Fórmula 1 regressa aos circuitos tradicionais

Lewis Hamilton e Max Verstappen podem respirar e alívio, sobretudo depois do prejuízo em que estiveram envolvidos no traçado citadino de Baku. No circuito de Paul Ricard é esperada a normalidade para holandês e inglês…

PEDO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Após o descalabro que viveram nas ruas de Baku, capital do Azerbeijão, onde o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) foi forçado a desistir, quando tinha a vitória na mão, em consequência do rebentamento de um pneu, e o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) viu o triunfo escapar quando, no recomeço da corrida, a duas voltas do fim, arrancou melhor que o mexicano Sérgio Perez (Red Bull/Honda), tinha todas as condições para assumir o comando, mas ao tocar, de forma inadvertida, no botão da repartição da travagem, passou-a para as rodas da frente e falhou a travagem para a primeira curva. Agora, o duo dominador do campeonato espera poder, em Paul Ricard, regressar às posições que tem ocupado.

Mas se o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) continua a ser incapaz de acompanhar, em corrida, o andamento do duo anglo-holandês, já Sérgio Perez, moralizado pelo triunfo de há 15 dias, chega ao traçado francês consciente de uma cada vez maior habituação ao Red Bull e que pode entrar na luta pelo triunfo, o que poderá ser um factor importante na luta que as duas marcas travam pelo título mundial.

Outra consequência, da corrida de Baku, foi a subida da Ferrari ao terceiro lugar do “Mundial” de Marcas, com dois pontos de vantagem sobre a McLaren, posição que a marca de Maranello não ocupava há muito tempo e que vem confirmar a evolução que os carros vermelhos têm revelado ao longo da temporada.

Os seus pilotos, o monegasco Charles Leclerc e o espanhol Carlos Sainz, têm sido presença quase constante na Q3 e apenas por uma vez, Sainz em Portugal, e Leclerc, no Mónaco, não terminaram nos pontos, enquanto do lado da McLaren tem sido o inglês Lando Norris, o único que pontuou nas seis corridas efectuadas, a estar em plano de destaque, porque o australiano Daniel Riccardo tem tido presenças discretas, dando a sensação de, ainda, não conseguir tirar todo o partido do “MCL35”.

Surpreendente segundo em Baku, depois de ter sido quinto em Monte Carlo, naquelas que foram as duas primeiras corridas em que pontuou, o alemão Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes) parece ter, finalmente, recuperado a boa forma, depois de um início de temporada discreto, que levou a que fosse colocado em causa o seu talento e tem oportunidade de confirmar a boa sequência de resultados iniciada nas ruas monegascas, havendo a curiosidade de ver se o Aston Martin confirma nas pistas a eficácia revelada nas ruas das cidades.

Num circuito tradicional é de esperar que o duelo Mercedes-Red Bull volte a ser aceso, com Lewis Hamilton apostado em recuperar os quatro pontos de atraso que tem para Max Verstappen, enquanto a marca da estrela tem 26 para recuperar em relação à marca de bebidas energéticas.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º Max Verstappen, 105 pontos; 2.º Lewis Hamilton, 101; 3.º Sérgio Perez, 69; 4.º Lando Norris, 66; 5.º Charles Leclerc, 62; 6.º Valtteri Bottas, 47; 7.º Carlos Sainz, 42; 8.º Pierre Gasly, 31; 9.º Sebastian Vettel, 28; 10.º Daniel Ricciardo, 26; 11.º Fernando Alonso, 13 ; 12.º Esteban Ocon, 12; 13.º Lance Stroll, 9; 14.º Yuki Tsunoda, 8; 15.º Antonio Giovinazzi, 1; 16.º Kimi Raikkonen, 1.

CONSTRUTORES – 1.º Red Bull Racing Honda, 174 pontos; 2.º Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 148; 3.º Scuderia Ferrari Mission Winnow, 94; 4.º McLaren F1 Team, 92; 5.º Scuderia Alpha Tauri Honda, 39; 6.º Aston Martin Cognizant F1 Team, 37; 7.º Alpine Renault, 25; 8.º Alfa Romeo Racing Ferrari, 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *