Lewis Hamilton a uma vitória da… 100.ª

Depois dos triunfos de Max Verstappen (Mónaco, França, Áustria, Estiria) e Sérgio Perez (Azerbeijão), o piloto inglês assinou o triunfo no Grande Prémio da Grã-Bretanha e ficou a um de festejar uma centena de pódios no lugar mais alto.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Afastado do lugar mais alto do pódio desde o Grande Prémio de Espanha e de ter visto os pilotos da Red Bull vencerem as cinco corridas seguintes, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) voltou às vitórias. O piloto inglês alcançou a 99.ª vitória da carreira a três voltas do fim da corrida, quando ultrapassou o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que comandava desde o início da corrida.

A corrida inglesa ficou marcada pelos primeiros quilómetros, quando Lewis Hamilton e o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) lutaram roda com roda, até que, em Copse, quando o piloto da Mercedes fez mais uma tentativa de ultrapassagem, a roda dianteira esquerda tocou na roda traseira direita do carro do holandês.

Um incidente que fez disparar Max Verstappen para as para as barreiras de protecção, a mais de 250 km/h, com o piloto a abandonar o Red Bull/Honda um bocado “abananado” e a passar pelo Centro Médico do Circuito como medida de precaução, de onde sairia largos minutos depois.

O “toque”, entre os dois candidatos ao titulo, permitiu a Charles Leclerc, autor de um excelente arranque que lhe permitiu deixar para trás o finlandês Valttei Bottas (Mercedes), ascender ao terceiro lugar e ser espectador privilegiado do que sucedeu à sua frente, com o monegasco a aproveitar a oportunidade para ultrapassar Lewis Hamilton e assumir o comando.

A necessidade de retirar o carro e de reparar as barreiras de protecção levou a interrupção da corrida, que recomeçaria com os carros na grelha e o piloto da Ferrari na primeira posição, tendo o inglês ao seu lado.

No momento do arranque, Charles Leclerc voltou a arrancar bem, defendeu com sucesso a posição, assumiu o comando e começou a afastar-se de Lewis Hamilton. A vantagem do francês foi aumentando consideravelmente, tanto mais que o inglês foi penalizado em 10 segundos, cumpridos quando parou para trocar de pneus, pelo incidente na volta de abertura. Este cenário deu a sensação que a Ferrari iria voltar às vitórias, o que não sucede desde o GP de Singapura de 2019, onde o alemão Sebastian Vettel triunfou.

Charles Leclerc manteve o comando após a troca de pneus que Lewis Hamilton tinha feito duas voltas antes, mas a unidade motriz do carro italiano começou a apresentar falhas. Por eu turno, o inglês foi-se aproximando e, apesar da autorização da “box” para forçar o andamento, Charles Leclerc não resistiu e Lewis Hamilton garantiu o triunfo para delírio dos 140 mil espectadores presentes no traçado inglês.

O finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que tinha ascendido ao segundo lugar, com a paragem do seu colega de equipa, completou o pódio, depois de, numa jogada táctica, ter deixado passar Lewis Hamilton para lhe permitir a aproximação a Charles Leclerc.

O inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes) terminou em quarto, à frente do australiano Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes) e do espanhol Carlos Sainz (Ferrari), duo que, nas derradeiras voltas, lutou pelo quinto lugar, depois da recuperação do espanhol, com o australiano a conseguir segurar a quinta posição e a contribuir para o bom resultado conjunto da equipa de Woking.

O espanhol Fernando Alonso (Alpine/Renault), que não foi tão eficaz como ontem, o canadiano Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes), o francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) e o japonês Yuki Tsunoda (Alpha Tauri/Honda) completaram o lote dos que terminaram nos lugares pontuáveis.

Com Max Verstappen de fora nos primeiros quilómetros e o mexicano Sérgio Perez obrigado a largar das “boxes”, por não ter terminado a corrida da véspera, primeiro, e do fundo da grelha, por não ter recuperado posições, na segunda partida, a Red Bull estava em maus lençóis. Para minorar os estragos, a equipa fez o mexicano parar a duas voltas do fim para trocar de pneus e fazer a volta mais rápida “roubando” um ponto a Lewis Hamilton e à Mercedes.

Ficha da prova

Grande Prémio – Pirelli British Grand Prix

Circuito – Silverstone

Extensão – 306,198 km = 52 x 5,891 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red Bull/Honda), 17 voltas (100,103 km) em 25’38,426” (234,035 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16B/Honda); Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes); 2.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W12/Mercedes); Charles Leclerc (Ferrari SF21/Ferrari); 3.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL35/Mercedes); Daniel Riccardo (McLaren MCL35/Mercedes); 4.ª linha: Fernando Alonso (Alpine A521/Renault); Sebastian Vettel (Aston Martin AMR21/Mercedes); 5.ª linha: Esteban Ocon (Alpine A 521/Renault); Carlos Sainz (Ferrari SF21/Ferrari); 6.ª linha: Pierre Gasly (Alpha Tauri AT02/Honda); George Russell (Williams FW43B/Mercedes); 7.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Roneo C41/Ferrari); Lance Stroll (Aston Martin AMR21/Mercedes); 8.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C41/Ferrari); Yuki Tsunuda (Alpha Tauri AT02/Honda); 9.ª linha: Nicholas Latifi (Williams FW43B); Mick Schumacher (Haas VF-21/Ferrari); 10.ª linha: Nikita Mazepin (Haas VF-21/Ferrari); Sérgio Perez (Red Bull/Honda). George Russell (Williams FW43B/Mercedes) foi penalizado em três lugares por ter provocado uma colisão

Comandantes sucessivos – Charles Leclerc, da 1.ª à 49.ª volta; Lewis Hamilton, da 50.ª à 52.ª volta

Volta mais rápida – Sérgio Perez (Red Bull BR16B/Honda), 1 voltas (5,891 km), em 1’28,617” (239,317”)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes), 52 voltas (306,198 km), em 1.58’23,284” (155,183 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
         
1.º Lewis Hamilton Mercedes W12 Mercedes 1.58’23,284″
2.º Charles Leclerc Ferrari SF21 Ferrari a 3,871″
3.º Valtteri Bottas Mercedes W12 Mercedes a 11,125″
4.º Lando Norris McLaren MCL35 Mercedes a 28,537″
5.º Daniel Ricciardo McLaren MCL35 Mercedes a 42,624″
6.º Carlos Sainz Ferrari SF21 Ferrari a 43,454″
7.º Fernando Alonso Alpine A521 Renault a 1’12,093″
8.º Lance Stroll Aston Martin AMR21 Mercedes a 1’14,289″
9.º Esteban Ocon Alpine A521 Renault a 1’16,162″
10.º Yuki Tsunoda Alpha Tauri AT02 Honda a 1’22,065″
11.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT02 Honda a 1’25,327″
12.º George Russell Williams FW43 B Mercedes a 1 volta
13.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C41 Ferrari a 1 volta
14.º Nicolas Latifi Williams FW43 B Mercedes a 1 volta
15.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C41 Ferrari a 1 volta
16.º Sergio Perez Red Bull 16B Honda a 1 volta
17.º Nikita Mazepin Haas VF-21 Ferrari a 1 volta
18.º Mick Schumacher Haas VF-21 Ferrari a 1 volta

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Max Verstappen, 185 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 177; 3.º, Lando Norris, 113; 4.º, Valtteri Bottas, 108; 5.º Sérgio Perez, 104; 6.º, Charles Leclerc, 80; 7.º, Carlos Sainz, 68; 8.º, Daniel Ricciardo, 50; 9.º, Pierre Gasly, 39; 10.º, Sebastian Vettel, 30; 11.º, Fernando Alonso, 26 ; 12.º, Lance Stroll, 18; 13.º, Esteban Ocon, 14; 14.º, Yuki Tsunoda, 10; 15.º, Antonio Giovinazzi, 1; 16.º, Kimi Raikkonen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Red Bull Racing Honda, 289 pontos; 2.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 285; 3.º, McLaren F1 Team, 163; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 148; 5.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 49; 6.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 48; 7.º, Alpine Renault, 40; 8.º, Alfa Romeo Racing Ferrari, 2

Próxima prova – Magyar Nagydij, no Hungaroring, dia 1 de Agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *