Mais de 10 mil pessoas no 1.º dia no Baixo Mondego Motorfestival

A tradição ainda é o que era e a equipa do Asphalt Emotion Club, depois de dois anos afastado dos grandes eventos devido à pandemia, ressurgiu com dose reforçada e catapultou o Baixo Mondego Motorfestival para um patamar de excelência.

(auto.look2010@gmail.com)

Um dos mitos mais comuns é o de que um gato tem sete vidas. O que não é mito é o facto do Asphalt Emotion Club “sobreviver” ao período da Covid-19 e colocar de pé a sétima edição do Baixo Mondego Motorfestival. O início deste novo ciclo, que teve o Centro Náutico de Montemor-o-Velho a servir de pano de fundo, foi simplesmente fantástico, com mais de 10 mil pessoas a fazer parte integrante da festa no primeiro dia e noite do certame.

Um dia e uma noite verdadeiramente mágica, ainda com algumas regras aplicadas ao espaço e aos presentes, mas perante uma plateia diversificada e interessada para ver “in loco” o reportório preenchido por alguns dos pilotos mais popularizados da disciplina de Drift.

Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, apanhou “boleia” do piloto José Magalhães que aos comandos de um potente Nissan 350Z, fez algumas “traquinices” na pista, deixando o edil num “oito”, porque o traçado foi desenhado em formato desse mesmo algarismo.

Pelo meio, o público foi convidado a entrar na dimensão das viaturas expostas no salão automóvel na extensa área interna do Centro Náutico de Montemor-o-Velho. Naquele espaço de eleição é possível admirar e, quiçá, adquirir, viaturas com motor a combustão ou modelos eletrificados.

São inúmeras viaturas expostas que vale a pena uma visita a este evento, organizado de forma prática e eficiente. E também pelas memórias que certas e determinadas viaturas produzem nas suas mais variadas vertentes, dos novos aos clássicos, passando pelos de competição, traduzido no aumento exponencial na formação de empresas especializadas nos territórios de Montemor-o-Velho, Carapinheira e Tentúgal.

Já no exterior, paredes-meias com a pista e Drift, é possível viajar por várias épocas do foro meramente desportivo, empolgando os mais entusiastas, onde se perfilam, entre outros, o Kartcross Semog de Luís Ascenso, que alinhou no Campeonato Nacional da especialidade, o Mitsubishi Lancer Evo IX de Luís Simões e Filipe Oliveira.

Outro momento marcante da noite foi o emblemático concerto da dupla Bad Monkeyz, com uma evocação do nascer do dia e onde o público não arredou pé, empolgado pelo ritmo e os acordes de músicas bem conhecidas. Uma noite que encerrou de forma perfeita, quase épica, a anunciar par mais um dia de emoções fortes.

É aqui que o Asphalt Emotion Club desenvolve uma das suas melhores performances, o seu inegável “serviço público”, ao tornar visível, o que para muitos, é apenas território desconhecido, em valor acrescentado de atração turística e económica.

Para este domingo, a entrada das viaturas para exposição no Baixo Mondego Motorfestival 2022 abre-se às 9h00 para, uma hora mais tarde, iniciarem-se os treinos do Drift. Para as 11h00 está prevista a chegada Abarth Club Lusitano, e às 12h00, encerra a entrada de viaturas para a exposição.

Depois do almoço, as “aventuras e peripécias” regressam com o Drift Show, às 14h00. Durante duas horas, os “magos” da especialidade entretém o público em redor da pista, onde não faltam bancadas para o melhor conforto para apreciar as mil e uma manobras de inspiração.

Às 16h00 terá início outro momento de suster a respiração com o “Motorshow by Marco Martin’s. Trata-se de uma exibição verdadeiramente apoteótica ao volante de um sumptuoso MG Metro 6R4 Proto. Um espetáculo a não perder com Marco Martin’s, um piloto de renome nacional e internacional, reforçado a qualidade intrínseca do Baixo Mondego Motorfestival 2022.

O encerramento da pista está agendada para as 18h30, seguindo-se, meia hora depois, a cerimónia da entrega de lembranças e encerramento do certame ao público pelas 20h00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.