Gonçalo Assunção partiu prematuramente…

Considerado uma das maiores promessas da navegação de ralis, Gonçalo Assunção perdeu esta segunda-feira a última especial da sua vida. Aos 23 anos de idade, o jovem algarvio de S. Brás de Alportel não resistiu aos ferimentos sofridos num acidente de viação na véspera de Natal de 2020 e deixou um rasto de consternação.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Gonçalo Assunção

A família do automobilismo e, dos ralis em particular, está de luto. Centenas de aficionados estão a utilizar as redes sociais para lamentar a morte do jovem navegador Gonçalo Assunção que, aos 23 anos, não resistiu às complicações causadas por um acidente a 24 de Dezembro último.

Todos, sem excepção, manifestam o seu pesar pela perda de um navegador de ralis bastante promissor mas, acima de tudo, uma pessoa de grande carácter. Os seus valores eram amplamente reconhecidos, sobretudo pela forma muito peculiar de agir e reagir. A sua firmeza e coerência de atitude que aplicava nos ralis eram já uma referência, sendo apontado com um exemplo a seguir, quer no plano desportivo, como no contexto profissional e social.

Esta segunda-feira, o automobilismo ficou despido, com a partida abrupta de um jovem desportista e um amigo de eleição. Uma partida precoce que deixa a sua família completamente devastada, assim como a “família” dos ralis e de todos aqueles que privaram de perto.

Gonçalo Assunção e João Monteiro exibem os troféus do triunfo

João Monteiro, completamente destroçado e sem conseguir disfarçar as lágrimas que lhe corriam pelo rosto, destacou «os valores» apesar de tenra idade, bem como «a firmeza e coerência das suas acções no que concerne aos procedimentos e comportamentos». «O Gonçalo era um jovem de princípios e muito firme na ambição. Respirava alegria por todos os poros e era muito dedicado à causa dos ralis, despertando a atenção pelo seu entusiasmo contagiante no banco direito das viaturas de competição».

Recorde-se que Gonçalo Assunção começou a ganhar notoriedade na qualidade de navegador com João Monteiro, piloto com um vasto palmarés, alcançando o título de campeão Regional do Sul, em 2004, navegado por José Teixeira, actual navegador de Ricardo Teodósio no Campeonato de Portugal de Ralis e campeões nacionais em 2019. No ano que João Monteiro foi campeão, também Luís Assunção, pai do jovem malogrado Gonçalo Assunção, festejou o ceptro de navegadores ao lado do piloto João Fontainhas.

Gonçalo Assunção e João Monteiro festejam a vitória com a equipa num dos ralis do Algarve

Recorrendo à expressão utilizada na língua portuguesa quando se exprime a ideia de que os filhos herdaram boas qualidades dos pais, ou seja, “Filho de peixe, sabe nadar”, Gonçalo Assunção sagrou-se vencedor da classe X2 (Duas Rodas Motrizes) em 2019, partilhando com João Monteiro o Toyota Corolla 2.0 e Renault Clio 2.0, em ambos os casos com as cores Autolook. pt. Durante as épocas de 2018 e 2019, esta temível dupla conquistou todas as provas disputadas em pisos de terra com o Toyota Corolla 2.0, o que traduz na perfeição a dedicação e evolução de um jovem que tinha uma longa margem de progressão pela frente mas que, infelizmente, caiu nas malhas da fatalidade.

De um conjunto alargado de mensagens de consternação, destacamos a da Federação Portuguesa de Automobilismo e karting (FPAK): «Foi com profunda tristeza que tomámos conhecimento do falecimento de Gonçalo Assunção, navegador de ralis desde 2017. O automobilismo português fica mais pobre. À família e amigos as nossas sentidas condolências».

Esta foto regista o prémio final do curso de Navegadores, com Gonçalo Assunção a dar uma volta no troço da Escola ao lado do Ricardo Filipe num Mitsubishi Lancer Evo VI

«Infelizmente o Gonçalo Assunção não resistiu aos graves problemas de saúde que vinha a sofrer nos últimos meses e deixou-nos hoje. Em 2019 viria a ser a mais bem sucedida época desportiva da tristemente curta carreira do co-piloto sambrazense. À família, com um abraço especial ao Luís Assunção, e a toda a comunidade algarvia dos ralis, o CAAL apresenta sentidas condolências», pode ler-se na nota deixada pelo Clube Automóvel do Algarve.

Também Ricardo Teodósio, campeão nacional de ralis em 2019 e vencedor da primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis – Rali Terras d’Aboboreira –, também deixou palavras de desolação: «Foi com enorme tristeza que recebi a notícia da morte do Gonçalo Assunção. Um jovem com quem partilhava a paixão pelos ralis e que tinha um futuro enorme pela frente. Ao seu pai Luís (Assunção) e à restante família e amigos, gostava de deixar uma palavra de conforto e os meus mais sinceros sentimentos».

Para o piloto Daniel Nunes, «o automobilismo português ficou mais pobre com a notícia do falecimento de Gonçalo Assunção». «À família e amigos sentidas condolências».

Por seu turno, José Martins também não se conforma com a partida prematura dom jovem Gonçalo Assunção, natural de S. Brás de Alportel e filho de Luís Assunção, que também foi um navegador de respeito e grande apaixonado pela competição automóvel.

«É terrível perder um amigo, e mais terrível é quando se trata de um jovem na primavera da vida, que nos deixa devido às consequências de um acidente de viação que aconteceu à algum tempo. O Gonçalo Assunção foi um dos meus alunos num dos Cursos de Navegadores da Rally School Algarve – juntamente com Paulo Soares da Costa –, sempre atento a todos os detalhes terá sido um dos que mais evoluiu durante o curso, ao ponto de eu ter sugerido o seu nome ao Jaime Falcão com quem correu em 2017, e foi com gosto e algum orgulho que o vi evoluir depois ao lado do João Monteiro e mais tarde ao lado do Rui Rijo já com um Mitsubishi Lancer Evo VI. Um jovem com uma alegria de viver enorme que gostava tanto dos ralis como eu, e com um grande futuro neste desporto. O destino fez com que partisse hoje, deixando os inúmeros amigos e a sua família devastados. Vou-me lembrar sempre dele pelo gosto que tinha por este desporto e como um exemplo a seguir pelos todos os jovens que gostem de ralis. Descansa em paz Gonçalo».

Rodrigo Correia, o mais novo piloto de ralis em Portugal, também se associou à dor pela partida do jovem algarvio: «O mundo dos ralis a sul ficou mais pobre esta manhã com a notícia do falecimento de Gonçalo Assunção. À família e amigos, em meu nome e de toda a minha equipa endereço sentidas condolências».

Gonçalo Assunção iniciou a sua carreira desportiva nos karts. A sua primeira experiência como navegador foi ao lado de Jaime Falcão, num Mazda 323, seguindo-se o louletano Luís Nascimento, num Opel Corsa A 2.0. Ma foi ao lado de João Monteiro que experimentou o sabor dos triunfos e ganhar ainda mais a aptidão pela modalidade, alinhando, já em finais de 2020 e com o pais e o mundo a atravessar a pandemia, que navegou Rui Rijo num Mitsubishi Lancer EVO VI.

A equipa Autolook endereça sentidas condolências a toda a sua família de Gonçalo Assunção, bem como aos familiares dos ralis e amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *