Mário Patrão no desafio mais extremo do Dakar

Piloto de Seia está na Arábia Saudita preparado para disputar o Rally Dakar, em quase tudo diferente dos anteriores, na medida em que inscreveu-se na categoria “Original by Motul”, a mais desafiante da prova, na qual os pilotos não podem usufruir de qualquer tipo de assistência externa.

(auto.look2010@gmail.com)

Esta será a oitava participação de Mário Patrão no rali mais duro do mundo depois de ter estado ausente da anterior edição do Rali Dakar devido a uma fractura no fémur, que o piloto apoiado pelo Crédito Agrícola contraiu a pouco mais de três semanas do arranque prova rainha do TT.

Depois de seis longos meses de recuperação que o obrigaram a manter-se afastado das competições, Mário Patrão, piloto patrocinado pela Lusíadas Saúde, regressou a tempo de conquistar o Campeonato Europeu de Bajas, revalidar o título de Campeão Nacional de Rally Raid e ainda de vencer o Tunísia Desert Challenge.

Com 27 títulos de campeão nacional em diversas disciplinas e categorias e ainda com várias medalhas de ouro internacionais Mário Patrão, piloto apoiado pela Bahco que vai ostentar o número 33, é também um mecânico experiente e reúne as bases para poder disputar o Dakar cumprindo o sonho há muito aguardado.

«Este é para mim um sonho adiado. Sempre quis fazer o verdadeiro Dakar, sem o apoio das equipas de fábrica/assistência. Para mim foi complicado não poder disputar a anterior edição. Ontem fiz o teste PCR e, felizmente deu negativo. O primeiro obstáculo já foi superado. O receio é sempre grande. Tive seis meses muito difíceis, ausente, lesionado, mas tenho trabalhado muito para estar aqui a 100%», referiu Mário Patrão.

«Estou confiante, embora saiba que vou disputar uma classe muito desafiadora, que envolve saber gerir bem vários aspectos: mecânica, condução, moto. Só dependerei de mim próprio. O meu principal objectivo no Dakar 2022 é terminar a competição e superar-me. Vamos ver como corre, porque a Arábia Saudita encerra sempre um Dakar imprevisível», revela o piloto de Seia, também patrocinado pelo Hotel Abrigo da Montanha que, em 2016, alcançou o seu melhor resultado na prova: classificou-se como o melhor da classe Maratona e alcançou o 13.º lugar da geral.

O Rally Dakar disputa-se pelo terceiro ano consecutivo na Arábia Saudita. Esta que é a maior e mais importante prova de todo-o-terreno a nível mundial arranca a 1 de Janeiro e termina dia 14. Os pilotos terão de cumprir um total de 8.177 quilómetros, divididos num prólogo de 19 km e doze etapas com um dia de descanso pelo meio. 4.258 Km serão cronometrados, menos 500 do que na edição anterior, mas com mais areia e dunas no caminho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.