Irmãos Porém rumo ao desconhecido no Dakar

Ricardo e Manuel Porém vão ser os representantes lusos no próximo Rally Dakar no que diz respeito à categoria auto, na tradicional prova de todo-o-terreno que marca o arranque de cada época desportiva, e que em 2020 se disputará integralmente e pela primeira vez, na Arábia Saudita.

(auto.look2010@gmail.com)

Aos comandos de um Borgward BX7 DKR EVO, uma viatura que tem sido alvo de intenso desenvolvimento por parte desta marca germânica, a dupla portuguesa estará integrada na mesma equipa de Nani Roma, o conhecido e experiente piloto espanhol, vencedor do Dakar em 2004 na categoria de motos e 2014 nos automóveis.

Ricardo Porém confia que os três anos de desenvolvimento deste Borgward lhe vão permitir um nível competitivo que lhe permita lutar pelas posições cimeiras, apostando principalmente numa das suas características mais relevante, nomeadamente a sua fiabilidade, sendo que esse será um aspecto fundamental numa prova tão longa e exigente como o Rally Dakar. Com um percurso integralmente desenhado em território Saudita, homens e máquinas vão enfrentar mais de 7.900 quilómetros, 5.000 dos quais cronometrados, divididos por 12 etapas, cinco das quais com mais de 450 quilómetros de extensão.

Uma prova muito dura, e um regresso ao deserto onde os variados tipos de areia vão seguramente colocar diversos e infindáveis desafios aos mais de 351 veículos e 557 participantes, onde a areia será o piso predominante, representando mais de 75% do percurso. O Rally Dakar recebe vários nomes sonantes, como por exemplo o já 13 vezes vencedor Stéphane Peterhansel, o vencedor do ano passado Nasser Al-Attiyah, e a estreia do espanhol Fernando Alonso, anterior campeão de Fórmula 1.

Ricardo e Manuel Porém encontram na Arábia Saudita onde já realizaram o “shakedown” oficial desta que é a 42.ª edição da prestigiada prova. O Rally Dakar arranca este domingo em Jeddah, e termina no dia 17 de Janeiro em Qiddiya.

«O objectivo principal é aprender, sem descurar um possível bom resultado. Vou disputar o Dakar pela segunda vez, agora com o Borgward, e estou confiante que eu e o meu irmão Manuel poderemos lutar para terminar nas dez primeiras posições», começou por afirmar o jovem piloto de Leiria.

«Participei em 2019 no Dakar, noutra região e com uma viatura diferente, mas estou em crer que a experiência que acumulei será muito importante para o desafio deste ano, principalmente ao nível da navegação nas etapas mais longas e técnicas. Creio que na Arábia não teremos áreas de dunas tão extensas como nas edições passadas o que será uma novidade», acrescentou Ricardo Porém.

«O Borgward BX7 é um carro competitivo e bastante fiável, e acredito que estará apto a permitir algumas boas surpresas ao longo da prova. O trabalho desenvolvido pelo Nani Roma e pela Borgward Rally Team tem sido muito relevante na evolução da performance do Borgward, e vamos com confiança. Vou fazer a minha corrida e partir sem qualquer tipo de pressão, tentar ser inteligente, pois são muitos dias, e quero evitar erros, apostar na regularidade, para obter o melhor resultado final», sublinhou o leiriense.

Ricardo Porém deixa «um agradecimento a todos os que nos têm apoiado nesta aventura, à nossa equipa, parceiros e patrocinadores, bem como a todos os adeptos que incondicionalmente nos têm enviado imensas mensagens de motivação, ou seja, vamos dar o nosso melhor».

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação