Martim Marco ficou à porta do pódio em Tarancón

Nas duas provas disputadas em Tarancón, município espanhol da província de Cuenca, comunidade autónoma de Castilla-La Mancha, o piloto de Coimbra “sobreviveu” com muita determinação às contrariedades vividas. Na primeira corrida terminou no 4.º posto, depois de recuperar sete posições e, na segunda, teve menos sorte e finalizou no 16.º lugar.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@auto.look2010@gmail.com)

A segunda jornada dupla do Campeonato Espanhol de Mini Velocidade e Cuña de Campeones levou a emoção ao Circuito DR7, localizado na cidade de Tarancón, em Cuenca, em que a categoria de Moto5 foi a mais disputada e com o ceptro debaixo de olho dos jovens pilotos.

Na primeira corrida, e com Adrián Covarrubias, Kerman Martínez e Carlos Cano a ficarem “fora de jogo”, embora este último tenha conseguido recuperar o tempo perdido e terminar na sétima posição, o triunfo sorriu a José Durán, secundado por Miguel Rodríguez e Kristian Daniel, em segundo e terceiro, respectivamente.

Também em maré de felicidade esteve o “Foguete de Antanhol”. O piloto de Coimbra, que partiu da 11.ª posição da grelha de partida, estabeleceu uma estratégia que lhe permitiu, paulatinamente, trepar na pauta classificativa, exibindo, no final, um excelente quarto lugar.

«O Circuito DR7 não foi nada fácil para as duas dezenas de pilotos da categoria de Moto5. Durante os treinos livres de sábado fomos experimentando diferentes afinações na moto e, no domingo, consegui baixar para o segundo 55, um segundo menos registado no dia anterior, levando-me para a 11.ª posição da grelha de partida», conferiu o piloto conimbricense.

«Parece uma grande discrepância, mas até ao 14.º lugar estávamos todos no segundo 55, ou seja avizinha-se uma corrida bastante disputada, até pelo simples facto de estarmos perante um circuito muito difícil de ultrapassar. Mesmo assim, consegui recuperar sete posições e terminar em quarto, depois de muito lutar em que estive n iminência de cair por duas vezes», sublinhou Martim Marco.

Na segunda corrida, Adrián Covarrubias, Carlos Cano e Kerman Martínez iniciaram-na ao ataque, até que este último não evitou uma queda e deixou o caminho aberto aos dois primeiros para se travarem de razão pelo triunfo. Carlos Cano acabou mesmo por cruzar a linha de chegada em primeiro, mas foi “obsequiado” com uma penalização por ter ultrapassado com bandeira amarela, fazendo-o perder a posição de vencedor, entregando a vitória de bandeja para Adrián Covarrubias, com David González a terminar no lugar mais baixo do pódio.

Por seu turno, Martim Marco, que voltou a sair da 11.ª posição da grelha de partida, partiu como um “foguete” na ansiedade de recuperar posições, mas na terceira volta ao traçado de DR7 não evitou uma queda e perdeu tempo precioso.

«Foi uma corrida bastante acidentada. A queda produziu um efeito nefasto, uma vez que fui obrigado a passar pelas boxes para reparar o guiador que estava enxotado ao quadro e não conseguia pilotar. Apesar do incidente, ainda consegui voltar à corrida e terminar na 16.ª posição, deixando um agradecimento particular ao Manu Mir-imr Sevilla e a toda a minha equipa M24 Competicion pelo trabalho desenvolvido durante o fim-de-semana, especialmente quando passei pelas boxes e solucionaram o problema rapidíssimo. Obrigado a todos os amigos e familiares que me apoiam. Para a próxima será melhor», confidenciou o jovem piloto de Coimbra de apenas 11 anos de idade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: