Fred Rocha apto para o Mundial de Enduro GP

Depois da dureza do pretérito fim-de-semana, em que o resultado não reflecte o andamento imposto devido a algumas quedas, o piloto de Coimbra, apoiado por autolook.pt, regressa a Marco de Canaveses para a derradeira prova do Mundial de Enduro GP a fim de clarificar posições e ambições.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

A caravana mundialista do Enduro regressa este fim-de-semana a Marco de Canaveses para a última ronda do Mundial da disciplina, contando com a participação de Frederico Vilaranda Rocha, jovem piloto de Coimbra que alinhou em todas as rondas do Mundial – França, Itália e Portugal – e que está optimista para as duas rondas que se avizinham.

Restabelecido do último compromisso e com apenas quatro dias de recuperação, Frederico Vilaranda Rocha aposta numa toada de prudente para ajudar Portugal a alcançar uma posição de relevo no panorama mundial da especialidade e, nada melhor, que o fazer em território nacional.

Foi precisamente em Marco de Canaveses que o jovem piloto de Coimbra, de apenas 18 anos de idade, acumulou alguns ensinamentos tendo em vista o seu futuro. O primeiro dia não foi brilhante, face a algumas doses de azares em que esteve envolvido, mas no segundo dia, registou uma participação bastante positiva.

Um cenário que Fred Rocha aspira manter para este sábado e domingo: «Para este fim-de-semana estamos empenhados em protagonizar uma dupla competição proveitosa a todos os níveis. A nossa finalidade “alimenta-se” na concretização de melhorar a classificação, bem como progredir e auferir experiência internacional», sublinhou o jovem piloto conimbricense.

Outro objctivo de Fred Rocha, piloto apoiado por autolook.pt,  passa por «terminar com sucesso os oito dias de prova que compõem o Mundial de 2020». «Trata-se de uma missão que está quase a concretizar-se. Só faltam dois dias para atingir esse desejo e que, naturalmente, se prevêem muito duros, mas estamos preparados para esgrimir argumentos para lutar com as nossas “armas”», acrescentou o jovem piloto.

Marco de Canaveses será, assim, o palco de todas as decisões em termos de títulos mundiais de Enduro em 2020, com sete pontos a separar Steve Holcombe de Brad Freeman, com vantagem para o primeiro, na classe EnduroGP. Para que Brad Freeman chegue ao ceptro, terá somente de vencer os dois dias de prova e aguardar que num deles alguém se intrometa entre ele e o líder do campeonato.

Na categoria E1, Andrea Verona comanda mas tem somente quatro pontos de avanço sobre Thomas Oldrati, pelo que está tudo em aberto e, na prática, quem ganhar em Marco de Canaveses sai de Portugal com o triunfo absoluto em termos de Campeonato Mundial.

Na classe Open 2, o português Gonçalo Reis (KTM), está muito próximo de vencer o Campeonato do Mundo pelo segundo ano consecutivo, com o checo Robert Friedrich, em moto idêntica, a surgir em Marco de Canaveses como uma sombra do sintrense, com o objectivo “arruinar” o talentoso piloto português.

Ainda nesta classe perfilam os portugueses Gonçalo Sobrosa (Beta), Ricardo Wilson (Beta) e Frederico Rocha (Husqvarna).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: