Fórmula 1 está de regresso a Montreal

A Fórmula 1 está de regresso ao Circuito Gilles Villeneuve, situado nos arredores de Montreal, depois de dois anos de ausência, provocada pela Covid-19.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A corrida canadiana acontece uma semana depois da efectuada nas ruas de Baku, capital do Azerbeijão e, embora haja algumas semelhanças no traçado, espera-se que os pilotos não sofram tanto com a oscilação dos carros, que deixaram alguns com problemas de costas e levaram mesmo Tott Wolf, o patrão da Mercedes, a admitir que o inglés Lewis Hamilton não correria em Montreal, tanto mais que o piloto não escondeu que a corrida nas ruas de Baku tinha sido «a corrda mais dolorosa e mais dura da minha vida».

Mas, ao que tudo indica o piloto está recuperado e irá alinhar no traçado canadiano no “porpoising”, o movimento de oscilação que os carros exibem em recta.

Mas se a recuperação de Lewis Hamilton parece ter corrido da melhor forma, resta saber se, no curto espaço de tempo que mediou entre as duas corridas, a Ferrari conseguiu resolver os problemas de fiablidade, onde quatro dos cinco desistentes utilizam unidades motrizes da marca italiana, entre eles os dois carros da equipa oficial, com Mattia Binotto, o responsável da equipa a não esconder que o sucedido é «uma preocupação».

Se, em Maranello, os técnicos conseguiram resolver os problemas de fiablidade, surgidos em Baku, é de esperar que o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) e o espanhol Carlos Sainz (Ferrari) esteja em condições de, em corrida, darem luta aos “Red Bull boys”, o neerlandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) e o mexicano Sergio Perez (Red Bull/Honda) vencedores das cinco últimas corridas, depois de, na qualificação, a Ferrari ter sido melhor, como o demonstram as “pole position” asseguradas pelo monegasco.

Contudo, em corrida, a falta de fiabilidade dos carros vermelhos tem contribuido para a “fuga” dos seus adversarios que parecem lançados para o título que, a manterem superioridade manifestada e sem que apareça oposição consistente, pode ser asegurado de forma antecipada.

À espreita dos problemas dos Ferrari vai estar o inglés George Russell (Mercedes) que tem sabido estar no lugar certo, no momento certo, para ser o melhor do segundo pelotão, somar pontos, sendo o único que pontuou em todas as corridas, o que o coloca no quarto lugar do campeonato, entre os dois pilotos da marca italiana, com o seu compatriota Lewis Hamilton, um dos que mais tem sofrido com o comportamento do carro, a querer voltar a entrar na discussão pelos lugares do pódio, onde só esteve na prova de abertura.

Interessante será, igualmente, o duelo entre McLaren, Alpine e Alfa Romeo pelos lugares seguintes, com Alpha Tauri e Aston Martin a quererem juntar-se ao grupo, como sucedeu em Baku, onde o francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) foi quinto e o alemão Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes) sexto, atrás dos dois Red Bull e dos dois Mercedes, e à frente dos McLaren e Alpine que fecharam o lote dos 10 primeiros.

A ausência de dois anos no traçado canadiano pode causar problemas no que diz respeito à utlização de pneus, uma vez que não há referencias, por os pneus que vão ser usados estarem pela primeira vez no traçado.

A Pirelli optou por levar as versões mais macias da sua gama e resta saber como é que elas vão reagir ao asfalto, com as equipas a puderem optar por estratégias diferentes, já que as visitas às “boxes” no Circuito Gille Villeneuve são daquelas onde os pilotos perdem menos tempo.

CLASSIFICAÇÕES DOS CAMPEONATOS

PILOTOS – 1.º, Max Verstappen, 150 pontos; 2.º, Sergio Perez, 129; 3.º, Charles Leclerc, 116; 4.º, George Russell, 99; 5.º, Carlos Sainz, 83; 6.º, Lewis Hamilton, 62; 7.º, Lando Norris, 50; 8.º, Valtteri Bottas, 40; 9.º, Esteban Ocon, 31; 10.º, Pierre Gasly, 16; 11.º, Fernando Alonso, 16; 12.º, Kevin Magnussen, 15; 13.º, Daniel Riccardo, 15; 14.º, Sebastian Vettel, 13; 15.º, Yuki Tsunoda, 11; 16.º, Alexander Albon, 3; 17.º, Lance Stroll, 2; 18.º, Guaynu Zhou, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Oracle Red Bull Racing, 279 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 199; 3.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 161; 4.º, McLaren F1 Team, 65; 5.º, BWT Alpine F1 Team 47; 6.º, Alfa Romeo F1 Team Orlen, 41; 7.º, Scuderia AlphaTauri, 27; 8.º, Haas F1 Team, 15; 15.º, Aston Martin, 7; 10.º, Williams Racing, 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.