Lewis Hamilton campeão do mundo

O piloto britânico sagrou-se campeão mundial de Fórmula 1 pela sétima vez e igualou o recorde de títulos de Michael Schumacher. O agora campeão venceu o GP da Turquia, no Istambul Park, com uma só paragem, ao contrário da concorrência que fez duas ou mais paragens.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) venceu a 94.ª corrida da carreira, conquistou o sétimo título mundial, igualando o número de títulos do alemão Michael Schumacher, naquele que terá sido o seu triunfo mais difícil.

Ao contrário do que sucedeu nos últimos anos, o inglês não saiu da primeira posição da grelha, mas sim da sexta, com os Mercedes a não revelarem a eficácia habitual, no difícil traçado turco que estava molhado, no momento da partida, o que obrigou à utilização de pneus de chuva.

Ao partir da sexta posição da grelha, o pior lado em termos de aderência, Lewis Hamilton começou por perder posições, ao sentir dificuldades em colocar a potência no chão, mas a partir do momento em que montou pneus intermédios, depois de Charles Leclerc (Ferrari), logo na oitava volta, ter sido o primeiro a proceder a essa operação, ficando patente que essa era a opção ideal, naquele momento, Lewis Hamilton começou uma impressionante cavalgada, que só acabou na vitória, apesar do “sofrimento” final.

Com efeito na fase final da corrida, os pneus intermédios do Mercedes acusavam desgaste e colocava-se a hipótese de uma paragem para montar pneus novos, mas havia a ameaça de chuva e os seus perseguidores estavam demasiado pertos, para parar e manter o comando, o que obrigou o inglês a forçar o andamento para ganhar a vantagem que lhe permitisse fazer a troca de pneus, em caso de necessidade, sem colocar em causa o triunfo.

Mas com uma gestão de génio do desgaste dos pneus, Lewis Hamilton triunfou e conquistou o título com uma exibição de luxo. Notável o gesto do alemão Sebastien Vettel (Ferrari), que terminou em terceiro, que, no final da corrida, quando Lewis Hamilton permanecia no carro sem esconder a emoção, foi junto do carro para felicitar o campeão, com quem fica durante alguns momentos à conversa, numa atitude de enorme desportivismo.

A corrida começou com o canadiano Lance Stroll (Racing Point/Mercedes), que largou da “pole” a assumir o comando, à frente do mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes), que saiu de terceiro, que aproveitou a partida falhada do holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), que estava na primeira linha e foi “engolido” pelo pelotão.

Com a primeira troca de pneus, as posições relativas dos dois pilotos da Racing Point mantiveram-se, sendo perseguidos pelo inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda) que, pela primeira vez na sua carreira, comandou um Grande Prémio. Este momento de glória para o piloto Alexander Albon sucedeu-se até parar para trocar de pneus, o que permitiu a Lewis Hamilton ascender ao terceiro lugar, cujo carro melhorava de comportamento, com a diminuição da humidade no asfalto.

 

A segunda paragem de Lance Stroll, deixou Sergio Perez no comando, mas o mexicano não resistiu ao ataque de Lewis Hamilton que, a partir daí, deu uma lição de condução, ao fazer resistir os pneus até ao fim, para triunfar à frente de Sergio Perez e de Sebastian Vettel (Ferrari) que, na derradeira volta, “roubou” o pódio ao monegasco Charles Leclerc (Ferrari) e esteve muito perto de suplantar o piloto da Racing Point.

Excelente corrida do espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) que largou de 15.º e terminou em quinto, à frente de Max Verstappen, que comprometeu um melhor resultado, quando tentava a ultrapassagem a Alexander Albon e não evitou um pião, embora, depois, tivesse concretizado a manobra, com o inglês Lando Norris (McLaren/Renault), que arrecadou o ponto da volta mais rápida, com Lance Stroll e o australiano Daniel Riccardo (Renault) a terminarem nos lugares pontuáveis.

Numa corrida onde a recuperação da Ferrari pode ser um sinal importante para as derradeiras três corridas da temporada, o destaque, no entanto, vai para o discreto 14.º lugar do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que não evitou vários piões, revelando inúmeras dificuldades em manter o carro na pista, algo de surpreendente face ao que que aconteceu ao longo do ano, com o finlandês a só querer que o “tirassem dali”.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – DHL Turkish Grand Prix

Circuito – Intercity Istambul Park

Extensão – 309,396 km = 58 x 5,338 km

“Pole position” – Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1 volta (5,338 km), em 1’47,765” (178,321 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1’47,765”; Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’48,055”; 2.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP20/Mercedes), 1’49,321”; Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’50,448”; 3.ª linha: Daniel Ricciardo (Renault RS20/Renault), 1’51,595”; Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’52,560”; 4.ª linha: Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), 1’52,622”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’52,745”; 5.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’53,258”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’57,226”;  6.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’55,169”; Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’56,696”; 7.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 2’08,007”; Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’54,945”; 8.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’55,410”; Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 2’09,0770”; 9.ª linha: Romain Grosjean (Haas VF-20/Ferrari), 2’12,019”; Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 2’21,611”; 10.ª linha: Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’58,556”; George Russell (Williams FW43/Mercedes), 2’10,017”

Nota – Lando Norris foi penalizado em cinco lugares, por desrespeito das bandeiras amarelas, Carlos Sainz em três lugares, por bloquear Sergio Perez e George Russell e Pierre Gasly em cinco lugares, por ter trocado elementos da unidade motriz

Comandantes sucessivos – Lance Stroll, da 1.ª à 9.ª volta; Sergio Perez, na 10.ª volta; Max Verstappen, na 11.ª volta; Alexander Albon, na 12.ª volta; Lance Stroll, da 13.ª à 35.ª volta; Sergio Perez, na 36.ª volta; Lewis Hamilton, da 37.ª à 58.ª volta

Volta mais rápida – Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1 volta (5,338 km), em, 1’36,806” (198,508 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 58 voltas (309,396 km), em 1.42’19,313” (181,425 km/h)

Classificação

POS. PILOTO CARRO MOTOR TREINO
1.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes 1.42’19,313″
2.º Sergio Perez Racing Point RP20 Mercedes a 31,633″
3.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 31,960″
4.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 33,858″
5.º Carlos Sainz McLaren MCL35 Renault a 34,363″
6.º Max Verstappen Red Bull RB16 Honda a 44,873″
7.º Alexander Albon Red Bull RB16 Honda a 46,484″
8.º Lando Norris McLaren MCL35 Renault 1’01,259″
9.º Lance Stroll Racing Point RP20 Mercedes a 1’12,353″
10.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 1’35,460″
11.º Esteban Ocon Renault RS20 Renault a 1 volta
12.º Danill Kvyat Alpha Tauri AT01 Honda a 1 volta
13.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT01 Honda a 1 volta
14.º Valtteri Bottas Mercedes W11 Mercedes a 1 volta
15.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 1 volta
16.º George Russell Williams FW 43 Mercedes a 1 volta

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 307 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 197; 3.º, Max Verstappen, 170; 4.º Sérgio Perez, 100; 5.º, Charles Leclerc, 97; 6.º, Daniel Ricciardo, 96; 7.º, Carlos Sainz, 75; 8.º, Lando Norris, 74; 9.º, Alexander Albon, 70; 10.º, Pierre Gasly, 63; 11.º, Lance Stroll, 59; 12.º, Esteban Ocon, 40; 13.º, Sebastian Vettel, 33; 14.º, Daniil Kvyat, 26; 15.º, Nico Hulkenberg, 10; 16.º, Kimi Raikkonen, 4; 17.º, Antonio Giovinazzi, 4; 18.º, Romain Grosjean, 2; 19.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 504 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 240; 3.º, BWT Racing Point F1 Team, 154; 4.º, McLaren F1 Team, 149; 5.º, Renault DP World F1 Team, 136; 6.º, Scuderia Ferrari, 130; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 89; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 8; 9.º, Haas F1 Team, 3

Próxima prova – Gulf Air Bahrain Grand Prix, no Bahrain International Circuit, dia 29 de Novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: