Lewis Hamilton alcança a 92.ª “pole”

O piloto britânico conquistou hoje a quarta “pole position” da temporada e a 92.ª da carreira, ao garantir o melhor tempo para a o Grande Prémio de Espanha de Fórmula 1, em Barcelona, gastando 1m15,584s na sua melhor volta ao traçado catalão, deixando finlandês Valtteri Bottas a 59 milésimos de segundo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) continua imparável e averbou a 92.ª “pole position” da carreira, ao bater o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) por escassos 0,059”, ainda que, na segunda tentativa, o finlandês tivesse dado a sensação que iria superar o seu colega de equipa.

Isso não sucedeu e a Mercedes pode orgulhar-se de em seis provas em 2020 ter coleccionado outras tantas “pole position”, com os dois pilotos da marca da estrela a serem os únicos a chegar ao segundo “15”.

No final, Lewis Hamilton não escondeu que «estou numa boa posição, mas o caminho até à primeira curva é longo e vai ser uma corrida complicada do ponto de vista físico, com destaque para as curvas 3 e 9m que são a fundo, onde o pescoço quer fugir»

Já Valtteri Bottas considerou que «ser segundo é chato, mas o Lewis fez um bom trabalho e conseguiu uma volta limpa, enquanto tive dificuldades no sector 3 e o arranque vai ser fundamental, pois é a minha melhor oportunidade para o surpreender»

Sem surpresa, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) registou o terceiro tempo, mas já a mais de meio segundo do inglês, à frente dos de Sergio Perez (Racing Point/Mercedes) e Lance Stroll (Racing Point/Mercedes), que voltaram a colocar os “Mercedes B” em lugar de destaque.

O inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda) registou o sexto tempo, com o espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) e o inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes), que ocuparam os lugares seguintes, a completarem o lote de equipas que tiveram os dois carros na Q3.

O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) “salvou a honra” da marca italiana, à frente do francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) que, com uma volta “canhão” no final da Q2, obrigou o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) a quedar-se pela Q2, por escassos 0,002”.

Referência para o facto do finlandês Kimi Raikkkone (Alfa Romeo/Ferrari) ter conseguido chegar à Q2 e de, com pneus médios, único a utilizá-los ter superado o francês Esteban Ocon (Renault).

De estranhar o facto, depois de ter alcançado o sexto tempo, ontem, do francês Romain Grosjean (Haas/Ferrari) e do seu companheiro de equipa, o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari), não terem passado da Q3, algo que parecia possível, com o francês confessar que não percebia a razão do tempo da véspera.

GRELHA DE PARTIDA

Lewis Hamilton
Mercedes
1’15,584″
Valtteri Bottas
Mercedes
1’15,643″
Max Verstappen
Red Bull/Honda
1’16,292″
Sergio Perez
Racing Point/Mercedes
1’16,482″
Lance Stroll
Racing Point/Mercedes
1’16,589″
Alexander Albon
Red Bull/Honda
1’17,029″
Carlos Sainz
McLaren/Renault
1’17,044″
Lando Norris
McLaren/Renault
1’17,084″
Charles Leclerc
Ferrari
1’17,087″
Pierre Gasly
Alpha Tauri/Honda
1’17,136″
Sebastian Vettel
Ferrari
1’17,168
Danill Kvyat
Alpha Tauri/Honda
1’17,192″
Daniel Ricciardo
Renault
1’17,198″
Kimi Raikkonen
Alfa Romeo/Ferrari
1’17,386
Esteban Ocon
Renault
1’17,567″
Kevin Magnussen
Haas/Ferrari
1’17,908″
Romain Grosjean
Haas/Ferrari
1’18,089″
George Russell
Williams/Mercedes
1’18,099″
Nicolas Latifi
Williams/Renault
1’18,532″
Antonio Giovinazzi
Alfa Romeo/Ferrari
1’18,697″

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: