Marc Marquez ausente na República Checa

O alemão Stefan Bradl é o substituto escolhido pela Honda para ocupar o lugar do piloto espanhol no Grande Prémio da República Checa, terceira prova do Mundial de MotoGP, a realizar domingo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Após as duas corridas, realizadas no traçado andaluz de Jerez de la Frontera, ganhas pelo francês Fabio Quartarato (Yamaha), o “Mundial” de MotoGP regressa à acção no traçado checo de Brno, onde a expectativa reside na possibilidade do campeão do mundo, o espanhol Marc Marquez (Honda) regressar à pista, depois da fractura do úmero direito, verificada em consequência de uma queda nas derradeiras voltas da primeira corrida em solo espanhol.

Apesar dos escassos dias que mediaram entre a operação, em que lhe colocaram 12 parafusos no braço, Marc Marquez tentou voltar à pista na semana seguinte, mas entendeu que não estava em condições e optou por não alinhar na segunda corrida, para ter mais tempo de recuperação até este fim-de-semana.

Mas as esperanças do piloto espanhol “morreram” na segunda-feira, dia em que voltou a ser operado para colocação de uma nova placa de titânio, uma vez que a primeira tinha sofrido danos por causa da acumulação de “stress”. Assim sendo, parece ser cada vez mais difícil a manutenção do ceptro por parte do piloto espanhol.

Caberá ao alemão Stefan Bradl, piloto de testes da marca japonesa, que já o ano passado tinha rendido o espanhol Jorge Lorenzo em quatro corridas, substituir o campeão do mundo, no traçado checo, restando saber se a recuperação de Marc Marquez lhe permitirá alinhar nas duas corridas austríacas, marcadas para os dois próximos fins-de-semana, ou se o seu regresso às pistas só acontecerá a 13 de Setembro em Misano, palco do Grande Prémio de San Marino.

Refira-se que o alemão, antigo campeão de Moto2, competiu em quatro rondas do campeonato de 2019 – então em substituição do espanhol Jorge Lorenzo, lesionado –, tendo conseguido um 10.º lugar como melhor classificação, no GP da Alemanha.

«Antes de mais, gostaria de desejar rápidas melhoras ao Marc (Márquez). Aquilo que ele fez em Jerez foi incrível e demonstrou que tem o verdadeiro espírito de campeão», disse Stefan Bradl. O alemão mostrou-se «ansioso por pilotar a Honda outra vez», considerando que «vai ser um desafio».

Embalado pelas duas vitórias em Jerez, Fabio Quartararo vai procurar manter a invencibilidade e somar terceira vitória consecutiva, para fugir aos seus perseguidores e assumir o papel de principal candidato à sucessão de Marc Marquez, algo que, no início da temporada, não parecia possível.

Duas vezes segundo, o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) é o mais directo perseguidor do francês e está apostado em quebrar a invencibilidade do piloto gaulês para manter a esperança de poder chegar ao título.

Afastado da segunda corrida de Jerez, em consequência de uma queda, logo na primeira curva, depois de ter alcançado a melhor posição (5.º) na grelha desde que ascendeu à categoria máxima do motociclismo mundial, o português Miguel Oliveira não esconder estar «ansioso por voltar a correr e, depois do que sucedeu da prova anterior, sinto que é tempo de redenção, o que pode suceder em Brno, que é um circuito de que gosto e no qual tive boas sensações».

Se a categoria rainha vai cumprir a terceira prova, os “Mundiais” de Moto2 e Moto3 vão estar pela quarta vez em pista, por terem alinhado na corrida de abertura, no Qatar, antes da paragem das competições.

Em Moto2 cinco pontos separam os três primeiros, o japonês Tetsuta Nagashima (Kalex), os italianos Enea Bastiannini (Kalex) e Luca Marini (Kalex) vencedores das três primeiras corridas, com o japonês a ganhar no Qatar, Luca Marini a triunfar na primeira corrida em Jerez e Enea Batiannini na segunda, onde o seu compatriota foi segundo, mas penalizado por ter ficado em branco na corrida de abertura.

Em Moto3, e apesar de não ter pontuado na última corrida, o espanhol Albert Arenas (KTM), vencedor das duas primeiras corridas, chega à República Checa no comando do campeonato, com o japonês Tatsuki Suzuki (Honda), que ganhou a última corrida, e o inglês John McPhee (Honda) como os seus mais directos perseguidores, para uma corrida que, como quase sempre, será decidida em cima da meta.

 

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Fábio Quartararo, 50 pontos; 2.º, Maverick Viñales, 40; 3.º, Andrea Dovisioso, 26; 4.º, Takaaki Nakagami, 19; 5.º, Pol Espargaro, 19; 6.º, Valentino Rossi, 16; 7.º, Jack Miller, 13; 8.º, Alex Marquez, 12; 9.º, Johann Zarco, 12, 10.º, Franco Morbidelli, 11; …; 13.º, Miguel Oliveira, 8. Estão classificados mais seis pilotos

Moto2 – 1.º, Tetsuta Nagashima, 50 pontos; 2.º, Enea Bastianini, 48; 3.º, Luca Marina, 45; 4.º, Aron Canet, 30; 5.º, Lorenzo Baldassarri, 28; 6.º, Jorge Martin, 26; 7.º, Sam Lowes, 26; 8.º, Reny Gardner, 22; 9.º, Xavi Vierge, 21; 10.º, Mauro Bezzecchi, 20. Estão classificados mais 14 pilotos

Moto3 – 1.º, Albert Arenas, 50 pontos; 2.º, Tatsuki Suzuki, 44; 3.º, John McPhee, 40; 4.º, Ai Ogura, 36; 5.º, Gabriel Rodrigo, 30; 6.º, Celestino Vietti, 27; 7.º, Raul Fernandez, 26; 8.º, Tony Arbolino, 23; 9.º, Jaume Masia, 19; 10.º, Jeremy Alcobia, 19. Estão classificados mais 14 pilotos

MARCAS

Moto GP – 1.º Yamaha, 50 pontos; 2.º, Ducati, 26; 3.º, Honda, 19; 4.º, KTM, 19; 5.º, Suzuki, 11; 6.º, Aprilia, 5

Moto2 – 1.º Kalex, 75 pontos; 2.º, Speed Up, 32; 3.º, MV Agusta, 13; 4.º, NTS, 5

Moto3 – 1.º KTM, 66 pontos; 2.º, Honda, 65; 3.º, Husqvarna, 10

EQUIPAS

MotoGP – 1.º Petronas Yamaha SRT, 61 pontos; 2.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 56; 3.º, Ducati Team, 33; 4.º LCR Honda, 22; 5.º, Pramac Racing, 22; 6.º, Red Bull KTM Factory Racing, 22; 7.º, Hublot Reale Avintia Racing, 17; 8.º, Team Suzuki Ecstar, 17; 9.º, Repsol Honda Team, 12; 10.º, Red Bull KTM Tech3, 8; 11.º, Aprilia Racing Team Gresini, 5

Moto2 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 76 pontos; 2.º, Sky Racing Team VR46, 65; 3.º, Italtrans Racing Team, 48; 4.º, Open Aspar Team Moto2, 40; 5.º, Flexbox HP 40, 32; 6.º, EG 0,0 Marc VDS, 32; 7.º Liqui Moly Intact GP, 30; 8.º, Petronas Sprinta Racing, 23; 7.º, Onexox TKKR SAG Team, 22; 10.º, Tennor American Racing, 14; 11.º, MV Agusta Forword Racing, 14; 15.º, Beta Tools Speed Up, 13; 16.º, Federal Oil Gresini Moto2, 6; 17.º, NTS RW Racing GP, 5

Moto3 – 1.º, Solunion Aspar Team Moto3, 56 pontos; 2.º, SIC58 Squadra Corse, 52; 3.º, Kommerling Gresini Moto3, 49; 4.º, Petronas Sprinta Racing, 40; 5.º, Sky Racing Team VR46, 40; 6.º, Honda Team Ásia, 36; 7.º, Red Bull KTM Ajo, 33; 8.º, Rivacold Snipers Team, 31; 9.º, Leopard Racing, 26; 10.º, Estrella Galicia 0,0, 20; 11.º, CIP Green Power, 13; 12.º, Sterilgarda Max Racing Team, 12; 13.º, Red Bull KTM Tech 3, 9; ; 14.º Reale Avintia Moto3, 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: