Fuga de gasolina motiva atraso a António Maio

Piloto Yamaha foi obrigado a parar a meia dezena de quilómetros da zona de assistência para resolver o problema da fuga de combustível, perdendo, todavia, tempo e posições. Nada que não possa recuperar já a partir desta terça-feira.

(auto.look2010@gmail.com)

Depois do excelente desempenho na etapa de domingo do Rali Dakar, António Maio teve esta segunda-feira de superar uma contrariedade no Sector Selectivo de 338 quilómetros da etapa entre Ha’il e Al Qaisumah que o fez perder preciosos minutos e baixar algumas posições na classificação. Uma fuga de combustível obrigou-o a parar a 5 quilómetros da zona de assistência.

Na chegada ao bivouac, o piloto da Yamaha revelou que «estava a rolar com bom ritmo até ter tido, infelizmente, uma fuga que me fez perder a gasolina apenas a 5 km de uma das assistências, o que me atrasou cerca de 30 a 40 minutos. Graças à ajuda de outro piloto consegui retomar a etapa», começou por referir o piloto alentejano.

«Este contratempo fez-me perder uma série de posições, pois até lá seguia nos 20 primeiros. Apesar do resultado não ter sido o que ambicionava, estou, acima de tudo, contente por ter terminado mais um dia de Dakar, novamente sem qualquer erro de navegação», sublinhou António Maio que ocupa agora a 23.ª posição entre os pilotos da classe GP e o 29.º lugar da classificação geral.

Esta terça-feira disputa-se a terceira etapa da 44.ª edição do Rali Dakar. Trata-se de uma jornada cumprida em torno de Al Qaisumah e que contará com uma especial composta por 255 km. A primeira parte do Sector Selectivo incluirá muita areia, mas as intermináveis interseções vão marcar o dia e podem fazer com que os pilotos cometam erros. É fundamental gerir de forma adequada os pneus para terminar a etapa sem surpresas desagradáveis.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.