Luís Fernandes e Flávio Sainhas triunfam em Mêda

A 4.ª edição da rampa organizada pelo Guarda Unida proporcionou um espetáculo animado ao muito público que se deslocou ao concelho do planalto beirão. Luís Fernandes impôs o seu Peugeot na competição regional, enquanto o consagrado Flávio Sainhas, navegado por Miguel Sainhas, levou o Ford Escort MKI ao triunfo na Regularidade Sport.

(auto.look2010@gmail.com)

Dezena e meia de equipas corresponderam ao desafio do clube Guarda Unida, neste regresso da agremiação às organizações, após um interregno superior a um ano, mercê do surto pandémico que atravessamos. À sua espera estava um interessante traçado de pouco mais de três quilómetros e meio, entre Longroiva e a cidade de Mêda, que registou uma excelente moldura humana, apesar do intenso calor que se fez sentir ao longo de toda a jornada de domingo.

A organização decidiu aumentar o número de subidas previstas, de três para cinco. A manhã foi aproveitada para uma sessão inaugural de “warm-up”, seguida da 1.ª sessão oficial de treinos. Durante a tarde e mercê de um bom ritmo organizativo, decorram mais três subidas, todas a contar para a Regularidade Sport e, no que concerne à Rampa Regional, a primeira a ser mais uma sessão de treinos, com as duas últimas a serem realmente “a doer”, escalonando a classificação final.

Um nome se destacou claramente na refrega da Rampa Regional: Luís Miguel Fernandes. Sempre muito rápido e eficaz aos comandos de um bem preparado Peugeot 106, o piloto rodou sempre num patamar inalcançável para os adversários.

Depois de já ter sido o mais rápido na subida inicial de prova, melhorou a sua marca na segunda e derradeira vez que enfrentou a contar o percurso de Mêda, estabelecendo como melhor marca da rampa 2m22,319s e terminando com 4 segundos de vantagem sobre Bruno Carvalho (Citroën Saxo).

Este por sua vez, garantiu o 2º posto depois de um duelo aceso com Tiago Ferreira (Honda Civic Type R), com este a ser melhor que o adversário na 1.ª subida, mas a claudicar por apenas 38 centésimas na subida final.

No fecho, o vencedor assumia que «foi mais difícil do que aparenta a diferença entre mim e os meus mais diretos adversários». «As subidas correram-me bem, fui sempre muito certo na abordagem das curvas e, felizmente, consegui vencer», sustentou Luís Miguel Fernandes, assumindo que estava «muito feliz e gostaria também de dar os parabéns à organização, que esteve muito bem».

AUTARQUIA HOMENAGEOU FAMÍLIA DE DUARTE “TITO” LOUREIRO

O naipe de pilotos presentes na 4.ª Rampa da Mêda, apresentou um bom nível incluindo alguns nomes que normalmente participam no Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, tais como Ricardo Miguel (Peugeot 106), 4.º colocado, ou do actual campeão nacional de Clássicos Flávio Sainhas, que se inscreveu nas duas frentes competitivas desta prova, onde diz que gostou «muito de participar». «Tem um traçado muito interessante, muito técnico, mas também rápido e escorregadio. Gosto muito desta rampa e sou sempre muito bem recebido aqui», acrescentou.

O craque do Ford Escort MKI teve Miguel Sainhas a seu lado, competindo também na prova de Regularidade Sport, onde venceu de forma clara, numa participação que assumiu «como pura diversão, servindo ainda para manter a actividade e o ritmo». «Não arrisquei nada, até porque dentro de uma semana vou estar na Rampa do Caramulo e tudo farei para conseguir mais uma vitória nos Clássicos», nessa que será a sexta prova da temporada do campeonato maior de Montanha.

Em Mêda, a dupla foi secundada no pódio da Regularidade Sport por Fernando Pereira (Citroën DS3), 2º colocado e Marco Daniel Costa, que colocou o seu Seat Ibiza na terceira posição final.

Destaque para a presença de pilotos locais, com especial destaque para os irmãos Rui e Daniela Loureiro, respectivamente, 5.º e 8.º na competição regional. Os dois são filhos do malogrado Duarte “Tito” Loureiro, personalidade medense que ficou indelevelmente ligado ao nascimento da Rampa da Mêda. Como tal, a Câmara Municipal de Mêda decidiu homenagear a família desse munícipe e funcionário autárquico durante esta edição, perante a emoção e o aplaudo de todos os intervenientes.

ANSELMO DE SOUSA SATISFEITO PELO REGRESSO DA RAMPA

Quanto ao rescaldo desta 4.ª Rampa da Mêda, Anselmo de Sousa, presidente da Câmara Municipal de Mêda, considera que «correu tudo de forma muito positiva. Estamos contentes por ter este evento de regresso, dando assim mais um sinal do esforço que estamos a fazer por regressar ao normal, depois de tudo quanto Mêda e os medenses têm sofrido com a pandemia».

O autarca destaca «o excelente espectáculo, a boa organização e o muito público presente». «É fundamental para o nosso concelho, como para muitos outros do interior, promover as nossas riquezas naturais, patrimoniais, gastronómicas e vinícolas e apostar em eventos que impulsionem a nossa economia», assumindo ainda que «temos muita ambição quanto a esta prova. No futuro queremos que a mesma suba um patamar e venha a pertencer ao campeonato principal da modalidade».

Já António Pissarra, presidente do Guarda Unida, destacou «a alegria que sentimos por estar de regresso às organizações depois de tanto tempo parados. Saímos de Mêda satisfeitos e convictos de que conseguimos estar bem na organização e termos proporcionado ao muito público um bom espectáculo, quer com os pilotos que estiveram nas lutas nas duas competições, quer ainda pelo show fantástico que os pilotos convidados do drift e do kartcross conseguiram colocar em todas as ocasiões em que foram à pista».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *