Lewis Hamilton iguala Michael Schumacher

Lewis Hamilton somou, este domingo, a sua 91.ª vitória em Grandes Prémios de Fórmula 1, fazendo história ao igualar o recorde de triunfos de Michael Schumacher. Ao mesmo tempo, o piloto britânico deu um passo importante rumo à conquista de mais um título de campeão do mundo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Momento histórico na Alemanha, país de Michael Schumacher, onde o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) igualou os 91 triunfos do alemão, podendo, dentro de 15 dias, no Algarve, tornar-se o piloto com mais vitórias na história da F1.

Momento emocionante no final da corrida, quando Mick Schumacher, filho de Mikael, entregou a Lewis Hamilton um capacete do pai, com o inglês a não esconder a emoção, por ter sido surpreendido pela oferta do alemão, o piloto da Mercedes a fazer questão de levar o capacete do hepta campeão do mundo para o pódio.

Emocionado com a oferta, Lewis Hamilton confessou que «não sei o que dizer. Cresci a ver o meu ídolo dominar durante tanto tempo e nunca pensei chegar perto dos seus “records”. Vou demorar a habituar-me e só tenho que agradecer a todos os que trabalham comigo»

Para trás ficou uma corrida em que o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) soube defender a primeira posição, que ocupava na grelha do ataque de Lewis Hamilton (Mercedes), que partiu melhor, com os dois carros curvarem lado a lado na primeira curva, e manter o comando que manteria até à 12.ª volta, altura em cometeu um erro, aproveitado pelo seu colega de equipa, para desistir pouco depois, com problemas na unidade motriz, naquele que foi o primeiro abandono de um Mercedes esta temporada.

A partir daí, Lewis Hamilton fez uma corrida tranquila, sempre seguido pelo holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) que, após luta com o inglês, acabou por arrecadar o ponto para a volta mais rápida e a reduzir para 14 pontos o atraso para Valtteri Bottas, na luta pelo segundo lugar do campeonato.

Se não houve luta pelas duas primeiras posições, já o mesmo não sucedeu no que diz respeito ao derradeiro lugar do pódio, com o australiano Daniel Riccardo (Renault) a levar a melhor sobre o mexicano Sergio Perez, o que lhe permitiu regressar a um local onde não estava desde o GP de Mónaco de 2018 e fazer a Renault voltar ao pódio, depois de nove anos de ausência, uma vez que um piloto da marca francesa tinha estado na festa do champagne tinha sido no GP da Malásia de 2011.

O espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), que partiu de 10.º, terminou em quinto à frente do francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) e do monegasco Charles Leclerc (Ferrari) que, na corrida, esteve longe de repetir o que fizera na qualificação.

Fantástica corrida do alemão Nico Hulkenberg (Racing Point/Mercedes), chamado à última da hora para substituir o canadiano Lance Stroll, que, apenas, guiou o carro na qualificação, onde foi o mais lento.

Na corrida fez uma recuperação notável e terminou em oitavo, mostrando que merecia um lugar a tempo inteiro na F1.

Nos derradeiros lugares pontuáveis ficaram o francês Romain Grosjean (Haas/Ferrari), que marcou os primeiros pontos do ano, e o italiano Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari) que, na parte final, resistiu aos ataques do alemão Sebastian Vettel (Ferrari).

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Aramco Grosser Preis der Eifel

Circuito – Nurburgring

Extensão – 308,617 km = 60 x 5,148 km

“Pole position” – Valtteri Bottas (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (5,148 km), em 1’25,269” (217,345 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’25,269”; Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’25,525”; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’25,562”; Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’26,035”; 3.ª linha: Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’26,047”; Daniel Ricciardo (Renault RS20/Renault), 1’26,223”; 4.ª linha: Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), 1’26,242”; Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’26,458”; 5.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP20/Mercedes), 1’26,704”; Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’26,709”; 6.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’26,738”; Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’26,776”; 7.ª linha: Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’26,848”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’26,936”; 8.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 1’27,125”; Romain Grosjean (Haas VF-20/Ferrari), 1’27,552”; 9.ª linha: George Russell (Williams FW43/Mercedes), 1’27,564; Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 1’27,812”; 10.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’27,817”; Nico Hulkenberg (Racing Point RP20/Mercedes), 1’28,021”

Comandantes sucessivos – Valtteri Bottas, da 1.ª à 12.ª volta; Lewis Hamilton, da 13.ª à 60.ª volta

Volta mais rápida – Max Verstappen (Red Bull/Honda), 1 volta (5,148 km), em, 1’28,139” (210,267 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 60 voltas (308,617 km), em 1.35’49,641” (193,233 km/h)

Classificação

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes 1.35’49,541!
2.º Max Verstappen Red Bull RB16 Honda a 4,470″
3.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 14,613″
4.º Sergio Perez Racing Point RP20 Mercedes a 16,070″
5.º Carlos Sainz McLaren MCL35 Renault a 21,905″
6.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT01 Honda a 22,766″
7.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 30,814″
8.º Nico Hulkenberg Racing Point RP20 Mercedes a 32,596″
9.º Romain Grosjean Haas VF-20 Ferrari a 39,081″
10.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C39 Ferrari a 40,035″
11.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 40,810″
12.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 41,476″
13.º Kevin Magnussen Haas VF-20 Ferrari a 49,585″
14.º Nicholas Latifi Williams FW 43 Mercedes a 54,449″
15.º Danill Kvyat Alpha Tauri AT01 Honda a 55,588″

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 250 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 161; 3.º, Max Verstappen, 147; 4.º, Daniel Ricciardo, 78; 5.º Sérgio Perez, 68; 6.º, Lando Norris, 65; 7.º, Alexander Albon, 64; 8.º, Charles Leclerc, 63; 9.º, Lance Stroll, 57; 10.º, Pierre Gasly, 53; 11.º, Carlos Sainz, 51; 12.º, Esteban Ocon, 36; 13.º, Sebastian Vettel, 17; 14.º, Daniil Kvyat, 16; 15.º, Nico Hulkenberg, 10; 16.º, Antonio Giovinazzi, 3; 17.º, Kimi Raikkonen, 2; 18.º, Romain Grosjean, 2; 18.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 391 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 211; 3.º, BWT Racing Point F1 Team, 120; 3.º, McLaren F1 Team, 116; 5.º, Renault DP World F1 Team, 114; 6.º, Scuderia Ferrari, 80; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 67; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 4; 9.º, Haas F1 Team, 3

Próxima prova – Heineken Grande Prémio de Portugal, no Circuito de Portimão, dia 25 de Outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: