Mário Patrão travado com avaria na moto

Piloto de Seia da KTM Factory Racing foi obrigado a parar a fim de tentar solucionar o problema, fazendo-o perder muito tempo e condicionando-o a alcançar uma melhor posição.

(auto.look2010@gmail.com)

Mário Patrão concluiu a terceira etapa do Rali Dakar 2020 que hoje se disputou em torno da cidade de Neom. O piloto apoiado pelo Crédito Agrícola conseguiu contornar as adversidades desta jornada que conduziu a comitiva junto à fronteira com a Jordânia e que se revelou particularmente difícil.

A etapa que deveria ser de 427 km cronometrados foi reduzida e apenas contabilizada até ao km 389 por decisão da organização, devido a um problema técnico que afectou o GPS das motos. Para além disso, e tal como no dia anterior, também na etapa de hoje, o roadbook impresso a cores foi distribuído aos pilotos poucos minutos antes do arranque da corrida, o que diminuiu substancialmente o tempo de preparação para a corrida do dia. Por último, um problema na moto do piloto da KTM Factory Racing também apoiado pela Bahco obrigou Mário Patrão a parar, a fim de tentar solucionar o problema, fazendo perder muito tempo, não lhe permitindo alcançar uma melhor posição.

O piloto também apoiado pela Lusíadas Saúde explicou que «a etapa teve imenso pó, e foi bastante dura, mas após o abastecimento de gasolina, a minha mota parou por completo». «Não tive quedas, nem embati contra nenhum obstáculo. Rapidamente percebi “in loco” que teria de desmontar a moto toda e perceber o que se passava. Estive mais de 1h30m a tentar solucionar o problema, tive que me acalmar e concentrar-me para encontrar a falha, mas por fim e com um raio de sorte consegui encontrar o problema eléctrico e resolvi-o ali mesmo, no meio do pó, dos carros, camiões, com o pouco que tinha à mão, mas felizmente consegui chegar em segurança ao bivouac, este é o espírito do Dakar. Foi um enorme desgaste, mas amanhã será um outro dia, e necessariamente terá de ser melhor», sustentou Mário Patrão.

Amanhã disputa-se a quarta etapa que ligará Neom a Al-Ula ao longo de uma especial de 453 km. O piloto apoiado pelo Hotel Abrigo da Montanha vai poder contar com pistas de areia e gravilha. A navegação será também extremamente importante, numa etapa que vai passar junto ao templo dos Nabateus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: