Maio, Vale e Guerreiro arrancam na frente

Campeão nacional das motos foi o mais rápido no prólogo. João Vale e Luís Fernandes separados por menos de quatro segundos e, Gonçalo Guerreiro, bateu Hélder Rodrigues por 3,3 segundos nos SSV.

(auto.look2010@gmail.com)

João Vale (Quads)

A Baja Oeste 2022 já começou. No dia deste sábado, motos, quads e SSV entraram em competição nesta que é a segunda edição da prova organizada pela Escuderia Castelo Branco. Os pilotos começaram a explorar as pistas da região Oeste num prólogo ganho por António Maio, nas motos, por João Vale, nos quads, e por Gonçalo Guerreiro, nos SSV.

Entre as duas rodas, o campeão nacional em título impôs-se aos comandos da Yamaha WR 450. O piloto alentejano foi o mais lesto ao longo dos 6,5 km do percurso de abertura e deixou Gustavo Gaudêncio (Honda), o segundo mais rápido, a 4,5 segundos de distância. Também em Yamaha, Martim Ventura fechou o dia na terceira posição.

João Vale, com o Yamaha YFZ 450R, conseguiu superiorizar-se, mas apenas ganhou 3,9 segundos ao segundo classificado, Luís Fernandes (Yamaha). Nos quads, o construtor nipónico está a revelar uma superioridade muito grande. Fernando Cardoso fechou em terceiro com uma máquina semelhante às dos dois primeiros. Curiosamente, os 11 mais rápidos apresentam-se todos em Yamaha.

Gonçalo Guerreiro (SSV)

Mais apertado foi o confronto dos SSV. Gustavo Guerreiro marcou presente e mostrou que está de olhos na vitória. O jovem piloto do Can Am XRS foi o único SSV a baixar da marca dos cinco minutos.

Deixou Hélder Rodrigues, em Can Am Maverick XRS RR, a 3,3 segundos. Sébastien Guyenne, em Can Am XRS, por pouco não terminada no lugar de Rodrigues. Mas foi forçado a ceder esse lugar e a ficar com o terceiro posto. A diferença entre os dois foi de apenas 0,1 segundos.

«O prólogo correu muito bem. Estava muito giro. Um traçado técnico. Inicialmente, pensei que tinha mais tração do que tinha realmente. Percebi que estava bastante escorregadio logo após as primeiras curvas. Fiz um prólogo limpo. Queria ganhar para amanhã sair à frente e evitar o pó. Vai, certamente, estar muito pó. Esta prova é totalmente nova para mim. Aliás, andei muito poucas vezes aqui no Oeste. Estou ansioso para saber o que me espera amanhã», afirmou o líder, António Maio.

«É a minha primeira vez em Torres Vedras. Correu bem. Eu gosto destes percursos enrolados. Vamos ter muitos quilómetros. É a corrida mais longa que já fiz. Vamos ter de gerir o andamento para tentar ganhar», esclareceu João Vale.

«Pelos vistos, foi um prólogo bom. Não estava à espera de ganhar porque o terreno estava bastante escorregadio e acho que perdi bastante tempo nas curvas mais apertadas. Creio que também perdi por um erro meu pois fui com pressão mais baixa nos pneus. Foi um ponto importante para quem quer lutar pelo campeonato», disse Gonçalo Guerreiro

A Baja do Oeste continua este domingo. As motos, os quads e os SSV têm dois Sectores Selectivos pela frente, enquanto os automóveis começam a competição com o prólogo durante a manhã e continuam com um sector selectivo à tarde. No total, motos, quads e SSV vão percorrer 225 quilómetros contra o relógio, enquanto os carros competem em 166,5 quilómetros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.