Hipótese de desforra e Max Verstappen

O mundial de Fórmula 1 regressa este fim-de-semana, com o Grande Prémio de Espanha, a quarta prova da temporada, que sucede ao Grande Prémio de Portugal, no qual o britânico Lewis Hamilton alargou o recorde de triunfos.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Uma semana depois de ser batido em Portimão, onde perdeu o ponto da volta mais rápida, por ter excedido os limites da pista, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) tem oportunidade de desforrar-se da derrota infligida pelo inglês Lewis Hamilton (Mercedes) que chega a Barcelona, no comando do campeonato, com oito pontos de vantagem sobre o holandês.

As três primeiras corridas da temporada confirmaram as previsões que apontavam para um duelo anglo-holandês, deixando a Valtteri Bottas (Mercedes) e ao mexicano Sérgio Perez (Red Bull/Honda) papéis secundários, ainda que o primeiro tenha brilhado nos treinos.

De facto, o finlandês foi o mais rápido em algumas sessões de treinos livre a que juntou a conquista da “pole position” em Portugal, juntando-se a Max Verstappen (Bahrain) e Lewis Hamilton (Emília Romagna), no lote de pilotos que arrancaram da primeira posição da grelha.

Mas, nas corridas, o piloto não consegue acompanhar o ritmo dos seus adversários, enquanto o mexicano continua a adaptar-se ao Red Bull, mas no Algarve conseguiu o quarto lugar, o melhor resultado até agora ao volante do novo carro.

No traçado de Barcelona, que as equipas conhecem como a palma das mãos por ser, por sistema, palco dos testes que antecedem a temporada, ao contrário do que sucede com a “montanha russa” de Portimão, espera-se mais um duelo Hamilton x Verstappen, com Bottas e Perez remetidos a papéis secundários, mas atentos para aproveitarem a oportunidade se ela surgir.

No segundo pelotão a luta tem sido protagonizada pelo inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes) e o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), mas a evolução dos Alpine/Renault, do francês Esteban Ocon e do espanhol Fernando Alonso, que, em Portugal, ocuparam o sétimo e oitavo lugares, respectivamente, atrás dos seis primeiros da corrida e do campeonato, deixa entender que a luta pelo “melhor dos outros” vai “aquecer” e pode tornar-se tão interessante como a luta pela vitória.

Em três corridas, a desilusão tem sido a Aston Martin/Mercedes, de quem se esperava bastante mais, com o canadiano Lance Stroll e o alemão Sebastian Vettel a ficarem aquém do esperado, com o alemão a não passar da Q1 na corrida de abertura e a só chegar à Q3 em Portugal, o que representa um desempenho demasiado modesto para um campeão do mundo.

Mas se na frente não deverá haver surpresas, atrás o conhecimento das características do traçado pode provocar alterações naquilo que aconteceu nas corridas anteriores, por as equipas saberem como encontrar as afinações ideais mais depressa, podendo mesmo descobrir a forma de surpreender a concorrência.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 69 pontos; 2.º, Max Verstappen, 61; 3.º, Lando Norris, 37; 4.º, Valtteri Bottas, 32; 4.º, Charles Leclerc, 28; 6.º Sérgio Perez, 22; 7.º, Daniel Ricciardo, 16; 8.º, Carlos Sainz, 14; 9.º, Esteban Ocon, 8; 10.º, Pierre Gasly, 7; 11.º, Lance Stroll, 5; 12.º, Fernando Alonso, 5 ; 13.º Yuki Tsunoda, 2

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 101 pontos; 2.º, Red Bull Racing Honda, 83; 3.º, McLaren F1 Team, 53; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 42; 5.º, Alpine Renault, 13; 6.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 9; 7.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 5.

HORARIO DO GRANDE PREMIO DE ESPANHA

7 DE MAIO (SEXTA-FEIRA)

10h30/11h30 – Treinos livres

14h00/15h00 – Treinos livres

8 DE MAIO (SABADO)

11h00/12h00 – Treinos livres

14h00/15h00 – Qualificação

9 DE MAIO (DOMINGO)

14h00 – Corrida Formula 1 Aramco Gran Premio De España 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *