Group 1 Portugal assombroso em Portimão

O Ford Escort de Filipe Martins foi o mais forte na corrida 2 do Group 1 Portugal mas houve algumas surpresas nesta manhã de domingo do Algarve Classic Festival. O dia até acordou solarengo, mas os “chuviscos” logo à segunda volta, complicaram e animaram as lutas entre todos.

(auto.look2010@gmail.com)

O Autódromo Internacional do Algarve continuou a receber as animadas grelhas do Algarve Classic Festival e neste domingo, o Group 1 Portugal tinha a sua segunda corrida logo pela manhã. Com o sol radiante, nada fazia prever a chuva que veio logo na segunda volta e que baralhou as posições na grelha.

Novamente com uma corrida de 40 minutos para os Group1 e com a paragem obrigatória nas boxes, tal como no dia anterior, a corrida do Group1 iniciou-se debaixo de sol com algumas nuvens pouco ameaçadoras. Na grelha de partida, composta pelas posições conseguidas na corrida de ontem, o eficaz Ford Escort com o número 501 tinha agora Carlos Dias Pedro ao volante, depois de no dia anterior Ricardo Pereira ter acabado a corrida no “top ten” e ser o primeiro dos portugueses.

Na linha de grelha logo atrás estava Filipe Martins, em carro idêntico e o terceiro melhor português era André Castro Pinheiro com o seu Jaguar XJS V12, que saía na posição imediata e liderava a categoria H81-Max. A dupla Pinto/Liberal colocava o seu VW Golf GTi entre os quatro melhores dos portugueses e saíam a liderar a categoria H81-1600, depois de no dia anterior a dupla familiar Madalena Gaspar e Fernando Mayer Gaspar terem tido problemas no seu Golf idêntico, saindo quase no final da grelha.

Gulherme dal Maso liderava o Troféu Mini e logo atrás tinha Francisco Freitas que era o melhor dos Datsun 1200 e comandava a comitiva dos Production Cup. De registar a posição logo atrás destes dois do mais rápido Ford Escort RS 2000 de Paulo Vieira, que tinha tido problemas no dia anterior e de Hugo Nazário, que com o seu Porsche 924 saía de último, depois de alguns azares na corrida de sábado.

O arranque deu-se sem problemas e na frente não houve troca de posições, mas lá atrás Alexandre Leal arranca bem no seu Mini e cola-se atrás do líder Dal Maso. O VW Golf GTi de Madalena Gaspar/Mayer Gaspar começa a recuperar lugares e o mesmo faz Hugo Nazário no seu Porsche 924, que saíam mais atrasados na grelha.

Logo na segunda volta começa a chover apanhando alguns pilotos desprevenidos, mas o que melhor reagiu foi o VW Golf GTi número 502, com a dupla Gaspar/Mayer Gaspar, que já liderava a categoria H81-1600, à frente de Pinto/Liberal em Golf idêntico e com a dupla de irmãos Matos a ocuparem o terceiro lugar.

Com a transição da pista seca para pista molhada, a adaptação não foi fácil para todos e Francisco Freitas no seu Datsun 1200 parecia incólume às condições, lutando agora com os endiabrados Mini de Dal Maso e Alexandre Leal, com o segundo a conseguir chegar à liderança. O terceiro melhor dos Mini era Guilherme Affonso e na production Cup, Tomás Pinto Abreu e Luís Santa-Bárbara tentavam perseguir o líder Francisco Freitas.

Aos 10 minutos de corrida, quando se inicia a abertura da janela de tempo para as paragens nas boxes, o eficaz VW Golf GTi da G-Force, com a dupla familiar mãe e filho Gaspar, mostrava um andamento frenético em pista e recuperava lugares atrás de lugares para chegar à segunda posição dos portugueses e ser o líder destacado da categoria H81-1600.

Não eram necessárias muito mais voltas para o Golf Gti assaltar o primeiro lugar e mostrar que nesta categoria também é possível liderar no Group 1. Filipe Martins em Ford Escort RS 2000 perdia assim a liderança e na terceira posição vinha outro Ford Escort RS 2000 com Carlos Dias Pedro ao volante.

IRMÃOS FRESCO EM PERSEGUIÇÃO DIABÓLICA

Entretanto, o Jaguar de André Castro Pinheiro caía uma posição e deixava o VW Golf GTi de Cerveira Pinto/Pedro Liberal na quarta posição, mas mantinha a liderança da categoria H81-Max, com Nunes/Dal Maso em Porsche 924 Turbo e os irmãos mirenses Fresco, em Ford Capri MKIII V6 em sua perseguição.

Francisco Freitas encontrava um bom ritmo com o seu Datsun 1200, era líder da Production Cup e deixava a luta com os Mini para trás. Santa Bárbara seguia confortável num segundo lugar entre os Datsun 1200 e no terceiro lugar vinha Mourato Gordo e logo atrás a dupla Reis/Costa. Tomás Pinto Abreu exagerava numa curva e perdia algum tempo para os seus adversários.

Depois da azáfama das paragens nas boxes, o fantástico VW Golf GTi de Gaspar/Mayer Gaspar permanecia na frente, mas com um Filipe Martins mais confiante a encetar uma perseguição ao Golf líder dos portugueses e da categoria H81-1600.

A ganhar terreno, Filipe Martins no seu Ford Escort RS 2000 alcança mesmo a dupla Gaspar, ultrapassando o Golf GTi para comandar o grupo dos portugueses. Até ao final nunca mais largou a primeira posição e foi um justo vencedor, sendo também o líder da categoria H81-2000.

No terceiro lugar chegou o potente Jaguar de André Castro Pinheiro, primeiro da categoria H81-Max, que recuperou a posição perdida a meio da corrida para o Ford Escort RS 2000 de Dias Pedro, este que terminava como segundo da categoria H81-2000. O terceiro desta categoria terminava no lugar imediato, Paulo Vieira que também faz uma excelente recuperação depois da desistência de ontem.

Cerveira Pinto/Pedro Liberal eram os sextos entre os portugueses e conseguiram conquistar o segundo lugar da categoria H81-1600, com os irmãos Matos a completarem o pódio desta categoria.

Segundos da H81-Max, Nunes/Dal Maso levaram a bom porto o seu Porsche 924 Turbo e a completar o trio terminaram os irmãos Fresco, de Mira, no seu espectacular Ford Capri.

Na Production Cup, Francisco Freitas fazia voar o seu Datsun 1200 e liderava destacadíssimo, suplantando inclusivamente carros em prova de outras categorias, teoricamente, superiores. Além de ser o vencedor da Production Cup ainda levou para casa o prémio da Atomic Shop, no valor de 100 euros.

O segundo nesta categoria foi a dupla Reis/Costa, que estava extremamente feliz por alcançar este lugar e no terceiro posto terminaram Mourato Gordo/Rodrigues, todos em Datsun 1200, que também não esconderam a felicidade de pisar o pódio.

No Troféu Mini, Guilherme Dal Maso voltou a vencer, mas não sem antes ter a luta de Alexandre Leal. No início os dois ainda rodaram juntos e com a meteorologia a mudar constantemente, tornava tudo mais emotivo.

No final foi Guilherme dal Maso quem levou a melhor, deixando Alexandre Leal no segundo posto. O estreante na categoria Guilherme Affonso é que voltou a aplicar-se da melhor forma para chegar ao terceiro lugar e levar logo na sua estreia dois pódios.

O Group1 regressa às pistas no Autódromo do Estoril nos dias 23 e 24 de Novembro para o evento Estoril Racing Festival.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação