História do Dakar também se faz no Oriente

Carlos Sainz foi o vencedor, depois de ter comandando a maior parte da prova, e pela terceira vez subiu ao lugar mais alto do pódio. Nas duas rodas, Ricky Brabec, Ruben Faria, Hélder Rodrigues e restante “staff” estão de parabéns por conduzir a Honda ao triunfo e cortar o domínio da KTM.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

O norte-americano Ricky Brabec (Honda), nas motos, que pôs fim ao domínio da KTM que durava desde 2001, os espanhóis Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), nos automóveis, que venceram pela terceira vez, os norte-americanos Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), nos SSV, o chileno Ignacio Casale (Yamaha), nos Quads, e os russos Andrey Karginov/Andrey Mokeev/Igor Leonov (Kamaz), nos camiões, foram os vencedores das respectivas categorias na edição 2020 do “Dakar”, a primeira das cinco agendadas para a Arábia Saudita.

O curto Selector Selectivo (167 km) do derradeiro dia da competição não era propício, em condições normais, a alterações nas posições dos homens da frente e foi isso que sucedeu, com aqueles que partiram no comando para os últimos quilómetros competitivos a manterem as posições e a assegurarem o triunfo.

O pólo de interesse centrava-se no duelo entre o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota) e o francês Stéphane Peterhansel (Mini), navegado pelo português Paulo Fiúza, que partiam para a derradeira etapa separados por 10”.

Ao ser o mais rápido no SS, Nasser Al-Attiyah (Toyota) garantiu o segundo lugar, com duo franco-português a quedar-se pelo derradeiro lugar do pódio, enquanto o letão Benediktas Vanagas (Toyota), que é acompanhado pelo português Filipe Palmeiro, terminava no 15.º lugar.

Carlos Sainz foi o vencedor, depois de ter comandando a maior parte da prova, e pela terceira vez subiu ao lugar mais alto do pódio da mítica prova, depois de ter logrado tal feito em 2010 e 2018. Nesse triunfo de 2018, Carlos Sainz tinha-se, então, tornado no piloto mais velho de sempre a conquistar a competição. Agora, com o triunfo deste ano, coloca mais dois anos em cima desse recorde.

A conquista do piloto espanhol, de 57 anos, surge desta feita ao volante de um Mini, depois os anteriores triunfos terem surgido com a Volkswagen e a Peugeot.

Na 12.ª e última etapa, o piloto madrileno, bicampeão mundial de ralis na década de 1990, foi quinto classificado, a 3m56s de Nasser Al-Attiyah, que venceu a etapa, resultado suficiente para garantir a vitória final.

RICKY BRABEC QUEBROU O DOMÍNIO DA KTM

Nas motos, a vitória do norte-americano Ricky Brabec (Honda), para além de quebrar o domínio da KTM, é um triunfo do português Ruben Faria que agora director desportivo da marca nipónica, que soube gerir, com sucesso, os interesse da equipa e garantir um triunfo que não acontecia desde 1989. Um sucesso que se estende, também, a Hélder Rodrigues, conselheiro dos pilotos Honda no terreno.

No pódio ficaram três motos de marcas diferentes, com o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) e o australiano Toby Price (KTM), o vencedor do ano passado, a completarem o pódio, enquanto os três portugueses presentes António Maio (Yamaha), Fausto Mota (Husqvarna) e Mário Patrão (KTM) terminaram na primeira metade de uma prova marcada pela morte de Paulo Gonçalves.

Nova vitória norte-americana dos SSV, pelas mãos de Casey Currie (Can-Am), com o zimbabueano Conrad Rautebanch (PH-Sport), que foi acompanhado por Pedro Bianchi Prata, enquanto o chileno Ignacio Casale (Yamaha) confirmou o favoritismo que lhe aera atribuído nos Quad e o trio russo foi o melhor dos Kamaz, que fizeram 1-2.

Para o ano o “Dakar” regressa às areias da Arábia Saudita, com novas história para contar.

CLASSIFICAÇÕES

12.ª ETAPA (167 KM)

MOTOS – 1.º, Jose Cornejo (Honda), 1.28’15”; 2.º, Ricky Brabec (Honda), a 53”; 3.º, Toby Price (KTM), a 2’35”; 4.º, Luciano Benavides (Honda), a 3’09”; 5.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 3’23”; 6.º, Kevin Benavides (Honda), a 3’53”; 7.º, Adrien Metge (Sherco), a 3’53”; 8.º, Franco Caimi (Yamaha), a 4’14”; 9.º, Maciej Giemza (Husqvarna), a 4’33”; 10, Andrew Short (Husqvarna), a 4’57”; …; 21.º, António Maio (Yamaha), a 8’59”; …; 29.º, Mário Patrão (KTM), a 16’22”; 30.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 17’54”;

AUTOMÓVEIS – 1.º, Nasser Al-Attiyah/Matthieu Baumel (Toyota), a 1.17’30”; 2.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), 1‘32”; 3.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 3’16”; 4.º, Fernando Alonso/Marc Coma (Toyota), a 3’25”; 5.º, Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 3’31”; 6.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), a 3’56”; 7.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 4’31”; 8.º, Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 4’40”; 9.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 5’09”; 10.º, Mathieu Serradori/Fabien Lurquin (Century),a 5’45”; …; 19.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 10’57”

SSV – 1.º, Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Can-Am), 1.36’19”; 2.º, Blade Hiuldebrand/François Cazalet (Cam-Am), a 24”; 3.º, Austin Jones/Kellon Walch (Can-Am), a 3’18”; 4.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am),a 3’40”; 5.º, Jesus Puras/Xavier Blanco (Can-Am), a 4’17; ..; 7.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 5’42”

GERAL

MOTOS – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 40.02’36”; 2.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 16’26”; 3.º, Toby Pryce (KTM), a 24’06”; 4.º, Jose Cornejo (Honda), a 31’43”; 5.º, Matthias Walkner (KTM), a 35’00”; 6.º, Luciano Benavides (KTM), a 37’34”; 7.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 50’57”; 8.º, Franco Caimi (Yamaha), a 1.42935”; 9.º, Skyler Howes (Husqvarna) a 2.04’01”; 10.º, Andrew Short (Husqvarna), a 2.10’40”; …; 27.º, António Maio (Yamaha), a 6’15’21”; …; 31.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 8’42’54”; 32.º, Mário Patrão (KTM), a 8.44’09”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 42.59’17”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matthieu Baumel (Toyota), a 6’21”; 3.º Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 9’58”; 4.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 49’10”; 5.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 1.07’09”; 6.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 1.12’15”; 7.º, Bernard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 1.18’34”; 8.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 1.59’21”; 9.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 3.42’17”; 10.º, Wei Han/Min Liao (Geely), a 3.51’07”; …; 15.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 7.05’53”.

SSV – 1.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), 53.25’52”; 2.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 39’12”; 3.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), a 52’36”; 4.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 1.12’19”; 5.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Can-Am), a 1.20’38”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: