Maverick Viñales imperial no Qatar

O português Miguel Oliveira, piloto oficial da austríaca KTM, terminou em 13.º lugar no Grande Prémio de Qatar em MotoGP, conquistado pelo espanhol Maverick Viñales, aos comandos de uma Yamaha.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O espanhol Maverick Viñales (Yamaha) é o primeiro comandante do Campeonato do Mundo de MotoGP, depois de ter conseguido superar os pilotos da Ducati que, nas primeiras voltas, ocuparam os quatro primeiros lugares.

O espanhol arrancou de terceiro, terminou a primeira volta em sexto, foi aproximando-se dos lugares da frente e a oito voltas do fim ascendeu ao primeiro lugar, posição que defendeu até final.

O francês Johann Zarco (Ducati) e o italiano Francesco Bagnaia (Ducati), que largou da “pole” e comandou as primeiras 14 voltas da corrida, antes de ceder ao ataque do espanhol, asseguraram o pódio na recta da meta, onde entraram atrás do campeão do mundo, o espanhol Joan Mir (Suzuki), mas que conseguiram ultrapassar nos derradeiros metros.

O português Miguel Oliveira (KTM) fez um bom arranque, que levou do 15.º ao 11.º lugar, chegou a fechar o lote dos 10 mais rápidos, mas acabaria por terminar em 13.º, ainda que tivesse sido o melhor da marca austríaca.

Com o resultado alcançado no circuito internacional de Losail, o piloto de Almada, que foi o melhor piloto da KTM, está na 13.ª posição do campeonato, com três pontos, a 22 de Viñales, que lidera.

Mais rápido na qualificação para a corrida de Moto2, o inglês Sam Lowes (Kalex) confirmou a superioridade mostrada nos treinos e dominou a corrida, a partir de segunda volta, depois de deixar para trás o italiano Marco Bezzecchi (Kalex), que terminou em quarto, atrás, ainda do australiano Remy Gardner (Kalex) e do italiano Fábio Di Giannantonio (Kalex), que completaram o pódio, daquele que foi a corrida mais desinteressante do Grande Prémio.

Coube aos pilotos de Moto3 abrir as hostilidades no traçado qatari, com o forte vento, que trouxe areia para a pista, a condicionar a corrida, com as trocas de posição a serem uma constante, com quem ia à frente a ser incapaz de manter posição, muito em especial no final da recta da meta.

As trocas de posição foram uma constante, em especial na recta da meta, com os espanhóis Jaume Masia (KTM), que averbou a quarta vitória da carreira, e Pedro Acosta (KTM), o melhor dos estreantes, a ocuparem as duas primeiras posições à frente do sul-africano Darryn Binder (Honda), que completou o pódio, depois de ter sido um dos oito pilotos que comandou uma das 18 voltas da corrida.

A anteceder o arranque da prova foi guardado um minuto de silêncio em memória da Fausto Gresini, proprietário de uma equioa que morreu, em Fevereiro, de covid-19.

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDAS

MotoGP – 1.º, Maverick Viñales (Yamaha), 22 voltas (118,36 km), em 42’28,663” (167,1 km/h); 2.º, Johann Zarco (Ducati), a 1,902”; 3.º, Francesco Bagnaia (Ducati), a 1,129”; 4.º, Joan Mir (Suzuki), a 1,222”; 5.º, Fábio Quartararo (Yamaha), 3,030”; 6.º, Alex Rins (Suzuki), a 3,357”; 7.º, Aleix Espargaro (Aprilia), a 5,934”; 8.º, Pol Espargaro (Honda), a 5,900”; 9.º, Jack Miller (Ducati), a 7,058”; 10.º, Enea Bastianini (Ducati), a 9,288”; …; 13.º, Miguel Oliveira (KTM), a 11,457”. Classificaram-se mais seis pilotos

Moto2 – 1.º, Sam Lowes (Kalex) 20 voltas (107,60 km), em 40’03,123” (161,1 km/h); 2.º, Remy Gardner (Kalex), a 2,260”; 3.º, Fábio Di Giannantonio (Kalex), a 5,228”; 4.º, Marco Bezzecchi (Kalex), a 5.241”; 5.º, Raul Fernandez (Kalex), a 6,145”; 6.º, Joe Roberts (Kalex), a 6,786”; 7.º, Jake Dixon (Kalex), a 8,721”; 8.º, Marcel Schrotter (Kalex), a 10,911”; 9.º, Bo Bendsneyder (Kalex), a 12,493”; 10.º, Jorge Navarro (Boscoscuro), a 16,800”. Classificaram-se mais 12 pilotos

Moto3 – 1.º, Jaume Masia (KTM), 18 voltas (96,840 km), em 38’29,620” (150,9 km/h); 2.º, Pedro Acosta (KTM), a 0,042”; 3.º, Darryn Binder (Honda), a 0,094”; 4.º, Sérgio Garcia (Gas Gas), a 0,435”; 5.º, Gabriel Rodrigo (Honda), 0,880”; 6.º, Nicolò Antonelli (KTM), a 0,899; 7.º, Izan Guevara (Gas Gas)m a 0,965”; 8.º, Kaito Toba (KTM), a 1,950”; 9.º, Tatsuki Suzuki (Honda), a 2,214”; 10.º, Jason Dupasquier (KTM), a 2,219”. Terminaram mais 11 pilotos

CAMPEONATOS

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Maverick Viñales, 25 pontos; 2.º, Johann Zarco, 20; 3.º, Francesco Bagnaia (Ducati), 16; 4.º, Joan Mir, 13; 5.º, Fábio Quartararo, 11; 6.º, Alex Rins, 10; 7.º, Aleix Espargaro, 9; 8.º, Pol Espargaro, 8; 9.º, Jack Miller, 7; 10.º, Enea Bastianini (Ducati), 6; …; 13.º, Miguel Oliveira, 3. Estão classificados mais dois pilotos

Moto2 – 1.º, Sam Lowes, 25 pontos; 2.º, Remy Gardner, 20; 3.º, Fábio Di Giannantonio, 16; 4.º, Marco Bezzecchi, 13; 5.º, Raul Fernandez, 11; 6.º, Joe Roberts, 10; 7.º, Jake Dixon, 9; 8.º, Marcel Schrotter, 8; 9.º, Bo Bendsneyder, 7; 10.º, Jorge Navarro, 6. Estão classificados mais cinco pilotos

Moto3 – 1.º, Jaume Masiam 25 pontos; 2.º, Pedro Acosta, 20; 3.º, Darryn Binder, 16; 4.º, Sérgio Garcia (Gas Gas), 13; 5.º, Gabriel Rodrigo, 11; 6.º, Nicolò Antonelli, 10; 7.º, Izan Guevara, 9; 8.º, Tatsuki Suzuki, 8; 9.º, Kaito Toba, 7; 10.º, Jason Dupasquier, 6. Estão classificados mais cinco pilotos.

CONSTRUTORES

MotoGP – 1.º, Yamaha, 25 pontos; 2.º, Ducati, 20; 3.º, Suzuki, 13; 4.º, Aprilia, 9; 5.º, Honda, 8; 6.º, KTM, 3

Moto2 – 1.º, Kalex, 25 pontos; 2.º, Boscoscuro, 6

Moto3 – 1.º KTM, 25 pontos; 2.º, Honda, 16; 3.º, Gasgas, 13; 4.º, Husqvarna, 5

EQUIPAS

MotoGP – 1.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 36 pontos; 2.º, Ducati Lenovo Team, 23; 3.º, Team Suzuki Ecstar, 23; 4.º, Pramac Racing, 21; 5.º, Repsol Honda Team, 13; 6.º, Aprilia Racing Team Gresini, 9; 7.º, Esponsorama Racing, 6; 8.º, Red Bull KTM Factory Racing, 5; 8.º, Petronas Yamaha SRT, 4

Moto2 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 31 pontos; 2.º, ELF Marc VDS Racing Team, 27; 3.º, Sky Racing Team VR46, 17; 4.º, Federal Oil Gresini Moto2, 16; 5.º, Italtrans Racing Team, 10; 6.º, Petronas Sprinta Racing, 9; 7.º, Liqui Moly Intact GP; 8; 8.º, Pertamina Mandalika SAG Team, 8; 9.º, MB Conveyors Speed Up, 6; 10.º, American Racing, 5; 11.º, Inde Aspar Team, 3.

Moto3 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 45 pontos; 2.º, Gasgas Gaivota Aspar, 22; 3.º Petronas Sprinta Racing, 16; 4.º, Avintia Esponsorama Moto3, 14; 5.º, Indonesian Racing Gresini Moto3, 11; 6.º, SIC58 Squadra Corse, 8; 7.º, CIP Green Power, 8; 8.º, Carexpert Pruestel GP, 8; 8.º, Steril Garda Max Racing Team, 5; 9.º, Rivacold Snipers Team, 3

Próxima prova – Tissot Grand Prix of Doha, dia 4 de Abril, no Losail International Circuit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *