5.º Liqui Moly Intact GP, 100; 6.º, Petronas Sprinta Racing, 81; 7.º, Inde Aspar Team Moto2, 70; 8.º, Flexbox HP 40, 57; 9.º, Tennor American Racing, 50; 10.º, Beta Tools Speed Up, 48; 11.º, Onexox TKKR SAG Team, 41; 12.º, MV Agusta Forword Racing, 23; 13.º, Federal Oil Gresini Moto2, 17; 14.º, NTS RW Racing GP, 9; 15.º, Idemitsu Honda Team Asia, 3.

Moto3 – 1.º, Gaviota Aspar Team Moto3, 142 pontos; 2.º, Sky Racing Team VR46, 122; 3.º, Honda Team Ásia, 117; 4.º, Kommerling Gresini Moto3, 109; 5.º, Leopard Racing, 105; 6.º, SIC58 Squadra Corse, 101; 7.º, Petronas Sprinta Racing, 98; 8.º, Rivacold Snipers Team, 87; 9.º, Red Bull KTM Ajo, 80; 10.º, Sterilgarda Max Racing Team, 52; 11.º, CIP Green Power, 37; 12.º, Red Bull KTM Tech 3, 32; 13.º, Estrella Galicia 0,0, 31; 14.º Reale Avintia Moto3, 4; 15.º, Boe Skull Rider Facile Energy, 3

Próxima prova – Gran Premi Monster Energy de Catalunya, dia 27 de Setembro, no Circuito de Barcelona-Catalunya.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: