João Monteiro degastado no Rali de Albufeira

O compromisso com os parceiros, o respeito por todos os elementos da equipa JParreira – Auto Eléctrica, adversários, organizadores, público, entre outros, está na base da participação de João Monteiro no Rali Município de Albufeira, numa semana marcada pelo infortúnio.

Texto: CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: CARINA SOUSA FOTOGRAFIA TT

Com uma vida pautada sempre por momentos marcantes, o piloto João Monteiro viveu esta semana momentos de enorme tensão e tristeza. Primeiro recebeu em choque a morte da irmã. Um murro no estômago com contornos difíceis de restabelecimento, porque a perder um elo familiar é algo de profunda desmotivação.

Longe de estar refeito desta situação e que vai deixar marcas por muitos e longos anos, o piloto alentejano de Ourique, a residir em Portimão, viu-se logo a seguir confrontado com anomalias atrás de anomalias com o Renault Clio 2.0 com o qual vai abordar as duas provas que faltam para o Campeonato Sul de Ralis em pisos de asfalto.

A situação corroída pela perda de uma ante querida, aliada à correria contra o tempo para colocar a viatura francesa da marca do losango nas condições ideais para novo compromisso ao volante, João Monteiro esta, naturalmente, a viver um momento muito difícil, mas está empenhado em prosseguir mais esta “batalha”.

«Pensei em não alinhar nesta prova, não só porque senti-me algo perdido, sobretudo pela perda prematura da minha irmã. Parar também não fazia muito sentido por diversas razões, mas têm sido dias problemáticos. Tanto eu como toda a nossa equipa, trabalhámos muito e a alta velocidade para que pudéssemos estar presentes no Rali Município de Albufeira», começou por referir João Monteiro.

«O que nos move é uma grande paixão pelo automobilismo e os ralis em particular. Por isso trabalhámos também no sentido de não defraudar os nossos compromissos com os nossos parceiros, mas, repito, esta tem sido uma semana aziaga, em que é extremamente difícil manter os índices de firmeza em alta», sublinhou o piloto JParreira – Auto Eléctrica que em Albufeira vai deixar o Toyota Corolla 2.0 na garagem e utilizar o Renault Clio 2.0.

O Rali Município de Albufeira, antepenúltima prova do Campeonato Sul de Ralis, «não vai ter muitos segredos, porque, face ao trabalho suplementar que a nossa equipa esteve sujeita para resolver os problemas no Renault Clio 2.0, foi impossível testá-lo, pelo que, hoje e amanhã, vamo-nos concentrar em observar os prós e contras», asseverou.

Para João Monteiro, que volta a ter no banco do lado direito o jovem Gonçalo Assunção e que segue na liderança nas 2 Rodas Motrizes e desfruta de uma margem de certa forma confortável para o segundo classificado, «o Rali Município de Albufeira é para concluir, mas com muita calma, porque o importante é conquistar pontos para o campeonato».

Em Albufeira, o começo está marcado para as 21h10, de hoje, com a parte competitiva a arrancar com a Super Especial (2,38 km – 21h21), a decorrer na Avenida dos Descobrimentos, entre o cruzamento dos Bombeiros de Albufeira e a Rotunda dos Relógios, para amanhã, domingo, a partida ser dada às 9h31 e com os concorrentes a terem de cumprir uma tripla passagem pelas especiais de Guia (6,20 km – 10h00, 11h27 e 13h26), Ferreiras (8,49 km – 10h18, 11h45 e 13h44) e Paderne (7,49 km – 10h39, 12h06 e 14h05), antes de chegarem (14h50) ao ponto de partida. A entrega de prémios terá lugar no pódio em frente à Câmara Municipal de Albufeira, pelas 16h00.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação