Kalle Rovampera chega à Croácia no topo

A Croácia, que resultou da fragmentação da Jugoslávia, é o 34.º país a integrar o calendário do WRC (Campeonato do Mundo de Ralis), sucedendo à Estónia, que o ano passado fez a estreia, e antecedendo a Bélgica que, se tudo correr bem, fará a estreia em Agosto.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Kalle Rovampera (Toyota Yaris WRC)

Cumpridas duas provas (Monte Carlo e Árctico), o campeonato é comandado pelo jovem Kalle Rovampera (Toyota Yaris WRC), quarto na prova monegasca e segundo na prova finlandesa, que substituiu o Rali da Suécia, com quatro pontos de vantagem sobre o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) e oito sobre o francês Sébastien Ogier (Toyota Yaris WRC) e o inglês Elfyn Evans (Toyota Yaris WRC).

O facto da prova decorrer em pisos de asfalto não o irá penalizar, ao contrário do que sucederia se fosse em pisos de terra, pelo facto de abrira a estrada, mas fica por saber como vai reagir à pressão provocada pelo facto de estar no primeiro lugar e com pilotos muito mais experientes a pressioná-lo.

Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC)

Por outro lado a falta de referências para pilotos e equipas deixa antever uma prova emotiva, onde a surpresa é possível, caso alguém encontre as afinações ideais para o asfalto croata e consiga tirar partido desse pormenor.

De assinalar a estreia do francês Adrien Formaux (Ford Fiesta WRC) ao volante de um WRC, depois de ter alinhado nas duas provas anteriores com um RC2, em substituição do finlandês Teemu Suninen (Ford Fiesta Rally2), que desceu um degrau na estrutura de Malcolm Wilson.

Em relação aos RC2, o norueguês Andreas Mikkelsen (Skosa Fabia Rally2 Evo), que comanda o campeonato, pode cimentar a posição, uma vez que os seus mais directos perseguidores, o finlandês Esapekka Lappi, ausente, e o francês Adrien Formaux, que sobe um degrau, não alinham, deixando ao russo Nikolay Gryazin (VW Polo GTi R5), ao seu compatriota Mads Ostberg (Citroen C3 Rally2) e a Teemu Suninen a responsabilidade de tentar contrariar o favoritismo do piloto da marca checa.

Sébastien Ogier (Toyota Yaris WRC)

A ESTRADA

Centrada em Zagreb, a capital do país, a prova croata decidir-se-á em 20 provas de classificação que totalizam 303,32 km, depois de, por força da pandemia, ter sido anulada a Super Especial, projectada para as ruas da capital, e não foram vencidos bilhetes para os espectadores, pelo que a prova decorrerá sem público na estrada, o que sucede desde o Rali da Estónia do ano passado.

No primeiro dia os concorrentes cumprirão uma dupla passagem por quatro especiais, uma delas, com 23,76 km, situação que se repete no segundo dia, mas aqui com duas das quatro a excederem os 20 quilómetros de comprimento.

Para o derradeiro dia está reservada uma dupla passagem por duas especiais, uma delas com 25,20 km, a mais extensa da prova, que pode provocar alterações na classificação, com a “Power Stage” a estender-se por 14,09 km.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Kalle Rovampera, 39 pontos; 2.º Thierry Neuville, 35; 3.º, Sébastien Ogier, 31 pontos; 4.º, Elfyn Evans, 31; 5.º Ott Tanak, 27; 6.º, Craig Breen, 16; 7.º, Takamoto Katsuta, 16; 8.º, Dani Sordo, 11; 9.º, Andreas Mikkelsen, 6; 10.º, Oliver Solberg, 6; 11.º, Gus Greensmith, 6; 12.º, Teemu Suninen, 4; 13.º, Adrien Fourmaux, 2; 14.º, Eric Camilli, 1; 15.º, Esapekka Lappi, 1.

NAVEGADORES – 1.º, Jonne Halttunen, 39 pontos; 3.º Martijn Wydaeghe, 35; 3.º, Julien Ingrassia, 31; 4.º, Scott Martin, 31; 5.º, Martin Jarveoja, 27, 6.º, Paul Nagle, 16; 7.º, Daniel Barritt, 16; 8.º, Carlos Del Barrio, 11; 9.º, Ola Floene, 6; 10.º, Sebastian Marshal, 6; 11.º, Elliott Edmonson, 6; 12.º, Mikko Markkula, 4; 13.º, Renaud Jamoul, 2; 14.º, François-Xavier Buresi, 1; 15.º, Janne Ferm, 1

MARCAS – Toyota Gazoo Racing WRT, 88 pontos; 2.º, Hyundai Shell Mobis WRT, 77; 3.º, M-Sport Ford WRT, 24; 4.º, Hyundai 2C Competition, 22.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *