Luta gigantesca pelo 2.º lugar nos automóveis

O francês Stéphane Peterhansel (Mini), navegado por Paulo Fiúza, venceu mais uma etapa do Dakar pela quarta vez este ano e aproximou-se ainda mais da liderança do espanhol Carlos Sainz (Mini). Nas motos, o norte-americano está cada vez mais perto do triunfo, apesar de ter perdido parte da sua vantagem na nona etapa da prova.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Continua ao rubro o duelo entre o francês Stéphane Peterhansel (Mini), navegado pelo português Paulo Fiúza, e o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota), com o francês, que venceu pela 80.ª vez um SS, a bater o qatari por 10” no SS e a reduzir para 6” a diferença entre os dois, à entrada para os derradeiros quilómetros competitivos.

Penalizado por abrir a pista, o espanhol Carlos Sainz (Mini) geriu a vantagem de que dispõe, sem correr riscos, fez o terceiro tempo no SS, perdeu oito minutos para os seus mais directos perseguidores, mas entra para o último SS com pouco mais de 10 minutos de vantagem sobre o duo franco-qatari, margem que deve permitir-lhe averbar o terceiro triunfo na prova, depois dos alcançados em 2010 e 2018.

Destaque para o oitavo tempo, no SS, do espanhol Fernando Alonso (Toyota), depois das cambalhotas da véspera, para o regresso ao “top ten” do chinês Wei Han (Geely) e para a subida de mais um lugar na geral do letão Benediktas Vanagas (Toyota), que é acompanhado pelo português Filipe Palmeiro.

Nas motos, com o norte-americano Ricky Brabec (Honda) a começar a gerir o avanço de que dispõe, o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) que não tinha outra alternativa que não fosse “atacar”, fê-lo, foi o mais rápido no SS, ganhou 11’48” ao norte-americano e reduziu para 13’56”, o atraso em relação ao piloto da marca japonesa, que tem tudo a seu favor para interromper o domínio da KTM, que data de 2001, uma vez que o melhor dos pilotos da marca austríaca, o australiano Toby Price (KTM), vencedor do ano passado, está a mais de 22 minutos do comandante e tem de bater dois adversários no SS final.

António Maio (Yamaha) é o melhor dos três portugueses em prova que, ao que tudo indica, terminarão na primeira metade da tabela.

Nos SSV, o chileno Francisco Lopez (Can-Am) foi o mais rápido, com o norte-americano Casey Currie (Can-Am) a ser apenas sétimo, mas a ter o triunfo na mão face à vantagem de que dispõe, com o zimbabuano Conrad Rautembach (PH-Sport), navegado pelo português Pedro Bianchi Prata, foi terceiro no SS e mantêm o quarto lugar da geral a 19’06” do derradeiro degrau ao pódio.

12.ª ETAPA DESTA SEXTA-FEIRA É DE CONSAGRAÇÃO

Um Sector Selectivo com 167 km encerra, esta sexta-feira, a edição 2020 do Dakar, levando os concorrentes de Haradh a Qiddiya, onde terá lugar a consagração dos vencedores. O facto do SS ser curto deverá fazer com que as diferenças sejam escassas e assim, salvo algum imponderável sempre, possível de suceder numa prova como o “Dakar”, as posições da frente deverão estar definidas, faltando apenas determinar quais as duas posições inferiores do pódio dos automóveis.

Contudo, o regresso a pistas que já foram percorridas e causaram sérias dificuldades na primeira passagem obriga a cautelas redobradas, com o dia a terminar com um SS de 20 km, que não conta para a classificação, que determinará o vencedor do “Qiddyah Trofphy”.

No derradeiro SS, os concorrentes terão de enfrentar 35% de areia, 22% de terra, 30% de asfalto, 3% de pedras e 10% de dunas, podem ser determinantes para o acerto de posições.

CLASSIFICAÇÕES

11.ª ETAPA (379 KM)

MOTOS – 1.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), 4.09’22”; 2.º, Matthias Walkner (KTM), a 9”; 3.º, Luciano Benavides (Honda), a 2’48”; Jose Cornejo (Honda), a 2’53”; 5.º, Toby Price (KTM), a 5’49”; 6.º, Jamie McCanney (Yamaha), a 6’22; 7.º, Franco Caimi (Yamaha), a 7’05”; 8.º, Andrew Short (HUsqvarna), a 8’11”; 9.º, Kevin Benavides (Honda), a 8’48”; 10.º, Ricky Brabec (Honda), a 11’48”; …; 19.º, António Maio (Yamaha), a 25’22”; …; 33.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 1.06’35”; 43.º, Mário Patrão (KTM), a 1.20’25”; …;

AUTOMÓVEIS – 1.º, Stéphane Peterhansel/Paulo Fiúza (Mini), a 4.14’11”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matthieu Baumel (Toyota), a 10”; 3.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), a 8’03”; 4.º, Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 10’14”; 5.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Orlen), a 10’39”; 6.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 12’14”; 7.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 15’14”; 8.º, Fernando Alonso/Marc Coma (Toyota), a 16’25”; 9.º, Wei Han/Min Liao (Geely), a 18’53”; 10.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 23’19”; …; 16.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 35’09”

SSV – 1.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), 4.59’51”; 2.º, Aron Donzela/Maciej Marton (Can-Am), a 10’53”; 3.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 12’36”; 4.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Ca-Am),a 13’14”; 5.º, Jesus Puras/Xavier Blanco (Can-Am), a 14’07”.

GERAL

MOTOS – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 38.33’28”; 2.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 13’56”; 3.º, Toby Pryce (KTM), a 22’34”; 4.º, Matthias Walkner (KTM), a 29’53”; 5.º, Jose Cornejo (Honda), a 32’36”; 7.º, Luciano Benavides (KTM), a 35’18”; 7.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 45’09”; 8.º, Franco Caimi (Yamaha), a 1.39’14”; 9.º, Skyler Howes (Husqvarna) a 1.59’29”; 10.º, Andrew Short (Husqvarna), a 2.06’36”; …; 27.º, António Maio (Yamaha), a 6’07’15”; …; 31.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 8’25’53”; 32.º, Mário Patrão (KTM), a 8.28’40”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 41.37’51”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matthieu Baumel (Toyota), a 10’17”; 3.º Stéphane Peterhansel/Paulo Fiúza (Mini), a 10’23”; 4.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 47’57”; 5.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 1.06’34”; 6.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 1.12’55”; 7.º, Bernard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 1.17’50”; 8.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 1.57’32”; 9.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 3.44’41”; 10.º, Wei Han/Min Liao (Geely), a 3.45’07”; …; 16.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 6.58’52”.

SSV – 1.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), 51.39’32”; 2.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 45’33”; 3.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), a 57’32”; 4.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 1.16’38”; 5.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Can-Am), a 1.18’32”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: