Lewis Hamilton quase a garantir o sétimo título

Piloto britânico da Mercedes está cada vez mais próximo de alcançar o seu sétimo ceptro de campeão do mundo de Fórmula 1 e, se vencer na Turquia, igualará o alemão Michael Schumacher no número de títulos.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Ao entrar, no Intercity Istanbul Park, com uma vantagem de 85 pontos sobre o seu colega de equipa, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) tem tudo a seu favor para somar o sétimo título mundial, quarto consecutivo e igualar o alemão Michael Schumacher no número de ceptros conquistados.

Para impedir que Lewis Hamilton garanta o título no traçado turco, Valtteri Bottas tem de conseguir mais oito pontos que o inglês, que tem tudo a seu favor para garantir a conquista do ceptro.

Vencer e somar o ponto suplementar da volta mais rápida é, quase, obrigatório para Valtteri Bottas adiar a decisão para o Bahrain, pois em caso de vitória, à frente de Lewis Hamilton, sem a volta mais rápida, o inglês festejará o título.

A exemplo do que sucedeu com Portugal, a Turquia aproveitou a oportunidade, provocada por este ano atípico, e nove anos depois volta a receber a F1, com ambos os países a ficarem, para já, fora do calendário de 2021.

Como de costume espera-se que o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) partilhe o pódio com os “Mercedes boys” e que a luta no segundo pelotão continue intensa, com a Renault a parecer ser aquela que, na fase final da temporada, está em melhores condições, com a Racing Point, a McLaren e Alpha Tauri a serem as suas mais directas adversárias, com o duelo entre os seus oito pilotos a prometer ser intenso e emocionante.

Dúvidas quanto à eficácia da Ferrari, no traçado turco, parecendo certo que o monegasco Charles Leclerc voltará a ser mais rápido que o alemão Sebastian Vettel, que parece ter a cabeça já na próxima temporada, altura em que estará ao volante de um Aston Martin, naquela que será a nova designação da Racing Point.

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 282 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 197; 3.º, Max Verstappen, 162; 4.º, Daniel Ricciardo, 95; 5.º, Charles Leclerc, 85; 6.º Sérgio Perez, 82; 7.º, Lando Norris, 69; 8.º, Carlos Sainz, 65; 9.º, Alexander Albon, 64; 10.º, Pierre Gasly, 63; 11.º, Lance Stroll, 57; 12.º, Esteban Ocon, 40; 13.º, Daniil Kvyat, 26; 14.º, Sebastian Vettel, 18; 15.º, Nico Hulkenberg, 10; 16.º, Kimi Raikkonen, 4; 17.º, Antonio Giovinazzi, 4; 18.º, Romain Grosjean, 2; 19.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 479 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 226; 3.º, Renault DP World F1 Team, 135; 4.º, McLaren F1 Team, 134; 5.º, BWT Racing Point F1 Team, 134; 6.º, Scuderia Ferrari, 103; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 89; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 8; 9.º, Haas F1 Team, 3

23 CORRIDAS EM 2021

Após ter apresentado um projecto de calendário para 2021, a Liberty divulgou aquela que é a sua proposta de calendário para o próximo ano, que terá de ser sancionado pelo Conselho Mundial da FIA, que terá lugar a 16 de Dezembro.

A primeira novidade prende-se com o aumento de provas para 23, o número mais elevada da história da F1, sendo de destacar a estreia da Arábia Saudita, com uma corrida nocturna, num circuito que está a ser construído em Jeddah, o regresso da Holanda, no traçado de Zandvoort, muito por influência do desempenho do holandês Max Verstappen, mantendo-se as restantes provas, em particular as efectuadas fora da Europa, para cumprimento dos contratos que estão assinados e que não puderam ser concretizados este ano.

Sem surpresa, Portugal ficou fora do calendário, embora exista a possibilidade de o vir a integrar, por estar em aberto a data de 25 de Abril, em princípio reservada para o estreante GP do Vietname, num circuito desenhado nas ruas de Hanói, a capital, mas a situação politica que se vive no país pode levar a que a intenção não seja concretizada.

Nesse caso Portugal, Turquia e Imola podem ter hipótese de reentrar no calendário, mas nesse caso, e ao contrário do que sucedeu este ano, alguém vai ter de abrir os cordões à bolsa para o GP de Portugal seja uma realidade.

É este, em princípio, o calendário do “Mundial” de F1 de 2021.

DATA PAÌS CIRCUITO
     
21 de Março Austrália Melbourne
28 de Março Bahrain Sakhir
11 de Abril China Xangai
25 de Abril Por definir Por definir
9 de Maio Espanha Barcelona
23 de Maio Mónaco Monte Carlo (citadino)
6 de Junho Azerbeijão Baku
13 de Junho Canadá Montreal
27 de Junho França Paul Ricard
4 de Julho Áustria Spielberg
18 de Julho Inglaterra Silverstone
1 de Agosto Hungria Hungaroring
29 de Agosto Bélgica Spa-Francorchamps
5 de Setembro Países Baixos Zandvoort
12 de Setembro Itália Monza
26 de Setembro Rússia Sochi
3 de Outubro Singapura Marina Bay (citadino)
10 de Outubro Japão Suzuka
24 de Outubro Estados Unidos Circuit das Americas
31 de Outubro México Hermanos Rodriguez
14 de Novembro Brasil Interlagos
28 de Novembro Arábia Saudita  
5 de Dezembro Abu Dhabi Yas Marina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: