Fórmula 1 na “roda viva” com tufão no GP Japão

O tufão Hagibis está-se a aproximar do local onde terá lugar o Grande Prémio do Japão, de Fórmula 1, este fim-de-semana. O Hagibis é já considerado um dos mais poderosos das últimas décadas no Oceano Pacífico…

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Ao contrário do que é habitual, desta vez as maiores preocupações centram-se na possibilidade de um tufão invadir o Japão e condicionar, no sábado, a qualificação, situação que poderá estender-se aos jogos do Campeonato do Mundo de Râguebi que se jogam nesse dia.

Se não houver condições de segurança para a qualificação decorrer no sábado, restam duas alternativas: fazê-la no domingo de manhã, antes da corrida, ou aproveitar os tempos dos treinos livres de sexta para a definir.

Tal situação aumenta a possibilidade da corrida ter lugar, debaixo de chuva e com o asfalto molhado, o que pode contribuir para torná-la mais imprevisível e vir a ter um vencedor inesperado.

À partida iremos assistir a mais um duelo Mercedes – Ferrari, com o asfalto molhado aumentam as possibilidades do holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) subir ao lugar mais alto do pódio, algo muito desejado pelo fabricante de motores nipónico, que “joga em casa”.

Apesar da vitória da Mercedes em Sochi, muito consequência dos erros estratégicos dos homens da Ferrari, a superioridade que os carros de Maranello demonstraram nas últimas corridas pode voltar a repetir-se em Suzuka, muito embora os ”flechas de prata” apareçcam com algumas modificações, que visam o aumento da velocidade de ponta, factor em que perdem para os Ferrari.

Mas os italianos sabem que, para manterem de pé as remotas esperanças do monegasco Charles Leclerc (Ferrari) suceder ao inglês Lewis Hamilton (Mercedes) na lista dos campeões, precisam de vencer e de preferência colocando o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) à frente do inglês para adiarem por mais algum tempo a conquista antecipada dos títulos de 2019. Intensa será igualmente a luta no segundo pelotão entre as equipas, oficial e McLaren, que usam motores Renault, com a McLaren a dominar de forma clara, situação que a equipa oficial quer inverter, tanto mais que já sabe que a partir de 2021 a McLaren vai utilizar motores Mercedes.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 322 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 249; 3.º, Charles Leclerc, 215; 4.º, Max Verstappen, 212; 5.º, Sebastian Vettel, 194; 6.º, Pierre Gasly, 69; 7.º, Carlos Sainz, 66; 8.º, Alexander Albon, 52; 9.º, Lando Norris, 35; 10.º, Daniel Ricciardo, 34; 11.º, Nico Hulkenberg, 34; 12.º, Daniil Kvyat, 33; 13.º, Sergio Perez, 33; 14.º, Kimi Raikkonen, 31; 15.º, Kevin Magnussen, 20; 16.º, Lance Stroll, 19; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 4; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 571 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 409; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 311; 4.º, McLaren F1 Team, 101; 5.º, Renault F1 Team, 68; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 55; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 52; 8.º, Alfa Romeo Racing, 35; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 28; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação