Mark L foi ver a F1 na Holanda e acabou preso

Confundido com um chefe da máfia italiana, inglês teve armas apontadas a sua cabeça, os agentes vendaram-lhe os olhos e levaram-no para uma prisão de máxima segurança.

(auto.look2010@gmail.com)

Matteo Messina Denaro está fugindo desde 1993

Um britânico ganhou uma história, nada agradável, para contar aos netos, após ter-se deslocado aos Países Baixos para ver uma prova de Fórmula 1. Mark L (nome que está a ser tratado pela comunicação social inglesa) resolveu levar o filho para ver o GP da Holanda no circuito de Zandvoort mas estava longe de imaginar como iria acabar o dia: detido na prisão de maior segurança dos Países Baixos. A história é contada pelo jornal espanhol “Marca”.

Após ver Max Verstappen vencer em casa, à frente do campeão Lewis Hamilton, o britânico, o filho e um amigo foram até Het Pleidooi, um restaurante em Haya. A meio da refeição, entrou um grupo de agentes policiais, num grande aparato digno de filme de acção: Mark L teve armas apontadas a sua cabeça, os agentes vendaram-lhe os olhos e levaram-no para uma prisão de máxima segurança.

«De repente chegaram sete carros da polícia, oficiais armados. Nem sequer ligaram antes de virem. Realmente, não foi normal», contou o dono do restaurante, espantado com tudo o que assistiu.

A verdade é que as autoridades holandesas confundiram o britânico natural de Liverpool com Matteo Messina Denaro, um mafioso italiano, procurado desde 1993. Pouco tempo depois, o Governo holandês assumia o erro, num comunicado à imprensa, após confirmar a identificação de Mark L.: «O detido declarou ser um cidadão inglês e não a pessoa reclamada por Itália. O resultado da investigação, que se levou a cabo mediante um procedimento rápido, deu um resultado negativo».

Todo o aparato foi resumido da seguinte forma pelo advogado do britânico: «Imagina o que é estares num momento a comer e no outro estás sentado numa prisão de segurança máxima holandesa. É como um filme de terror, um pesadelo no qual o meu cliente se viu envolvido».

Matteo Messina Denaro, o “Capo di tutti capi” da Cosa Nostra, é siciliano e tem um mandado de captura internacional desde 1993. Ele também é conhecido como Diabolik – apelido que ganhou de um ladrão incognoscível em uma história em quadrinhos – e é visto como o sucessor de dois padrinhos da máfia presos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *