Lewis Hamilton vence na estratégia

O britânico da alemã Mercedes venceu hoje o Grande Prémio do México, 18.ª prova do Mundial de Fórmula 1, mas o triunfo foi insuficiente para festejar já a conquista do sexto título mundial de pilotos.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes), depois de uma corrida notável, na qual a estratégia da Mercedes foi eficaz, venceu pela 10.ª vez em 18 corridas, e ficou a um sétimo lugar da revalidação do título, caso o finlandês vença em Austin (Estados Unidos).

A corrida voltou a não começar bem para o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) que, depois de ter sido o mais rápido na qualificação, perdeu a “pole position” e foi relegado para o quarto lugar da grelha, em consequência de uma penalização de três lugares, por não ter reduzido o andamento quando a bandeira amarela foi mostrada, por causa do despiste do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes).

Após a partida, logo nas primeiras curvas, Max Verstappen e Lewis Hamilton “tocaram-se”, o pneu traseiro direito do holandês furou, o que o obrigou a uma ida às “boxes”, o relegou para o último lugar, mas efectuar uma notável recuperação, que o levou ao sexto lugar, depois de fazer 70 voltas, com o mesmo jogo de pneus duros.

A penalização de Max Verstappen permitiu à Ferrari monopolizar a primeira linha da grelha, com o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) a ocupar a primeira posição da grelha, à frente do alemão Sebastian Vettel.

À partida os dois Ferrari mantiveram as posições, aproveitaram a confusão provocada por Max Verstappen e “fugiram” e desde logo ficou a sensação que tudo podia ser decidido no jogo da troca de pneus, situação em que a Mercedes, uma vez mais, foi melhor que a concorrência, ao conseguir colocar Lewis Hamilton em posição de ganhar a corrida, mesmo só com uma paragem, quando os homens da Ferrari parassem pela segunda vez, como sucedeu.

Com pneus frescos, Sebastian Vettel tentou nas derradeiras voltas colar-se ao inglês para poder usar o DRS, mas o inglês, apesar de estar com os problemas de pneus, em especial os traseiros, conseguiu garantir a vitória, depois de manter-se sempre com vantagem suficiente para que o alemão não pudesse utilizar o DRS.

Com o terceiro lugar, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) adiou a decisão do título para Austin, mas as suas hipóteses são, meramente, aritméticas.

“Sacrificado” na estratégia, Charles Leclerc (Ferrari) acabou em quarto à frente dos dois pilotos da Red Bull, depois de ter havido problemas na troca de pneus, com o tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda) a garantir o quinto lugar, à frente de Max Verstappen que não conseguiu ir mais além que o sexto lugar.

Para alegria dos milhares de mexicanos que foram ao Autódromo Hermanos Rodriguez, o “piloto da casa”, Sérgio Perez (Racing Point RP19/Mercedes) terminou em sétimo, sendo “o melhor dos outros” e a receber enormes ovações por cada ultrapassagem que efectuava.

Décimo-terceiro à partida, o australiano Daniel Ricciardo (Renault) terminou em oitavo, depois de, também ele, ter optado pela estratégia de uma paragem, com os dois Toro Rosso a fecharem o lote dos pilotos que terminaram nos pontos, com o russo Danill Kvyat a classificar-se à frente do francês Pierre Gasly.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – México

Circuito – Autódromo Hermanos Rodriguez

Extensão – 305,354 km = 71 x 4,304 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red Bull/Honda), 1 volta (4,304 km), em 1’14,758” (207,260 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF90/Ferrari), 1’15,024”; Sebastian Vettel (Ferrari SF90/Ferrari), 1’15,170”; 2.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’15,262”; Max Verstappen (Red Bull RB15/Honda), 1’14,758”; 3.ª linha: Alexander Albon (Red Bull RB15/Honda), 1’15,336”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’16,338”; 4.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL34/Renault), 1’16,014”; Lando Norris (McLaren MCL34/Renault), 1’16,322”; 5.ª linha: Daniil Kvyat (Toro Rosso STR14/Honda), 1’16,469”; Pierre Gasly (Toro Rosso STR14/Honda), 1’16,586”; 6.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP19/Mercedes), 1’16,687”; Nico Hulkenberg (Renault RS19/Renault), 1’16,885”; 7.ª linha: Daniel Ricciardo (Renault RS19/Renault), 1’16,933”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’16,967”; 8.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’17,269”; Lance Stroll (Racing Point RP19/Mercedes), 1’18,065”; 9.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-19/Ferrari), 1’18,436”; Romain Grosjean (Haas VF-19/Ferrari), 1’18,599”; 10.ª linha: George Russell (Williams FW42/Mercedes), 1’18,823”; Robert Kubica (Williams FW42/Mercedes), 1’20,179”

Nota – Apesar de ter sido o mais rápido na qualificação, Max Verstappen foi penalizado em três lugares, por não ter reduzido a velocidade, numa situação de bandeira amarela

Comandantes sucessivos – Charles Leclerc, da 1.ª à 14.ª volta; Sebastian Vettel, da 15.ª à 37.ª volta; Charles Leclerc, da 38.ª à 43.ª volta; Lewis Hamilton, da 44.ª à 71.ª volta

Volta mais rápida – Charles Leclerc (Ferrari SF90/Ferrari), 1 volta (4,304 km), em 1’19,232” (195,557 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 71 voltas (305,354 km), em 1.36’48,904” (189,239 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS.PILOTOCARROTEMPO
1.ºLewis HamiltonMercedes W10/Mercedes1.36’48,904″
2.ºSebastian VettelFerrari SF90/Ferraria 1,766″
3.ºValtteri BottasMercedes W10/Mercedesa 3’553″
4.ºCharles LeclercFerrari SF90/Ferraria 6,368″
5.ºAlexander AlbonRed Bull RB15/Hondaa 21,399″
6.ºMax VerstappenRed Bull RB15/Hondaa 1’08,807″
7.ºSergio PerezRacing Point RP19/Mercedesa 1’13,819″
8.ºDaniel RicciardoRenault RS19/Renaulta 1’14,924″
9.ºDaniil KvyatToro Rosso STR14/Hondaa 1 volta
10.ºPierre GaslyToro Rosso STR14/Hondaa 1 volta
11.ºNico HulkenbergRenault RS19/Renaulta 1 volta
12.ºLance StrollRacing Point RP19/Mercedesa 1 volta
13.ºCarlos SainzMcLaren MCL34/Renaulta 1 volta
14.ºAntonio GiovanniAlfa Romeo C38/Ferraria 1 volta
15.ºKevin MagnussenHaas VF-19/Ferraria 2 voltas
16.ºGeorge RussellWilliams FW42/Mercedesa 2 voltas
17.ºRomain GrosjeanHaas VF-19/Ferraria 2 voltas
18.ºRobert KubicaWilliams FW42/Mercedesa 2 voltas

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 363 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 289; 3.º, Charles Leclerc, 236; 4.º, Sebastian Vettel, 230; 5.º, Max Verstappen, 220; 6.º, Pierre Gasly, 77; 7.º, Carlos Sainz, 76; 8.º, Alexander Albon, 74; 9.º, Sergio Perez, 43; 10.º, Daniel Ricciardo, 38; 11.º, Nico Hulkenberg, 35; 12.º, Lando Norris, 35; 13.º, Daniil Kvyat, 34; 14.º, Kimi Raikkonen, 31; 15.º, Lance Stroll, 21; 16.º, Kevin Magnussen, 20; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 4; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 652 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 466; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 341; 4.º, McLaren F1 Team, 111; 5.º, Renault F1 Team, 73; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 64; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 64; 8.º, Alfa Romeo Racing, 35; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 28;

10.º, ROKiT Williams Racing, 1

Próxima prova – Emirates United States Grand Prix, no Circuit of the Américas, dia 3 de Novembro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação