Martim Marco brilhou em MotorLand Aragón

A quinta prova pontuável para o Campeonato Espanhol de Velocidade ESBK decorreu no circuito de Aragão, com o jovem conimbricense a rodar na máxima confiança. Depois do 9.º lugar no primeiro dia, o terceiro lugar na segunda incursão ao traçado traduz na perfeição a ambição do “foguete de Antanhol”, apenas penalizado por menos 0,500 gramas no final…

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

«Durante os dias de competição senti-me confortável e, sempre que entrava em pista, ganhava mais confiança. Finalmente, consegui “entender-me” com a minha prémoto3, trabalhando como um só, sabendo de antemão que iria ser exaustivo. Foi uma adaptação primorosa, dado que a moto é nova e a categoria também, mas com trabalho tudo se resolve», foram estas as palavras de Martim Marco no final da jornada do fim-de-semana no traçado de MotorLand Aragón.

O jovem piloto de Antanhol revelou que na primeira corrida qualificou-se no nono lugar, posição que manteve, rodando de forma consistente e apurar o “feeling”, situação evidenciada na segunda corrida com a recuperação de seis posições e culminar no degrau mais baixo do pódio.

«Obviamente que fiquei bastante contente. Todo o trabalho feito estava ali espelhado… Arranquei de nono e tive de lutar até chegar ao terceiro lugar, com uma corrida muito exigente do ponto de vista físico e sempre a rodar entre os mais rápidos. Tratou-se de uma prestação muito consistente e, ainda por cima, a enfrentar 40 graus de temperatura», sustentou Martim Marco.

No fim da corrida, o piloto conimbricense manifestou contentamento a rodos, com o sentimento do dever cumprido: «Agora sim. Consegui colocar a minha moto onde pretendíamos, um desejo extensível à minha equipa, pequena mas muito boa, num campeonato onde o nível é altíssimo».

Contudo, o infortúnio bateu à porta do “foguete de Antanhol. De acordo com o piloto, no final fomos desclassificados, penalizados com menos de 500 gramas no peso do conjunto piloto e moto: «Como é possível? Sim, como é possível? A minha moto chegou ao parque fechado, seca, praticamente sem gasolina e, claro que perdi peso durante a corrida, pois estavam cerca de 40 graus e durante 12 voltas sem parar», interrogou-se.

«No fim de contas, é uma sensação um pouco agridoce, mas levo comigo o sentimento de dever cumprido, eu, a minha moto e a minha equipa. Estamos todos de parabéns e, depois de um fim de semana de calor intenso, sei que fizemos o melhor possível», acrescentou Martim Marco.

De qualquer modo, o “foguete de Antanhol” diz «estar bastante contente com o resultado obtido e com a minha prestação…. Obrigado à minha família, à minha equipa, aos meus amigos e patrocinadores, vamos, com toda a naturalidade, seguir juntos».

O piloto Alves Bandeira, Yamaha Motor, Pedro Almeida (BRC), MM15 Riders Academy, Funpark, MM15, Clube de fãs Martim Marco, FMP – Federação de Motociclismo de Portugal, BEON, Lucas Performance, SHOEI Europe, SHOEI Helmets, António Lopes Fernandes Teodoro, Pakosta37 Riders Factory, AB Lubs, Município de Coimbra, Escola de Música Compasso Divertido, autolook.pt, União de Freguesias de Assafarge e Antanhol, Leopack, Ld.ª, ESBK, Road To MotoGP e Martim 15 já só pensa no próximo compromisso e manter a chama acesa para alcançar novos desafios com sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.