GP do Bahrain: muito para confirmar ou… desmentir

Quinze dias depois do arranque da temporada no Albert Park (Melbourne – Austrália) a F1 volta a estar em acção, desta feita no traçado de Sakhir (Bahrain) onde muito do que se viu na jornada de abertura pode ser confirmado ou desmentido.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Se o domínio da Mercedes foi inesperado, face ao que tinha sido visto nos testes em Barcelona, resta ver se a marca alemã confirma a superioridade evidenciada no traçado australiano, onde conseguiu a “dobradinha” e se o finlandês Valtteri Bottas volta a bater o inglês Lewis Hamilton, algo que não estava nas previsões, com o finlandês a ter de confirmar que a exibição na prova de abertura não foi um caso, mas que pode ser um “duro osso de roer” para o campeão do mundo.

A forma discreta como a Ferrari passou pelo Alberto Park, depois do domínio exercido em Barcelona, foi outra das novidades da corrida inaugural, com a equipa de Maranello a ter de provar, agora, que tudo não passou de um “acidente de percurso” e que está capaz de lutar com a Mercedes, como todos desejam, numa repetição do que sucedeu o ano passado.

É que a marca italiana viu, ainda, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) classificar-se à frente dos seus dois pilotos, e teve de “travar” o ímpeto atacante do jovem monegasco Charles Leclerc, para permitir ao alemão Sebastian Vettel terminar à sua frente.

Por aquilo que se viu no Albert Park, Charles Leclerc vai dar “muitas dores de cabeça” ao alemão que não costuma gerir bem essas situações, ao contrario do que sucede com Lewis Hamilton que encontra nelas motivos para se superar.

Ao contrário do que sucedeu o ano passado, quando os carros “empurrados” pelo seu motor se arrastavam no meio do pelotão, a Honda parece ter dado um claro passo em frente, como atesta o terceiro lugar de Max Verstappen na primeira corrida e pelo ponto conquistado pelo russo Daniil Kvyat ao volante dos melhores dos Toro Rosso, pelo que haverá que ver se vamos ter uma confirmação ou um desmentido.

O dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) foi o “melhor dos outros”, depois de uma luta intensa no segundo pelotão, luta essa que deve prosseguir no traçado do Bahrain, onde, a menos que haja uma surpresa, os Williams/Mercedes, do inglês George Russell e do polaco Robert Kubica, deverão voltar a partilhar a derradeira linha da grelha e os últimos lugares da classificação.

 

 

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTO – 1.º Valtteri Bottas, 26 pontos; 2.º Lewis Hamilton, 18; 3.º Max Verstappen 15; 4.º Sebastian Vettel, 12; 5.º Charles Leclerc, 10; 6.º Kevin Magnussen, 8; 7.º Nico Hulkenberg, 6; 8.º Kimi Raikkonen, 4; 9.º Lance Stroll, 2; 10.º Daniil Kvyat, 1.

CONSTRUTORES – 1.º Mercedes AMG Petronas Motorsport, 44 pontos; 2.º Scuderia Ferrari, 22; 3.º Aston Martin Red Bull Racing, 15; 4.º Rich Energy Haas F1 Team, 8; 5.º Renault F1 Team, 6; 6.º Alfa Romeo Racing, 4; 7.º SportPesa Racing Point F1 Team, 2; 8.º Red Bull Toro Rosso Honda, 1.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação