Hyundai retira as viaturas do WTCR

A marca sul-coreana retirou os seus quatro carros inscritos pela BRC Hyundai N Lukoil Squadra Corse (Norbert Michelisz e Gabriele Tarquini) e pela Engstler Hyundai N Liqui Moly Racing Team (Luca Engstler e Nicky Catsburg), da prova alemã, o que reduz a 16 o número de carros em pista.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Insatisfeita com a regulamentação do BoP, sistema que pretende equilibrar o andamento dos carros para aumentar o espectáculo nas corridas e com o facto de três marcas não terem usado, em Zolder, na prova de abertura da temporada o ECU obrigatório da Magnetti Marelli, a Hyundai abandonou o traçado de Nurburgring.

No comunicado onde anuncia a sua intenção, a marca sul-coreana refere que «a Hyundai Motorsport tem a sensação de que nem a empresa, nem as equipas dos nosso clientes recebem tratamento igual no campeonato em relação com outros concorrentes e não se sentem bem-vindos».

Em resposta, a FIA, a WSC e o Eurosport Events, as entidades que organizam e promovem o WTCR, publicaram um comunicado em que afirmam que «todas as três partes estão unidas na missão de oferecer uma competição justa para todos os participantes, do ponto de vista desportivo, técnico e promocional, oferecendo uma plataforma para que possa competir em condições de igualdade e esperam um diálogo contínuo e construtivo com as equipas clientes da Hyundai Motorsport»

Dada a extensão do traçado mais de 25 km, que levam mais de oito minutos a percorrer e considerando que cada sessão de treinos só tem 30 minutos de duração, os pilotos têm de sair para a pista fazer uma volta de lançamento e têm duas voltas para fazer o tempo, não tendo a possibilidade de ir às “boxes” alterar as afinações que têm de ser as ideais desde o primeiro momento.

Na primeira sessão de treinos livres, o melhor tempo pertenceu ao húngaro Attila Tassi (Honda), único a chegar ao segundo “54”, à frente do francês Yann Ehrlacher (Lynk & Co 03) e do belga Gilles Magnus (Audi RS3 LMS). O português Tiago Monteiro (Honda Civic) registou o 11.º tempo, não tendo conseguido chegar ao minuto oito.

Na segunda sessão, onde a maior parte dos pilotos não melhorou o tempo, o húngaro voltou a ser o mais rápido, ao rodar em 8’55,051”, desta vez à frente do francês Yvan Muller (Lynk & Co 03) e do sueco Thed Bjork (Lynk & Co 03) que melhoraram os seus tempos, mas que não conseguiram superar aqueles que tinham sido feitos pelos três primeiros na sessão de abertura.

Apesar de ter sido oito segundos mais lento do que primeira sessão Tiago Monteiro fez o nono tempo, mas manteve o 11.º no conjunto das duas sessões.

MELHORES TEMPOS DOS TREINOS LIVRES

Attila Tassi (Honda Civic), 8’54,552”

Yann Ehrlacher (Lynk & Co 03), 8’55,481

Gilles Magnus (Audi RS3 LMS), 8’55,525”

Yvan Muller (Lynk & Co 03), 8’56,334”

Thed Bjork (Lynk & co 03), 8’56,406”

Nestor Girolami (Honda Civic), 8’56,410”

Nathanael Berthon (Audi RS3 LMS), 8’57,476”

Jean-Karl Verney (Alfa Romeo), 8’59,410”

Tom Coronel (Audi RS3 LMS), 9’00,682”

Esteban Guerrieri (Honda Civic), 9’00,870”

Mikel Azcona (Cupra), 9’02,285”

Tiago Monteiro (Honda Civic), 9’02,736”

Treinaram mais cinco pilotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: