GP do Mónaco com programa encurtado

Grande Prémio do Mónaco, sétima ronda da temporada de Fórmula 1, está agendado para esta sexta-feira, sábado e domingo nas principais artérias de Monte Carlo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Uma semana depois de ter estado naquele que é o traçado que as equipas melhor conhecem, a Fórmula 1 instala-se em Monte Carlo, para o traçado mais difícil da temporada, que todos querem ganhar, mas onde o mais pequeno erro é pago com um “toque” nos “rail” e com a desistência.

A necessidade de diminuir os custos levou a encurtar o programa que começa esta sexta-feira, como sucede em todos os Grandes Prémios, em vez de acontecer na quinta-feira, como era tradicional. A sexta-feira permitia as numerosas acções promocionais que as mais diversas marcas promoviam, juntando as vedetas da Fórmula 1 com as do cinema provenientes do Festival de Cannes para embelezar as “boxes” e o “paddock club”.

O encurtar do programa pode ser o primeiro passo para que a prova desapareça do calendario do Campeonato do Mundo, por a ver quem considere as corridas de pouco interesse desportivo por as ultrapassagens serem quase inexistentes e quem parte na frente a vencer na maior parte das vezes.

É por isso que o Automobile Club de Monaco está a estudar a hipótese de alterar o traçado, com o objectivo de criar zonas de ultrapassagem, na procura da manutenção da prova no calendario do campeonato.

Com quatro vitórias – as últimas três consecutiva, em seis provas –, o neerlandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) chega às ruas de Monte Carlo, onde venceu o ano pasado, no comando do campeonato. São seis pontos de avanço sobre o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) que, ao abandonar em Barcelona, deixou o lugar que foi seu desde o inicio da temporada.

A luta entre os dois pode voltar a marcar a corrida, mas fica a dúvida em relação ao que a Mercedes poderá fazer, depois do passo em frente mostrado em Barcelona, que permitiu boas posições aos seus pilotos na grelha de partida e a ida ao pódio ao inglés George Russell (Mercedes).

Já Lewis Hamilton (Mercedes) foi obrigado a uma recuperação desde o fim do pelotão, depois de uma ida à “box” logo na volta de abertura, em consequência de um desentendimento com o dinamarqués Kevin Magnussen (Haas/Ferrari), para recuperar até quinto, mas a deixar a sensação que podía ter discutido os lugares do pódio.

Esta é a prova onde largar da “pole” é, em condições normais, é meio camino andado para a vitória, pelo que a luta pela presença na Q3 e pela primeira posição da grelha promete ser emocionante.

CLASSIFICAÇÕES DOS CAMPEONATOS

PILOTOS – 1.º, Max Verstappen, 110 pontos; 2.º, Charles Leclerc, 104; 3.º, Sergio Perez, 85; 4.º, George Russell, 74; 5.º, Carlos Sainz, 65; 6.º, Lewis Hamilton, 49; 7.º, Lando Norris, 39; 8.º, Valtteri Bottas, 38; 9.º, Esteban Ocon, 30; 10.º, Kevin Magnussen, 15; 11.º, Daniel Riccardo, 11; 12.º, Yuki Tsunoda, 11; 13.º, Pierre Gasly, 6; 14.º, Sebastian Vettel, 4; 15.º, Fernando Alonso, 4; 16.º, Alexander Albon, 2; 17.º, Guaynu Zhou, 1; 18.º, Lance Stroll, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Oracle Red Bull Racing, 195 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 169; 3.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 120; 4.º, McLaren F1 Team, 50; 5.º, Alfa Romeo F1 Team Orlen, 39; 6.º, BWT Alpine F1 Team 34; 7.º, Scuderia AlphaTauri, 17; 8.º, Haas F1 Team, 15; 9.º, Aston Martin, 6; 10.º, Williams Racing, 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.