Márcio Marreiros revalida título no CSR

A vitória no Rali Casinos do Algarve possibilitou o passaporte à dupla Márcio Marreiros e Rui Serra alcançar o título de campeã no Campeão Sul de Ralis. Tratou-se da sexta vez que a formação portimonense inscreveu o nome da lista de laureados nesta competição.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Assim na terra como no asfalto. Ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo IX, Márcio Marreiros e Rui Serra voltaram a resplendecer no Rali Casinos do Algarve e levar para casa a coroa de conquistadores no Campeonato Sul de Ralis. Um sucesso que começou a ser desenhado muito cedo, apenas claudicando na abordagem da especial Nave Redonda que, curiosamente, cedeu a liderança para o piloto Carlos Gonzalez.

O piloto espanhol, navegado pela compatriota Maria Porras, nunca se deu por vencido na prova do Clube Automóvel do Algarve, independentemente de ter sido a sua estreia em provas lusitanas. Com uma condução muito ágil e, ao mesmo tempo, ofensiva, Carlos Gonzalez superou as expectativas, mas na abordagem da especial de Monchique foi “travado” por uma pedra disposta no local onde ocorreu o acidente de José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroën C3 R5), a qual foi interrompida. A referida pedra esteve na base de uma das rodas soltar-se e a pressão exercida sobre os campeões do Campeonato Sul de Ralis nunca foi a mesma porque deixou de existir a partir do momento do abandono da jovem dupla espanhola.

Indiferentes a tudo isto, Márcio Marreiros e Rui Serra continuaram com sentido de responsabilidade em levar o Mitsubishi Lancer Evo IX ao final, acabando por lograr um triunfo tranquilo, com o tempo de 41m13,6s, relegando para a segunda posição Ricardo Filipe e Fernando Almeida, em Mitsubishi Carisma GT.

João Bica, navegado por Carlos Santos, que chegou a rodar na segunda posição, viu-se envolvido com alguns problemas no Mitsubishi Lancer Evo IX, acabando por ocupar o lugar mais baixo do pódio, a 1m09,5 do vencedor e a somente 8,6s do lugar intermédio, uma dupla que, todavia, deixou também uma excelente imagem.

Depois de muito porfiar, Vítor Vilela, que faz equipa com Edgar Gonçalves, conduziu o Citroën C2 R2 ao quarto lugar da geral, a 3m03,7s dos vencedores, mas ficou a consolação de ter sido a formação mais rápida entre as Duas Rodas Motrizes. Neste contexto, Vítor Vilela não desperdiçou a oportunidade para, em “campo aberto”, vencer esta categoria com relativa facilidade, sobretudo depois da dupla João Monteiro e Gonçalo Assunção terem abandonado na véspera com mais uma transmissão partida no Renault Clio 2.0.

Na quinta posição terminou a dupla irlandesa Richard Hall e Rory Kennedy, em Ford Escort MK 2 RS1800, com o piloto do Cartaxo, Luís Mota, navegado por Alexandre Ramos, conduzir o Mitsubishi Lancer Evo VI ao sexto posto da geral e a sair da Praia da Rocha com o título nacional de clássicos.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação