GNR com 2.279 militares no Rali de Portugal

Cinco comandos territoriais e 2.279 elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) vão procurar garantir um Vodafone Rali de Portugal «seguro» e projectar «a melhor imagem internacional» do país e do evento.

(auto.look2010@gmail.com)

«Vamos usar todas as valências da GNR para manter a ordem pública, fazer a contenção dos espectadores nas provas e regularizar o tráfego rodoviário entre as provas classificativas, em estreita colaboração com a organização da prova», a cargo do Automóvel Club de Portugal (ACP), garantiu o coronel Ruas Moreira, comandante do comando territorial do Porto da GNR.

O Porto terá a coordenação da segurança da prova, que decorre de sexta-feira a domingo, numa mega operação que inclui ainda os comandos territoriais de Braga, Vila Real, Aveiro e Coimbra.

Ao todo vão ser patrulhados 307 quilómetros de troços cronometrados, mais 1.200 quilómetros de trajectos de ligação, numa operação que obriga a «racionalização e eficiência de meios, que ultrapassam as capacidades das unidades envolvidas».

O major Abel Adriano, director de operações do comando operacional da GNR, divisão de trânsito, recordou o facto de a Federação Internacional do Automóvel (FIA) ter «regras muito apertadas», pelo que «tudo será feito para que nada aconteça que coloque em causa o Rali de Portugal».

«Teremos apertadas regras de segurança para garantir as melhores condições do espectáculo, seja para os concorrentes darem o seu melhor, para os media fazerem o seu trabalho e projectarem internacionalmente o rali e os espectadores poderem desfrutar das melhores condições do espectáculo, minimizando o risco de incidentes que possam colocar em causa a integridade física seja de quem for», vincou.

Para as 36 zonas de espectáculo, 25 delas especialmente preparadas para o público, vai haver uma exigência reforçada no cumprimento das regras rodoviárias, mas também ambientais, no que toca a cuidados com a prevenção de incêndios e vestígios de lixo, entre outros.

A preocupação dos espectadores em procurar informação antecipada quanto às regras de segurança e locais para assistir às provas é «mais do que recomendada», tal como o cuidado com a hidratação e calçado e vestuário adequado aos lugares e condições climatéricas.

Horácio Rodrigues, director da prova, informou que o Vodafone Rali de Portugal vai contar com cinco transmissões em directo entre RTP1 e RTP2, nomeadamente Lousada, Vieira do Minho 1 e 2, e Fafe 1 e 2, «onde está a “power stage”».

Congratulou-se ainda com o regresso da competição ao centro do país, com os troços de Arganil, Lousã e Góis, lamentando igualmente a anulação das especiais de Vila Nova de Gaia, «com um total de apenas cinco/seis quilómetros nas duas passagens», que a organização já não foi a tempo de substituir.

A 53.ª edição do Vodafone Rali de Portugal é a sétima das 14 provas do campeonato, que é liderado pelo francês Sébastien Ogier, (Citroën C3 WRC), com 122 pontos, seguido do estónio Ott Tänak (Toyota Yaris WRC), com 112, e do belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupe WRC), com 110.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação