Francisco Carvalho 1.ª prova GT3 Cup em Braga

As emoções estiveram ao rubro no troféu monomarca com os Porsche 997 GT3 no Braga RacingKickoff, organizado pelo CAMI Motorsport, com os dois primeiros classificados daquela competição a terminarem separados por 1.698 segundos.

(auto.look2010@gmail.com)

Francisco Carvalho triunfou, ao princípio da tarde deste domingo, na primeira corrida da GT3 Cup, depois de um emocionante duelo com José Rodrigues, numa altura em Carlos Vieira, devido a problemas de motor, já se encontrava fora de prova.

Largando da “pole position” para uma corrida sob piso bastante molhado, Carlos Vieira rapidamente assumiu o comando, na frente de José Rodrigues, Vasco Barros, Francisco Carvalho e Jorge Areia. Contudo, ao fim de quatro voltas o motor do seu Porsche perdia rendimento, forçando-o à desistência. José Rodrigues, a jogar “em casa”, recebeu de braços abertos a prenda do piloto de Fafe, mas acabou, já no último terço, depois de Carvalho ter ultrapassado o jovem Barros, por não resistir ao seu ataque.

Se o segundo lugar na grelha o colocava entre os candidatos à discussão da vitória, Manuel Fernandes teve uma prova para esquecer, por motivos aos quais foi alheio, já que na volta de lançamento viu acender a luz de alarme da falta de pressão de água. A entrada nas boxes atrasou-o irremediavelmente, restando-lhe a consolação de ter assinado a volta mais rápida da corrida.

Jorge Areia conquistou um excelente terceiro lugar e subir ao pódio absoluto, além da vitória da classe GD, sendo de destacar, também, a extrema regularidade do veterano Manuel Mello Breyner, que, sem cometer erros numa pista traiçoeira, levou o seu 997 GT3 ao quinto lugar, atrás do jovem Vasco Barros.

1.ª CORRIDA

1.º Francisco Carvalho (PRO), 25m06.616s; 2.º José Rodrigues (PRO), a 1.698s; 3.º Jorge Areia (GD), a 11.560s; 4.º Vasco Barros (PRO), a 16.956s; 5.º Manuel Mello Breyner (PRO), a 46.721s; 6.º Luís Rocha (AM), a 53.302s; 7.º António Pereira (AM), a 1m07.573s; 8.º Manuel Fernandes (AM), a 1 volta; 9.º Mousinho Esteves, a 1 volta; 10.º João Vieira (GD), a 1 volta; 11.º Pedro Branco (GD), a 1 volta; 12.º José Oliveira (GD), a 2 voltas.

Volta mais rápida: Manuel Fernandes (1m27.837s); Carlos Vieira (PRO) não se classificou

REACÇÕES DOS PILOTOS

Francisco Carvalho (1.º)

“Foi uma vitória muito difícil, pois arranquei do quarto lugar e nas primeiras voltas havia demasiado spray, não se via nada. Quando me apercebi que o Carlos Vieira estava com problemas, pensei que poderia ser mais fácil para mim. Juntamente com o Rodrigues, fizemos uma excelente corrida. Atrasei-me no arranque e ele conseguiu passar, mas depois pressionei-o e disse ao Luís Veloso pela rádio “vamos ganhar esta corrida”. E a verdade é que consegui mesmo ganhá-la”.

José Rodrigues (2.º)

“Creio que acusei um pouco a falta de experiência neste tipo de carros, mas foi uma corrida quase perfeita, liderando uma grande parte da mesma. O facto de o Carlos Vieira ter problemas facilitou um pouco, mas depois de eu assumir o primeiro lugar fui demasiado cauteloso, sobretudo nas dobragens, na tentativa de não colocar em risco o primeiro lugar. Isso permitiu a aproximação do Francisco Carvalho que aproveitou para me atacar, mas na última volta eu já estava em cima dele para discutir a vitória, só que já não deu”.

Jorge Areia (3.º)

“Estou satisfeito, embora não tenha sido fácil, pois havia muito spray e a visibilidade em pista era escassa. Agora o motor não teve falhas como na qualificação e já pude andar melhor”.

Vasco Barros (4.º)

“De um modo geral a prova correu-me bem, embora tivesse cometido alguns erros que me fizeram perder um ou dois lugares. No final, nas últimas quatro/cinco voltas o motor começou a falhar. De qualquer modo, o balanço é positivo”.

Manuel Mello Breyner (5.º)

“Foi uma corrida muito simpática. Estou bastante satisfeito”.

Luís Rocha (6.º)

“Correu tudo bem, impecável mesmo. Não estava habituado à chuva e logo a conduzir um carro de tração traseira. Portanto, o importante era concluir a corrida”.

António Pereira (7.º)

“Decorreu tudo bem, foi de cinco estrelas. Estava preocupado com as condições traiçoeiras do piso e, nessas condições, o importa era não cometer erros”.

Manuel Fernandes (8.º)

“Foi uma pena ter surgido uma luz de alarme no painel de instrumentos relativa à falta de pressão de água ainda antes da largada. Tive que parar nas boxes e com isso a minha corrida ficou estrada”.

Mousinho Esteves (9.º)

“Foi uma corrida interessante para mim, na qual me senti bem. Parti de último na grelha, mas acabei por recuperar três posições directas, o que me deixou satisfeito”.

João Vieira (10.º)

“Continuei o meu processo de aprendizagem e pela primeira vez disputei uma corrida, o que é bastante diferente dos treinos, pois há muita adrenalina. O balanço que faço é muito positivo”.

Pedro Branco (11.º)

“Pela primeira vez guiei um Porsche em chuva e foi espetacular. Digamos que deixei de ser virgem nessas condições. Claro que andei à defesa, mas senti-me bastante confortável. Adorei e o carro é fantástico”.

José Oliveira (12.º)

“Foi excelente e é uma sensação fantástico chegar ao fim da primeira corrida da minha vida”.

Carlos Vieira (desistente)

“Estava tudo a correr muito bem, até iniciara a corrida com pneus usados, até o motor, repentinamente, não passar das 3000 rotações. Não houve nada a fazer, lamentavelmente, e tive que desistir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *