Marc Márquez falha última corrida de MotoGP

Problemas de visão afastam o piloto espanhol para o Grande Prémio de Valência, no domingo, 18.ª e última prova do Mundial de motociclismo de velocidade.

(auto.look2010@gmail.com

O espanhol Marc Márquez (Honda), seis vezes campeão do mundo de MotoGP, vai falhar o Grande Prémio de Valência, no domingo, 18.ª e última prova do Mundial de motociclismo de velocidade, devido a lesão.

O piloto natural de Cervera, de 28 anos, sofreu uma queda em 30 de Outubro, quando treinava fora de pista para o Grande Prémio do Algarve, que se disputou no domingo, da qual resultou uma concussão cerebral. Depois de uma semana de repouso em casa, Marc Márquez continuou a sentir-se indisposto e com problemas de visão.

O piloto foi visto pelo oftalmologista Sánchez Dalmau, no Hospital Clínic de Barcelona, que diagnosticou um novo episódio de diplopia (visão dupla): «Os exames realizados a Marc Márquez confirmaram que o piloto tem diplopia e revelaram que tem uma paralisia do quarto nervo direito, com envolvimento do músculo oblíquo direito superior. Foi escolhido um tratamento conservador, com actualizações periódicas», explicou o médico espanhol, em comunicado divulgado pela equipa.

O mesmo clínico revelou, ainda, que «este quarto nervo é o mesmo que o piloto já tinha danificado em 2011». Este é o mesmo tipo de lesão sofrida, também, pelo piloto português Tiago Monteiro, devido ao acidente que teve na pista de Barcelona, em 2017, quando se despistou a 265 km/h.

Além da última prova da temporada de MotoGP, Marc Márquez vai ainda falhar os dois dias de testes marcados para 18 e 19 de Novembro, em Jerez de la Frontera, também em Espanha.

«São momentos muito difíceis. Ontem (segunda-feira), após visitar o dr. Sánchez Dalmau, confirmou-se um novo episódio de diplopia, com paralisia do quarto nervo direito, igual ao que sucedeu em 2011. Tenho de ter paciência, que passe tempo e ver a evolução, mas uma coisa aprendi na vida, que é enfrentar as adversidades com otimismo», escreveu Marc Márquez.

O espanhol, campeão do mundo em 2013, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019, esteve praticamente todo o ano de 2020 afastado das pistas, após ter fracturado o úmero direito na primeira prova de 2020, em Jerez de la Frontera, em Julho, e regressou à competição na terceira etapa do Mundial de 2021, em Portimão.

Acabou por falhar a segunda corrida no Algarve, depois de duas vitórias consecutivas, nos Estados Unidos e em Itália, após o triunfo inicial na Alemanha, em Junho, ocupando actualmente o sexto lugar da classificação de pilotos, com 142 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *