José Lameiro regressa com alma a Lousada

O Campeonato de Portugal de Ralicross reinicia-se este fim-de-semana em Lousada com muitas medidas de segurança face à pandemia da Covid-19, uma jornada que marca o regresso do piloto aveirense Lameiro RX Team aos traçados lusitanos.

(auto.look2010@gmail.com)

«Este fim-de-semana iniciamos a nossa luta de 2020. Sem o público presente não é a mesma coisa, especialmente sem a Mancha Negra que dá vida e animação às bancadas», foram estas as primeiras palavras de José Lameiro em vésperas de regressar à agitação da competição.

Trata-se de um regresso que se saúda, não só por estarmos perante um piloto de quilate superior no contexto social, mas também pela animação que provoca e que arrasta um enorme falange de apoio.

O ano passado, o piloto da equipa aveirense Lameiro RX Team viu-se a braços com um sem número de anomalias no seu Skoda Fabia com que alinha na Super Car, acabando, em determinada altura do campeonato, preferir ficar longínquo das “aventuras e peripécias” no interior das pistas.

Este ano, já com a Covid-19 em propagação activa no país e no resto do mundo, apenas teve lugar a prova inaugural em Sever do Vouga, seguindo-se um “apagão” competitivo, embora os responsáveis pelas organizações desportivas e da própria Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) mantivessem esperança na realização do calendário.

José Lameiro não esteve na primeira prova da temporada mas, cerca de quatro meses depois, o piloto da Diatosta/Rialto regressa com a mesma viatura mas com novo preparador; a DM Motorsport foi o preparador escolhido e o Skoda Fabia já esteve em pista para gáudio da equipa Lameiro RX Team.

«O Skoda Fabia está estável e, naturalmente, que gostei do teste gizado. A viatura rodou sem apresentar problemas, está mais segura e pareceu-me estar capaz de aguentar uma corrida», afirmou José Lameiro, adiantando que «teremos algumas “arestas para limar”, mas confiante que conseguiremos fazer o campeonato e estar em pista sem complicações de maior».

«Além dos pequenos problemas da viatura, que são normais, até porque a DM Motorsport ainda não teve tempo para averiguar a totalidade de todos os pormenores. Obviamente que estou destreinado, a precisar de muito ritmo mas, acima de tudo, estou satisfeito por voltar», sublinhou o piloto da Diatosta/Rialto.

O regresso de José Lameiro ao Campeonato de Portugal de Ralicross fica marcado pelas corridas – pelo menos por agora –, serem todas à porta fechada, ou seja, com a Mancha Negra a não fazer parte da moldura de um quadro que será pintado de grandes emoções e de muita adrenalina.

Naturalmente que o momento exige garantias da situação da Covid-19. Muitas das práticas que tínhamos no passado simplesmente não podem continuar, pelo menos por agora, mas uma corrida sem pessoas é um cenário deplorável.

«Infelizmente, sem o público presente não é a mesma coisa, especialmente sem a Mancha Negra que dá vida e animação às bancadas. Vamos sentir a falta da Mancha Negra, uma falange de apoio conhecida por ser sempre divertida e que propicia outro colorido em todas as corridas», sublinhou José Lameiro.

Refira-se, por último, que os treinos terão início pelas 14h30 de sábado com o Kartcross. O Ralicross de Lousada não terá público, devido à pandemia, mas será transmito em “streaming” e as finais serão transmitidas em directo na Bola TV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: