Luís Almeida estreia-se na terra em Tábua e Ol. Hospital

Depois do excelente resultado conquistado no Rali Medieval Vila de Ourém, em piso de asfalto, o piloto Habimóvel Team AS Racing volta à “carga”, desta vez a fazer equipa com Marco Vilas Boas, mas também em estreia absoluta em piso de terra.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

O Rali de Tábua e Oliveira do Hospital marca o primeiro desafio para Luís Almeida em pisos de terra, da temporada e absoluto, ao volante o Fiat Punto HGT. Trata-se de uma prova importante para o piloto Habimóvel Team AS Racing com as cores AUTOLOOK (“autolook.pt”), que vai dividir o cockpit da viatura da marca italiana com o experiente navegador Marco Vilas Boas.

Com a prova de Ourém a ficar marcada por um excelente resultado, a confirmação pode ter consequências lógicas na competição a desenvolver nos municípios de Tábua e Oliveira do Hospital, superiormente desenhada por MK Makinas e Escuderia Castelo Branco.

Conhecida a competitividade do Fiat Punto HGT no asfalto, Luís Almeida terá a sua primeira experiência competitiva com a viatura em terra no Rali de Tábua e Oliveira do Hospital, marcada, para já, com os pisos bastante enlameados e escorregadios devido à intensa chuva que tem caído insistentemente naquela região do centro do país.

Perante este cenário, é expectável que o piloto Habimóvel Racing AS Team, navegado por Marco Vilas Boas, opte por uma contenção natural de esforços para uma melhor gestão da mecânica do Fiat Punto HGT com o número 10 nas portas.

«Tal e qual como sucedeu em Ourém, com a primeira prova em asfalto, também em Tábua e Oliveira do Hospital, com a estreia em pisos de terra, esteja criada uma ansiedade e expectativa. As especiais estão muito perigosas devido às bátegas de água que têm caído, o que é uma pena, já que o temporal afasta consideravelmente o público dos troços», analisou, a frio, o piloto de Vila Nova de Poiares.

«Naturalmente que vamos optar por realizar um rali de gestão, porque é muito importante chegarmos ao fim e acumularmos quilómetros com o carro na terra, até porque nunca fizemos um teste de preparação neste tipo de pisos», confidenciou Luís Almeida, esperando «contribuir para a propagação dos nossos parceiros».

Sob a organização conjunta de MK Makinas e Escuderia Castelo Branco, o Rali de Tábua e Oliveira do Hospital arranca este sábado, ao final da tarde (19h00), em Oliveira do Hospital, com a caravana a rumar a Tábua, para cumprir uma dupla passagem pela Super Especial de Tábua (1,84 km – 21h55 e 22h10), com a classificação a ser estabelecida em função da soma dos tempos das duas passagens.

Amanhã, domingo, a prova tem início (9h30) e final (15h43) em Tábua, com os concorrentes a terem de cumprir uma dupla passagem pelas especiais de S. João da Boavista/Candosa (13,83 km – 10h00 e 13h45), Oliveira do Hospital (6,45 km – 10h48 e 14h33) e Covas/Midões (8,61 km – 11h26 e 15h11). Refira-se que o centro nevrálgico está instalado na vila de Tábua e a prova conta com uma City Stage em Oliveira do Hospital, este sábado, a partir das 16h30.

 

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação