Furo quase rouba vitória a Lewis Hamilton

O piloto britânico da Mercedes venceu hoje o Grande Prémio da Grã-Bretanha de Fórmula 1 pela sétima vez e alargou a vantagem no Mundial de pilotos.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Uma corrida que parecia sem história, tal a superioridade exibida pelos Mercedes ao longo de 50 das 52 voltas que a compunham, tornou-se “dramática” nas duas derradeiras voltas. Primeiro quando o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), segundo desde o início da corrida, furou, numa altura em que o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) parou para meter pneus macios para ir à do ponto da volta mais rápida, que conseguiu, e logo a seguir foi a vez do pneu dianteiro esquerdo do carro do inglês Lewis Hamilton (Mercedes), o mesmo do seu colega de equipa, furar e o inglês arrastou-se até à meta, com o holandês a dar tudo por tudo para tentar chegar à vitória o que só não conseguiu por muito pouco.

Terceira vitória, em quatro corridas, para o campeão do mundo que aumentou a vantagem sobre o seu colega de equipa que, apesar dos esforços, não conseguiu desalojar o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) do derradeiro lugar pontuável.

Como consequência do furo de Valtteri Bottas, o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) acabou por subir ao pódio, depois de ter sido um tranquilo quarto ao longo de quase toda a corrida.

Mas, antes das “loucas” duas últimas voltas, o interesse residiu na luta pelo quinto lugar uma vez que Lewis Hamilton, Valtteri Bottas, Max Verstappen e Charles Leclerc mantiveram as posições da partida ao longo de quase toda a corrida.

Na verdade, na primeira das duas corridas agendadas para Silverstone, que poderão ser três, caso não seja possível efectuar a deslocação a Barcelona, a Mercedes dominou de forma clara, apesar das duas entradas em pista do “Safety Car”.

O primeiro logo na volta de abertura, em consequência de um “toque” entre o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari), que abandonou, e o inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda), que caiu para o fundo do pelotão e não mais recuperou.

Apesar de se estarem a cumprir os primeiros metros, os dois Mercedes já tinham “fugido” dos seus perseguidores e voltariam a fazê-lo quando o “Safety Car” saiu da pista, na 6.ª volta.

O “Safety Car” voltaria a entrar em acção oito voltas mais tarde, quando um pneu do carro do russo Daniil Kvyat (Alpha Tauri/Honda) furou e o “atirou” para fora da pista, para sair cinco voltas depois, com a maior parte dos pilotos a aproveitar para trocar pneus, o que deixou tudo na mesma na frente, com as posições a manterem-se inalteradas ao longo de toda a corrida.

Na frente, os “Mercedes boys” entretinham-se a jogar “ao gato e ao rato”, alternando na obtenção da volta mais rápida, com Lewis Hamilton a controlar os “ataques” de Valtteri Bottas.

Atrás deles o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) e o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) estava na “terra de ninguém”, tendo feito toda a corrida sem ninguém por perto.

Intensa foi a luta pelo quinto lugar, que envolveu os dois McLaren/Renault, os dois Renault, o Racing Point do canadiano Lance Stroll e o Alpha Tauri do francês Pierre Gasly, com o espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) a perder um lugar nos pontos, por também ter furado, com o australiano Daniel Ricciardo (Renault) a acabar em quarto, à frente do inglês Lando Norris (McLaren/Renault) e do francês Esteban Ocon (Renault), com os pilotos oficiais da marca do losango conseguirem superiorizar-se aos volantes do cliente.

O francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) bateu o inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda), que o substituiu na equipa principal, autor de uma recuperação notável, com o canadiano Lance Stroll (Racing Point) e o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) a terminarem nos derradeiros lugares pontuáveis, com o alemão a beneficiar dos incidentes das últimas voltas para chegar aos pontos.

O mais infeliz foi o alemão Nico Hulkenberg (Racing Point/Mercedes) cujo carro apresentou problemas eléctricos que começaram por o impedir de ocupar o lugar na grelha e depois o levaram a não participar na corrida.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Pirelli British Grand Prix

Circuito – Silverstone

Extensão – 306,198 km = 52 x 5,891 1km

“Pole position” – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (5,891 km), em 1’24,303” (251,564 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’24,303”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’24,616”; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’25,325”; Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’25,427”; 3.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’25,782”; Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1’25,839”; 4.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’25,965”; Daniel Riccardo (Renault RS20/Renault), 1’26,009”; 5.ª linha: Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), 1’26,209”; Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’26,339”; 6.ª linha: Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’26,501”; Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’26,545”; 7.ª linha: Nico Hulkenberg (Racing Point RP20/Mercedes), 1’26,566”; Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 1’27,158”; 8.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’27,164”; Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’27,366”; 9.ª linha: Romain Grosjean (Haas VF-20/Ferrari), 1’27,643”; Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 1’27,705”; 10.ª linha: Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’26,744”; George Russell (Williams FW43/Mercedes), 1’27,092”

Nota – Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda) e George Russell (Williams FW43/Mercedes) penalizados, em cinco lugares, o primeiro por ter trocado a caixa de velocidades, o segundo por não ter abrandado o suficiente numa zona de bandeira amarela

Comandantes sucessivos – Lewis Hamilton, da 1.ª à 52.ª volta

Volta mais rápida – Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1 volta (5,891 km), em, 1’27,097”

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 52 voltas (306,198 km), em 1.28.01,283”

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes 1.28’01,283”
2.º Max Verstappen Red Bull RB16 Honda a 5,856″
3.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 18,474″
4.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 19,650″
5.º Lando Norris McLaren MCL35 Renault a 22,277″
6.º Esteban Ocon Renault RS20 Renault a 26,937″
7.º Pierre Gasly Alpha Tauri AT01 Honda a 31,188″
8.º Alexander Albon Red Bull RB16 Honda a 32,670″
9.º Lance Stroll Racing Point RP20 Mercedes a 37,311″
10.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 41,857″
11.º Valtteri Bottas Mercedes W11 Mercedes a 42,167″
12.º George Russell Williams FW 43 Mercedes a 52,004″
13.º Carlos Sainz McLaren MCL35 Renault a 53,370″
14.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C39 Ferrari a 54,205″
15.º Nicholas Latifi Williams FW 43 Mercedes a 54,549″
16.º Romain Grosjean Haas VF-20 Ferrari a 55,050″
17.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 1 volta

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 88 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 58; 3.º, Max Verstappen, 52; 4.º, Lando Norris, 36; 5.º, Charles Leclerc, 33; 6.º, Alexander Albon, 26; 7.º Sérgio Perez, 22; 8.º, Lance Stroll, 20; 9.º, Daniel Ricciardo, 20; 10.º, Carlos Sainz, 15; 11.º, Esteban Ocon, 12; 12.º, Pierre Gasly, 12; 13.º, Sebastian Vettel, 10; 14.º, Antonio Giovinazzi, 2; 15.º, Kevin Magnussen, 1; 16.º, Daniil Kvyat, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 146 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 78; 3.º, McLaren F1 Team, 51; 4.º, Scuderia Ferrari, 43; 5.º, BWT Racing Point F1 Team, 42; 6.º, Renault DP World F1 Team, 32; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 13; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 2; 9.º, Haas F1 Team, 1

Próxima prova – Emirates F1 70th Anniversary Grand Prix, no Circuito de Silverstone, dia 9 de Agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: