João Fonseca lidera a Rampa de Boticas

Prestes a comemorar o título nacional absoluto, João Fonseca parte para o dia decisivo de amanhã, domingo, na liderança da última prova da temporada, depois de ter sido o mais forte na única subida oficial de prova que estava inscrita no programa deste sábado.

Texto: JOAQUIM AMÂNDIO SANTOS (auto.look2010@gmail.com) – Fotos: ARMINDO CERQUEIRA / FOTO GTI

Boticas recebeu engalanada a “família” da Montanha. A edição 2019 da Rampa de Boticas é, para além da última prova da temporada do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, candidata a receber em 2020 o FIA Hill Climb Masters, recebendo para isso uma delegação da FIA que vem inspecionar o evento.

Muito público presente, que vibrou com o espetáculo dado pelas mais de três dezenas de pilotos que alinharam à partida da rampa organizada pelo Demoporto. Depois deste primeiro dia de competição, deu para perceber que teremos luta a três pelo triunfo absoluto na última prova da temporada.

João Fonseca rodou sempre cauteloso nos treinos, sabendo que tem de concluir as três sessões oficiais de treinos para conquistar o ponto extra que lhe dará o título nacional absoluto e o de protótipos. Na subida de prova, o piloto do Silver Car EF 10 arriscou mais e, com o tempo de 2:25.745, saltou para a liderança, dando sinal de que vai querer conquistar mais uma vitória.

Atrás de si, Hélder Silva (Juno CN 09) esteve sempre muito rápido e termina este primeiro dia no 2.º lugar, a apenas 0,9 segundos de Fonseca. José Correia impôs o seu Osella PA2000 EVO2 nas três primeiras subidas do dia. Na subida final, a que contava para a classificação, foi terceiro, a dois segundos do seu melhor tempo da jornada, sendo certo que amanhã também estará na luta pelo triunfo. A quarta posição foi para o endiabrado Luís Nunes.

Não satisfeito por ter arrumado as contas do título da Categoria Turismo na Arrábida, o piloto apresentou-se em Boticas com as mesmas “ganas” que o fazem retirar tudo do potente Ford Fiesta ST R5 e é já líder destacado na Divisão Turismo 3.

A estrear um KIA CEE’D TCR, o flaviense Luís Delgado dominou a Divisão Turismo 4 e está no 5.º lugar da geral da prova. Nuno Guimarães (BRC CM 02) está na 6ª posição, enquanto Joaquim Teixeira (Seat Leon Supercopa MK3) dominou a seu belo prazer as contas da Divisão Turismo 3, sendo ainda 7.º da geral, após este primeiro dia.

Logo atrás, o 8.º lugar da geral é ocupado por Gabriela Correia (Seat Leon Supercopa MK3), na frente de Pedro Marques, 9.º da geral e melhor GT, na estreia do seu novo Porsche 991 GT3 Cup. A fechar o top 10 deste primeiro dia da Rampa de Boticas, está Parcídio Summavielle. O piloto deixou o Skoda Fabia R5 ir abaixo no arranque, perdendo preciosos segundos mas, mesmo assim, está nos 10 primeiros e lidera a Divisão Turismo 1.

Este primeiro dia foi aziago para as mecânicas. Hugo Araújo (Subaru Impreza), Manuel Rocha e Silva (Cupra TCR) e Sérgio Nogueira (Renault Clio RS) não concluíram a subida oficial e prova, com problemas mecânicos nas suas “montadas”, sendo de registar também que Carlos Silva (Peugeot 106) e Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer EVO VI) não concluíram a subida a contar.

Nas lides do Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha JC Group, o primeiro dia da Rampa de Boticas consagrou o novo campeão nacional. Ainda sem o seu habitual Ford Escort MKII, que saiu bastante danificado do acidente na Arrábida, bastou a Ricardo Loureiro arrancar com o BMW 2002 com que se apresentou em Boticas, na primeira subida oficial de treinos, para reclamar o tão desejado cetro, que lhe assenta como uma luva, mercê da grande regularidade que ostentou ao longo da época.

Nas contas da competição, Carlos Oliveira (Ford Sierra RS Cosworh) dominou a seu bel prazer, sendo sempre o mais rápido, nas quatro subidas realizadas. Na única a contar para a classificação, estabeleceu a marca de 3m06,363s e parte com um avanço de 3,3 segundos sobre Paulo Teixeira (Ford Escort MK I), segundo melhor entre os clássicos. O pódio do CPCM JC Group ficou fechado neste primeiro dia com o 3.º posto de Luís Coelho, num BMW 325i.

Os três melhores dos clássicos pertencem todos à Divisão 5. O melhor da Divisão 6 foi Rui Gama, num Austin Clubman Salloon. Problemas mecânicos impediram Augusto Vasconcelos (Ford Escort Twim Cam) de terminar a subida de prova, num dia em que o piloto foi regularmente o segundo mais rápido entre os clássicos.

Duelo interessante pela primazia entre os participantes na TPM1300. Francisco Milheiro (Peugeot 106) e João Silva (Fiat Punto) rodaram sempre forte, com Francisco Milheiro a ser melhor quer nas duas subidas oficiais de treino, quer na subida de prova, estando assim na liderança.

Entre os clássicos 1300 Domingos Fernandes sai na frente, após a primeira subida de prova. O piloto do Autobiachi A112 foi o único a concluir a subida “a doer”, já que José Pedro Figueiredo teve problemas no Datsun 1200.

O dia deste domingo começará com nova sessão de Warm Up, aprazada para as 10h00. Depois, os pilotos terão ainda direito a mais uma subida de treinos oficiais antes de enfrentarem as duas subidas finais de prova que, como habitualmente, serão decisivas para a classificação final desta ultima rampa da temporada.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação