Francês Sébastien Ogier abre estrada no Quénia

O regresso ao continente africano esteve para acontecer o ano passado, mas a pandemia obrigou a adiar o projecto para este ano. A partir desta quinta-feira, as equipas do WRC querem fazer furor no Quénia, como era desejo de muitas.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Ao fim de 19 anos de ausência, o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) está de regresso ao continente africano, mais precisamente ao Quénia, palco, até 2002, mítico “Safari”, onde, nos tempos dos controlos horários, eram exigidas médias impossíveis de cumprir, com Colin McRae/Nicky Grist (Ford Focus RS WRC) a serem os últimos vencedores da última prova pontuável para o WRC.

A exemplo do que sucedeu em Portugal e em Itália, o francês Sébastien Ogier (Toyota Yaris WRC), vencedor de três das cinco provas efectuadas, volta a abrir a estrada no primeiro dia e, dada a natureza do piso, deve encontrar mais dificuldades do que nas prova anteriores, para minorar os “estragos” que, em piso de terra”, quem “abre a estrada” tem de enfrentar.

A dureza da “picadas” africanas vai exigir muito mais, das suspensões e da resistência dos carros, do que nas provas europeias e não surpreenderá que haja uma surpresa, pois o triunfo vai depender muito da gestão do desgaste dos pneus, suspensão e motor, restando saber quem vai ser mais capaz de fazer essa gestão de modo eficaz e qual o carro mais resistente.

E se em termos de vitória absoluta, o triunfo não escapará a um dos pilotos dos WRC, ficando por saber qual deles vai alcançar o primeiro lugar, já entre os RC2 não será surpresa se a vitória vier a pertencer a um piloto local, profundo conhecedor dos terrenos que pisa, face ao checo Martin Prokop (Ford Fiesta Rally2) e ao polaco Daniel Chwsit (Ford Fiesta Rally2), únicos europeus presentes.

De assinalar a presença do polaco Sobieslaw Zasada (Ford Fiesta Rally3), tri campeão europeu, que, aos 91 anos, está de regresso à competição para alinhar numa prova onde nunca tinha participado.

A estrada

A prova queniana centrada em Naivasha, em lugar de Nairobi, como sucedia no passado, arranca esta quinta-feira com uma Super Especial (4.84 km – 12h08 hora de Lisboa), que servira de apresentação dos participantes e prossegue na sexta-feira com uma dupla passagem por Chui Lodge (13,34 km – 6h09 e 11h46), Kedong (32,68 km – 7h05 e 14h42), a classificativa mais longa, e Oserian (18,87 km – 8h18 e 15h55).

No sábado, nova dupla passagem por três classificativas, Elmenteita (14,67 km – 6h08 e 12h05), Soysambu (20,33 km – 7h08 e 15h08) e Sleeping Warrior (31,04 km – 8h22 e 16h22), para no domingo a competição terminar com uma dupla passagem por Loldia (11,33 km – 5h26 e 11h25) e Hell’s Gate (10.56 km – 6h38 e 13h18), a segunda funcionando como “Power Stage, e uma por Malewa (9,71 km – 8h45), no intervalo entre as passagens pelas outras duas provas de classificação.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º Sébastien Ogier, 106 pontos; 2.º Elfyn Evans, 95; 3.º Thierry Neuville, 77; 4.º Ott Tanak, 49; 5.º Takamoto Katsuta, 48; 6.º Kalle Rovampera, 44; 7.º Dani Sordo, 30; 8.º Craig Breen, 24; 9.º Gus Greensmith, 22; 10.º Adrien Fourmaux, 20; 11.º Mads Ostberg, 12; 12.º Jari Huttunen, 10; 13.º Teemu Suninen, 9; 14.º Esapekka Lappi, 7; 15.º Andreas Mikkelsen, 6; 16.º Oliver Solberg, 6; 17.º Yohan Rossel, 6; 18.º “Pepe” Lopez, 4; 19.º Jan Solans, 2; 20.º Eric Camilli, 1; 21.º Nikolay Gryazin, 1; 22.º Marco Bulacia Wilkinson, 1.

NAVEGADORES – 1.º Julien Ingrassia, 106 pontos; 2.º Scott Martin, 95; 3.º Martijn Wydaeghe, 77; 4.º Martin Jarveoja, 49; 5.º Daniel Barritt, 48; 6.º Jonne Halttunen, 44; 7.º Paul Nagle, 24; 8.º Renaud Jamoul, 20; 9.º Borja Rozada, 19; 10.º Chris Patterson, 16 ; 11.º Torstein Eriksen, 12  12.º, Carlos Del Barrio, 11; 13.º Mikko Lukka, 10; 14.º Mikko Markkula, 9; 15.º, Janne Ferm, 7; 16.º Ola Floene, 6; 17.º Sebastian Marshal, 6; 18.º Alexandre Coria; 19.º Elliott Edmonson, 6; 20.º Diego Valejo, 4; 21.º Rodrigo Sanjuan, 2; 22.º François-Xavier Buresi, 1; 23.º Konstantin Aleksandrov, 1; 24.º François-Xavier Baresi, 1.

MARCAS – 1.ª Toyota Gazoo Racing WRT, 221 pontos; 2.ª Hyundai Shell Mobis WRT, 182; 3.ª M-Sport Ford WRT, 82; 4.ª Hyundai 2C Competition, 28.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *