Lewis Hamilton defende comando em casa

Após um fim-de-semana de pausa, depois de três seguidos de competição, o “Mundial” de Fórmula 1, este ano alterado em relação a tudo quanto estava previsto, regressa à acção para mais três fins-de-semana de competição, dois em Silverstone, onde tudo começou em 1950, e um em Barcelona.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Sem qualquer tipo de surpresa, a Mercedes dominou o início da temporada, com o campeão do mundo em título, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes), a instalar-se no comando do campeonato, com cinco pontos de avanço sobre o seu colega de equipa, Valtteri Bottas (Mercedes).

O piloto finlandês venceu a corrida inaugural mas acabou por perder a primeira posição no “Mundial” da especialidade, em consequência das duas vitórias do britânico (86) que está cada vez mais perto de superar o número de triunfos do germânico Michael Schumacher (91).

Contra a expectativa Red Bull, Racing Point e McLaren têm sido os mais sérios adversários dos “flechas pretos”, face ao descalabro da Ferrari, cujos responsáveis já admitiram que o SF1000 é um carro mal nascido e, como consequência, este será um ano difícil para os homens de Maranello, que correm o risco de perder em casa (Mugello), na estreia do “seu traçado no campeonato.

Surpresa foram os Racing Point, considerados os Mercedes “B”, por serem semelhantes aos carros oficiais, com os responsáveis da equipa a não esconderem que aproveitaram muitos dos conhecimentos da equipa oficial da marca alemã, o que já lhes valeu protestos, todos julgados improcedentes, mas é de crer que eles continuem, por haver quem continue a considerar que a Racing Point exagerou na cópia.

Independentemente de tudo, o mexicano Sérgio Perez e o canadiano Lance Stroll estão a ter um início de época superior ao do ano passado, o que pode complicar a eventual ida do alemão Sebastian Vettel, de saída da Ferrari, para a equipa.

O holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) tem sido a maior dor de cabeça para os “Mercedes boys”, mas o piloto reconhece que os “RB16” ainda estão um passo atrás dos “W11” e que, apesar dos seus esforços, só em condições muito especiais os conseguirá derrotar.

Entretanto, e face às actuações mais discretas do que o desejado do inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda), começam a circular rumores que Sebastian Vettel poderá voltar a equipa que lhe garantiu os quatro títulos mundiais (2010 – 2013) que ostenta, para ocupar o lugar do inglês, algo que seria bem visto por muitos dos responsáveis da equipa de bebidas energéticas.

O inglês Lando Norris (McLaren/Renault) ocupa um excelente quarto lugar e é o primeiro dos que utilizam motores da marca francesa, que vê os pilotos do cliente, o espanhol Carlos Sainz é nono, à frente do melhor homem da equipa da casa, o australiano Daniel Ricciardo (11.º).

Espera-se que os 15 dias de intervalo, entre a corrida húngara e a primeira inglesa, tenham servido à Ferrari para fazer evoluir o SF1000 e surgir mais competitivo, para que o monegasco Charles Leclerc e o alemão Sebastian Vettel possam discutir as primeiras posições, por mérito próprio, em lugar de esperarem pelos problemas dos adversários para subirem na classificação.

Vencedor desde 2014, a excepção foi em 2018 quando triunfo Sebastian Vettel (Ferrari), Lewis Hamilton parte como favorito e deverá ser muito difícil superá-lo num traçado em que as características dos Mercedes os favorecem.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 63 pontos; 2.º Valtteri Bottas, 58; 3.º, Max Versappen, 33; 4.º, Lando Norris, 26; 5.º, Alexander Albon, 22; 6.º Sérgio Perez, 22; 7.º, Charles Leclerc, 18; 8.º, Lance Stroll, 18; 9.º, Carlos Sainz, 14; 10.º, Sebastian Vettel, 9; 11.º, Daniel Ricciardo, 8; 12.º, Pierre Gasly, 6; 13.º, Esteban Ocon, 4; 14.º, Kevin Magnussen, 2; 15.º, Antonio Giovinazzi, 2; 16.º, Daniil Kvyat, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 121 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 55; 3.º, McLaren F1 Team, 40; 4.º, BWT Racing Point F1 Team, 40; 5.º, Scuderia Ferrari, 27; 6.º, Renault DP World F1 Team, 12; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 7; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 2; 9.º, Haas F1 Team, 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: