Jorge Almeida viciado e apaixonado por triunfos

Piloto de Mangualde é um caso sério no slalom nacional e, nas perícias, o “caso” não muda de figura. É caso para dizer: “E tudo Jorge Almeida levou em Figueira de Castelo Rodrigo. Um colecionado nato de triunfos, um modo muito próprio de regar os sucessos com… Magnum.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: LUÍS COSTA E CARLOS GONÇALVES

Chegar, ver e vencer. Jorge Almeida está cotado na “bolsa de valores” de provas de slalom e perícias de Figueira de Castelo Rodrigues. Um “apaixonado” por triunfos e que já conquistou o coração dos figueirenses e um enorme respeito pelos adversários que, com ele, procuram estabelecer o mesmo registo.

Num fim de semana com dose dupla, o piloto de Mangualde “utilizou e abusou” dos cavalos acoplados no Polo Proto, não dado a mínima oportunidade aos seus adversários para brilhar. Tratou-se de mais uma prestação notável que ninguém ficou indiferente.

Se na véspera carregou tudo o que tinha a ganhar na 23.ª edição do Slalom Castelo Rodrigo, prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Perícias, este domingo voltou a responder cabalmente ao compromisso a que estava destinado: lograr o triunfo na 3.ª Grande Perícia Automóvel de Figueira de Castelo Rodrigo.

Jorge Almeida liderou do primeiro ao último meco e, no conjunto de três incursões ao traçado desenhado numa das artérias da vila figueirense, registou 55,719 segundos, menos 1,260 que Nelson Aguiar, em Peugeot 205, cotado com o segundo melhor tempo, com António Borges, em Lotus 7, a 2,302 segundos da liderança. Francisco Aguiar (Peugeot 205) e Jaime Pires (Daihatsu) terminaram nas posições seguintes, a 4,128 e 4,156s, respetivamente.

No Grupo 1 da Classe A, a vitória também sorriu a Jorge Almeida (55,719 segundos), secundado pelo clã Aguiar, proveniente de Alenquer, todos em Peugeot 205: Nelson Aguiar (filho), Francisco Aguiar (pai) e Filipe Aguiar (neto), a 1,260s, 4,128s e 6,259s, respetivamente.

Quanto ao Grupo 1 da Classe B, António Borges foi o mais rápido, com o tempo de 58,021s, seguido por Jaime Pires, a 1,854s, cabendo a Luís Guedes (Lotus 7) o lugar mais baixo do pódio, a 3,733s. Já o Grupo 2 da Classe A, António Pinto (MINI) assumiu a liderança com o tempo de 1m03,446s, menos 11,065s que Luís Silva (MINI Cooper).

Dino Almeida reclamou a vitória no Grupo 2 da Classe B, em 1m00,924s, relegando, respetivamente, para a segunda e terceira posição Luís Sousa, a 1,417s e Ricardo Rodrigues, a 1,783s, todos em Honda S800. Por seu turno, o Grupo 3 da Classe A foi conquistado por Rui Loureiro (Peugeot 205), em 1m04,763s, com José Coval (Opel Corsa A) em segundo, a 5,521s, e Rodrigo Lopes (Peugeot 205), em terceiro, a 7,350s.

Finalmente, e no que diz respeito ao Grupo 3 da Classe B, Francisco Carvalho conduziu o Toyota Starlet à vitória, em 1m06,571s. Telmo Pereira (Opel 1204) e Tiago Prata (Mazda MX5) arrebataram os lugares seguintes, a 1,751s e 3,408s, respetivamente.

Considerado um dos eventos mais relevantes do concelho, e com forte predominância desportiva, tanto o XXIII Slalom de Castelo Rodrigo como a 3.ª Grande Perícia Automóvel de Figueira de Castelo Rodrigo superara as expectativas. De referir que todos os pódios foram celebrados com o reputado espumante da Adega de Castelo Rodrigo e a sua garrafa Magnum e com o trofeu SPAL para marcar a classificação neste evento.

Nem as altas temperaturas que se fizeram sentir no fim de semana retiraram o público das bancadas do Estádio Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo no sábado à noite, como no domingo à tarde a moldurar uma das artérias mais movimentadas da vila para assistir a frenéticos exercícios pelo melhor tempo.

Esta adesão refletiu a importância da modalidade como fator de atratividade que levou à vila milhares de pessoas, fruto da persistência do Clube Escape Livre e Município de Figueira de Castelo Rodrigo, desenvolvendo um serviço de proximidade e de excelência em prol da comunidade figueirense e dos adeptos dos desportos motorizados em particular.

Para o presidente da Câmara Carlos Condesso, «a aposta no desporto automóvel com o Slalom de Castelo Rodrigo está ganha e com o Clube Escape Livre traduz-se no motor de desenvolvimento social e económico valorizando as potencialidades turísticas do concelho».

Com esta dinâmica, em que a componente de turismo e lazer estão de mãos dadas, não é difícil em admitir que para o ano há mais. Luís Celínio, presidente do Escape Livre, salientou que «é uma enorme satisfação termos correspondido com duas provas magníficas, com muito público e a confirmação de que os pilotos gostam de vir correr a Figueira».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.